23/01/2019
13:55

Alan Santos - PR

247- O presidente Jair Bolsonaro acusou o Partido dos Trabalhadores de pretender vazar a prova do Enem; “Pode ter certeza que alguém do PT vai vazar a prova (do Enem)”, disse ele em Davos, na Suíça, onde participou do Fórum Econômico Mundial; “Vai vazar”, repetiu

Publicado por: Chico Gregorio


23/01/2019
13:51

José Cruz / Agência Brasil

247- O ex-ministro da Educação Aloizio Mercadante classificou como “inaceitável” a acusação do presidente Jair Bolsonaro, de que “alguém do PT vai vazar a prova” do Enem; “A ideologização do Ministério da Educação e a política de fake news do governo Bolsonaro, seguramente, colocam em risco não só o Enem, mas toda a política educacional brasileira. Nosso legado para o Enem é a construção de um caminho de oportunidades, que vem sem realizado sem qualquer incidente de segurança, mesmo após termos deixado o governo”, afirmou

Publicado por: Chico Gregorio


23/01/2019
13:41

As operações de compra e venda de imóveis com características consideradas suspeitas, feitas pelo deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), entre 2012 e 2014, renderam um lucro equivalente a 260%.

Segundo a Folha de S. Paulo, o filho do presidente da República revendeu um imóvel em novembro de 2013 por R$ 573 mil e outro em fevereiro de 2014 por 550 mil, somando R$ 831 mil de lucro nas duas transações (diferença entre os R$ 310 mil que investiu nas compras e R$ 1,12 milhão que recebeu com as vendas).

Os dois imóveis, localizados em Copacabana, Zona Sul do Rio de Janeiro, foram comprados pelo parlamentar em novembro de 2012. Os proprietários anteriores haviam desembolsado R$ 440 mil pelos dois imóveis. A negociação com o senador, segundo dados do 5º Registro Geral de Imóveis da capital do estado, rendeu um prejuízo de 30%, em pleno “boom imobiliário”.

Flávio nega irregularidades e classifica as operações como normais. Já o Conselho Federal de Corretores de Imóveis vê a dinâmica das negociações como suspeita.

Publicado por: Chico Gregorio


23/01/2019
13:34

TV Globo/Divulgação

Vanderson, do “Big Brother Brasil” 19, foi eliminado do programa nesta quarta-feira, 23. A delegada Rita Salim, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá (DEAM), no Rio de Janeiro, esteve nesta manhã nos Estúdios Globo, e intimou o participante a prestar depoimento. Ele é investigado por causa de acusações de estupro, agressão física e importunação ao pudor.

Três mulheres registraram boletins de ocorrência contra ele na Deam de Rio Branco, no Acre. Na última quinta-feira, 17, a delegada titular, Juliana de Angelis Carvalho, disse, em entrevista ao jornal Extra, que solicitou à Polícia Civil do Rio que Vanderson fosse interrogado.

Segundo a Globo, ele não será substituído no jogo e o reality seguirá com 15 participantes.

Patrícia Kogut – O Globo

Publicado por: Chico Gregorio


23/01/2019
13:18

Resultado de imagem para fotos Francisco do PT se reúne com trabalhadores rurais para tratar sobre previdência e outros direitos da categoriaO deputado eleito Francisco do PT se reuniu, nesta terça-feira (22), em Natal, com representantes da FETARN, a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Rio Grande do Norte, para discutir temas que têm preocupado a categoria, a exemplo da Medida Provisória 871/2019, também apelidada de “MP do pente fino”.

A Medida tem como justificativa a revisão de benefícios já concedidos pelos INSS, além tornar mais burocrática a concessão de novos. “A proposta de reforma como tem sido apresentada pelo novo governo, ataca direitos conquistados pelos trabalhadores e trabalhadoras rurais. Isso é algo que não podemos permitir”, disse o parlamentar ao afirmar o compromisso dele de lutar em favor da categoria.

Durante a reunião também foram conversadas propostas de políticas de apoio a agricultura familiar, além da importância da união de forças para garantir a conclusão da Barragem de Oiticica, considerada a maior obra de segurança hídrica realizada no Estado.

Francisco reforçou o apoio a categoria e colocou o mandato a disposição da Federação e da luta em defesa da agricultura familiar do Estado.

Publicado por: Chico Gregorio


23/01/2019
13:11

 

Após as novas revelações do caso Fabrício Queiroz, ministros do governo Bolsonaro ouvidos pelo blog avaliam ser mais preocupantes as informações de que parentes de milicianos trabalharam no gabinete do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Nesta terça-feira (22), uma força-tarefa do Ministério Público e da Polícia Civil do Rio de Janeiro contra milícia que age em grilagem de terras prendeu major Ronald, que foi homenageado em 2004 por Flávio Bolsonaro, que propôs uma moção de louvor a ele na Alerj.

Um dos mais próximos assessores do presidente disse ao blog que o “caso Queiroz virou caso Flávio” desde que o senador entrou com um pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender as investigações.

Desde então, afirma este interlocutor do governo, a estratégia de afastar a crise do Palácio do Planalto é um “remédio que funcionou para um problema”, ou seja, para as primeiras revelações envolvendo o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Porém, o “remédio” perde o efeito se o “problema” se agravar e tiver desdobramentos.

Fabrício Queiroz, ex-assessor e ex-motorista de Flávio Bolsonaro, movimentou R$ 1,2 milhão em sua conta de maneira considerada “atípica” segundo relatório do Coaf.

O Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro abriu procedimento investigatório criminal para apurar o caso, que foi suspenso por decisão do STF em 17 de janeiro. Quem pediu a suspensão das investigações foi Flávio Bolsonaro.
Reflexo

O que de fato importa e preocupa o Planalto é: o alcance e reflexo dessas investigações na pauta do Congresso, principalmente, porque o Planalto admite, de forma reservada, que Bolsonaro fez uma campanha com um discurso “anti-sistema”, como um outsider – apesar de quase 30 anos de Câmara dos Deputados.

Os parlamentares já haviam se incomodado com a plataforma e, agora, também de forma reservada, afirmam ao blog que não têm pretensões de fortalecer um governo que se elegeu se dizendo contra “tudo que esta aí”, uma vez que se sentiram atingidos pela definição.

Os deputados e senadores que “estão aí” vão eleger novos comandos para Câmara e Senado na semana que vem e vão dar o timing da agenda econômica.

O governo teme que a agenda da crise de Flávio interfira principalmente na reforma da Previdência, somado ao fato de que a oposição pedirá providências para aprofundar as investigações no caso Flávio.

Ministros lamentam o caso também por que Flavio era tido pelo Planalto como um dos principais interlocutores do governo junto ao Congresso, principalmente no Senado, a Casa tida como a mais difícil para aprovação de reformas.

Agora, ministros do Planalto ouvidos pelo blog dizem que Flavio precisa se concentrar na suas explicações, e mudar sua estratégia de defesa para “convencer”, evitando vincular em sua estratégia de comunicação que o que diz ser uma “campanha” contra ele tem por finalidade atingir o seu pai.

No mercado, o discurso é de que o governo mais do que nunca precisa fazer a previdência passar, já que o caso Queiroz desgastou a imagem do governo no discurso da “lisura”.

STF

No STF, dois ministros ouvidos pelo blog se disseram assustados com as revelações dos milicianos e o gabinete de Flavio.

Um deles disse que o caso é “ruim para para um início de governo voltado a moralizar”.

Fonte: G1

Publicado por: Chico Gregorio


23/01/2019
13:01

Mulher que aparece em vídeo levando carro é esposa de Alcymar Monteiro, diz advogada

A história do suposto roubo do carro do cantor Alcymar Monteiro ganhou um novo capítulo nesta terça-feira (22). Segundo a advogada da esposa do cantor, o “roubo” não foi roubo e o carro não era dele. A defensora deu uma entrevista ao veículo pernambucano Jornal do Commercio, na qual apresentou outra versão dos fatos.

A advogada não teve o nome revelado, mas informou que o veículo não foi furtado, mas que pertence a sua cliente. O caso ocorreu após uma discussão familiar. O cantor saiu com o carro, que, segundo a advogada, é de propriedade da esposa, sem avisar. Ao saber do roteiro do marido, que estava hospedado em um hotel após um show na cidade de Catingueira, a mulher foi ao local e, com as chaves e documentos em mãos, retirou o veículo.

De acordo com a advogada, a mulher não quer se expor e está “muito abalada”.

“Comparecemos à Delegacia de Patos nesta terça e foi tudo esclarecido na forma da lei”, informou por meio de nota. Por telefone, a advogada declarou que “a queixa prestada no domingo foi retirada, mas vamos continuar com o processo”.

Portal T5 entrou em contato com a delegacia de polícia de Patos, no entanto, fomos informados que o caso está sob responsabilidade do delegado Adjuto Neto, que não estava de plantão na ocasião.

A informação não foi confirmada pelo veículo junto à Delegacia de Polícia Civil de Patos, local onde a queixa foi prestada. O Jornal do Commercio procurou a assessoria de comunicação do cantor foi procurada e não atendeu às ligações da reportagem.

Veja o vídeo:

Portal T5

Publicado por: Chico Gregorio


23/01/2019
12:45

Resultado de imagem para Fábio Dantas foi entrevistado por Diógenes Dantas
Inês é morta…. 
O ex -vice-governador Fábio Dantas foi entrevistado por Diógenes Dantas, na 96 FM, na manhã da última  segunda dia (21).
Passeou pelos problemas da administração estadual e afirmou que nenhuma das medidas anunciadas até agora surtirão os efeitos desejados.
O vice parece ter a fórmula do sucesso na mão.
Lamentavelmente não aplicou-a quando teve a oportunidade.
Ou seja, deixou o cavalo passar. Agora vai esperar quatro anos para provar que sabe o que diz.
Via Rosalie Arruda.

Publicado por: Chico Gregorio


23/01/2019
12:41

 

Em rara entrevista concedida em Davos, o presidente Bolsonaro disse que “lamenta como pai”, referindo-se às maracutaias do filho Flávio Bolsonaro.

“Se por acaso Flávio errou e isso ficar provado, eu lamento como pai. Se Flávio errou, ele terá de pagar preço por essas ações que não podemos aceitar”, disse o presidente.

Via Esmael Morais.

Publicado por: Chico Gregorio


23/01/2019
12:22

Resultado de imagem para fotos de desembargador claudio santos

Por irregularidades na formação da comissão processante, que apura supostas irregularidades praticadas pelo prefeito afastado de Caicó, Batata Araújo, o desembargador Cláudio Santos, determinou a poucos instantes, a suspensão de todos os efeitos e atos praticados pela comissão, até que a primeira Câmara Civil tome uma decisão a respeito das falhas cometidas na constituição da referida comissão. Dentre as irregularidades apontadas pelo desembargado, está a participação da vereadora suplente Ana Edna, que é suplente do vereador afastado Lobão Filho, sendo portando parte interessada na cassação do vereador para poder ganhar o mandato, não tendo portanto na visão da justiça isenção para julgar o vereador e o prefeito,  que juntos respondem pelas mesmas acusações.

Publicado por: Chico Gregorio


22/01/2019
14:05

A deputada federal eleita e diplomada, Natália Bonavides, participou ontem de uma  Audiência Pública em Defesa da Justiça do Trabalho, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A deputada declarou que está fará um trabalho voltado na Câmara Federal   em  defesa da trabalhadora e do trabalhador brasileiro, o que significa defender a permanência da Justiça do Trabalho!

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

Publicado por: Chico Gregorio


22/01/2019
13:47

O Instituto Metrópole Digital (IMD), unidade acadêmica especializada da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), está com três vagas a serem preenchidas para Professor(a) do Magistério Superior, em regime de trabalho de dedicação exclusiva, com remuneração inicial de R$ 10.043,67.

As vagas são destinadas às áreas de Internet das Coisas, Ciências de Dados Educacionais e Segurança da Informação. O edital nº 023/2018-PROGESP, que estabelece as regras do concurso público, inclui vagas para várias áreas da UFRN e foi publicado no último dia 7 de dezembro. As inscrições seguem abertas até 24/01/2019.

Tanto o edital como as relações dos programas do concurso, dos temas das provas didáticas e as expectativas de atuação profissional estão disponíveis no site da Pró Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGESP) da Universidade, no endereço www.progesp.ufrn.br. Para verificar esses documentos, deve-se acessar a opção “concursos” no menu principal do site.

As inscrições devem ser feitas exclusivamente via internet e a taxa é de R$ 220,00. O concurso, além de exigir regime de trabalho de dedicação exclusiva, requer titulação de doutor e tem remuneração inicial (incluindo auxílio-alimentação e retribuição por titulação) de R$ 10.043,67.

Dentre as datas do calendário do concurso, está a divulgação da relação preliminar de inscritos em 04/02/2019, a divulgação da relação definitiva, em 11/02/2019, e o prazo para que os candidatos anexem eletronicamente o currículo, o Memorial Descritivo e Projeto de Atuação Profissional, além de documento de identificação com foto, de 25/02/2019 a 08/03/2019.

Já a divulgação das comissões julgadoras e seus respectivos calendários deve ocorrer a partir de 25/03/2019, e o período de aplicação de provas vai acontecer entre 19/05/2019 e 25/05/2109.

Publicado por: Chico Gregorio


22/01/2019
13:36

Resultado de imagem para fotos de flavio bolsonaromãe e a mulher do capitão Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado como homem-forte do “Escritório do Crime”, organização suspeita de matar a vereadora Marielle Franco (PSOL), trabalharam no gabinete do senador eleito e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL) até novembro de 2018. O capitão é alvo de prisão da Operação Intocáveis, deflagrada na manhã desta terça-feira (22) no Rio, e acusado de envolvimento em outros homicídios.

Adriano e o major da PM Ronald Paulo Alves Pereira, também apontado como membro da quadrilha, foram homenageados por Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) em 2003 e 2004.

De acordo com o ‘Globo’, Adriano é amigo do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, investigado por fazer movimentações financeiras suspeitas em suas conta corrente. Queiroz teria indicado a mãe de Adriano, Raimunda Veras Magalhães, e a mulher, Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega, para cargos no gabinete do filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Ainda segundo o jornal, ambas tinham o cargo CCDAL-5 e recebiam salários de R$ 6.490,35. A exoneração das duas, a pedido delas, foi publicada no Diário Oficial (DOU) no dia 13 de novembro de 2018.

Raimunda, de 68 anos, é uma das servidoras que fizeram repasses para a conta de Queiroz. Ela depositou R$ 4,6 mil na conta do policial militar. Ela teve cargos na Alerj ao menos desde 2 de março de 2015. Já Danielle aparece como servidora da Alerj ao menos desde novembro de 2010.

Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) aponta ligações entre Queiroz e Adriana. Raimunda, segundo a Receita Federal, é sócia de um restaurante na Rua Aristides Lobo, no Rio Comprido, em frente à agência 5663 do Banco Itaú, onde foi registrada a maior parte dos depósitos na conta de Queiroz: foram 17 depósitos em dinheiro vivo não identificados, que somam R$ 91.796 (42% do total).

Adriano está ligado a outro restaurante na mesma rua, que tem uma sócia em comum. A reportagem esteve no restaurante registrado em nome de Raimunda. A sócia dela estava no local. Funcionários informaram que a outra sócia “estava viajando”. Um deles chegou a negar que uma das donas se chamasse Raimunda: “É Vera”, disse.

Publicado por: Chico Gregorio


22/01/2019
13:25

DOM DELSON - ARQUIDIOCESE DA PARAÍBA RESPONDE A VARANDAS: 'violou explicitamente o sigilo da investigação e será responsabilizado'A Arquidiocese da Paraíba emitiu nota nesta segunda-feira, 21, referindo-se à reportagem veiculada ontem no Fantástico, da Rede Globo, que tratou da “investigação do Ministério Público do Trabalho sobre supostos abusos sexuais cometidos por padres e o ex-arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto”. No documento, a Igreja afirma que o caso tramita em segredo de justiça e afirma que cabe recurso ao processo.

A Arquidiocese acusa o procurador do Trabalho, Eduardo Varandas, de “violar explicitamente o sigilo ao conceder indevidamente entrevista atribuindo à juíza do trabalho, que prolatou a decisão, a responsabilidade pela divulgação de informações protegidas”. A nota afirma ainda que serão tomadas as medidas cabíveis para apurar as responsabilidades pelo vazamento das informações.

Já sobre o escândalo, envolvendo membros da Igreja, o documento diz que o caso está sendo analisado nas instâncias internas desde a primeira denúncia e que a Igreja não está manchada, como a reportagem teria afirmado. Por fim, o arcebispo Dom Manoel Delson afirma que “a Arquidiocese observa e sempre observará pela Fé da comunidade católica, que estará acima até mesmo dos desvios de conduta”, finalizou.

Leia a nota na íntegra:

arquidiocese da Paraíba - ARQUIDIOCESE DA PARAÍBA RESPONDE A VARANDAS: 'violou explicitamente o sigilo da investigação e será responsabilizado'

Fonte: Polêmica Paraíba

Publicado por: Chico Gregorio


22/01/2019
13:16

Flávio Bolsonaro homenageou duas vezes na Alerj o Capitão Adriano, apontado pelo MP como chefão do Escritório do Crime – um grupo de milicianos cuja principal atividade é matar sob encomenda. Adriano é amigo de Fabrício Queiroz, e sua esposa e mãe também eram funcionárias do gabinete de Flávio. Assim como o ex-capitão do Bope, o miliciano Ronald Pereira é suspeito de ter participado do assassinato de Marielle Franco
Jornal GGN – O portal G1 e o jornal O Globo publicaram reportagens expondo a ligação de Flávio Bolsonaro com 2 milicianos alvos da operação Os Intocáveis, deflagrada nesta terça (22). Eles são apontados como membro e chefe do “Escritório do Crime”, que é um grupo de milicianos de Rio das Pedras cuja principal atividade é matar sob encomenda, e que teria relação com a morte de Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes.
O Capitão Adriano Magalhães (ex-Bope) e o major da PM Ronald Pereira foram homenageados na Assembleia do Rio por Flávio Bolsonaro. Além disso, o ex-deputado empregou em seu gabinete a mulher e a mãe do Capitão Adriano, que está entre as assessoras parlamentares de Flávio que depositaram dinheiro na conta de Fabrício Queiroz.
O Escritório do Crime foi revelado pelo jornal O Globo em agosto de 2018, mas a esposa e a mulher do chefe miliciano só foram exoneradas depois da eleição, em 13 de novembro.
Segundo reportagem de O Globo, o major Ronald tem 43 anos e é investigado por “integrar a cúpula do Escritório do Crime”. Quando foi homenageado por Flávio, ele já havia sido acusado pela chacina de 5 jovens. Também já foi preso duas vezes por outros crimes.
O Capitão Adriano tem 42 anos e é apontado pelos investigadores como o “poderoso chefão da milícia de Rio das Pedras” e também é “suspeito de ser chefe do Escritório do Crime.” O Globo diz que ele é “amigo” de Queiroz. Ele foi preso duas vezes, sendo uma em 2011, na operação Dedo de Deus, contra o jogo do bicho. À época, ele foi considerado responsável pela segurança do chefe da quadrilha, Shanna Harrouche Farcia, filha do bicheiro Waldomir Paes Garcia, morto em 2004.
A mãe do Capitão Adriano, Raimunda Veras Magalhães, aparece em relatório do Coaf por ter depositado R$ 4,6 mil na conta de Queiroz, o ex-motorista de Flávio Bolsonaro que é suspeito de operar uma conta de passagem. Em 3 anos, Queiroz movimentou R$ 7 milhões em sua conta, sem ter renda nem patrimônio para isso. Raimunda , que ocupa cargos na Alerj em função de Flávio ao menos desde 2015, recebia um salário de pouco mais de R$ 6 mil. A esposa do Capitão se chama Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega e é servidora desde 2010.
“O relatório do Coaf aponta mais uma possível ligação entre Queiroz e Adriano.  Segundo dados da Receita Federal, Raimunda é sócia de um restaurante localizado na Rua Aristides Lobo, no Rio Comprido. O estabelecimento fica em frente à agência 5663 do Banco Itaú, na qual foi registrada a maior parte dos depósitos em dinheiro vivo feitos na conta de Fabrício Queiroz. Na agência foram realizados 17 depósitos não identificados, em dinheiro vivo, que somam  R$ 91.796 – 42% de todo o valor depositado em espécie nas transações discriminadas pelo Coaf, segundo um cruzamento de dados feito pelo GLOBO.”
Flávio Bolsonaro prestou homenagens na Assembleia ao Capitão Adriano, por “serviços à sociedade”, duas vez: uma em 2003 (moção de louvor) e outra em 2005 (Medalha Tiradentes).
Em 2014, “Adriano e o primeiro-tenente João André Ferreira Martins foram demitidos da PM, considerados culpados nas acusações de associação com a contravenção.”
Flávio também ao major Ronald Paulo Alves Pereira, mas em março de 2004. O G1 anotou que até hoje o major é considerado o “chefe da milícia da Favela da Muzema” e que foi homenageado por Flávio depois de ter sido apontado como um dos autores da Chacina da Via Show, que matou cinco jovens na saída de uma festa.

Publicado por: Chico Gregorio