03/09/2020
08:36

Enquanto milhões de médicos em todo o mundo lutavam contra a Covid-19 e suas consequências, alguns poucos emprestavam o prestígio da profissão para dar credibilidade a notícias falsas sobre a pandemia. Do início do ano ao fim de agosto, 125 conteúdos desinformativos envolvendo médicos foram verificados, segundo as bases de dados Coronavirus Facts Alliance e CoronaVerificado. Peças de desinformação deste tipo circularam em 42 países, com destaque para Índia (18), Brasil (15)  e Espanha (10).

O caso mais conhecido foi o do grupo norte-americano autointitulado “Médicos da Linha de Frente da América”, que em 27 de junho gravou um vídeo em frente à Suprema Corte dos Estados Unidos fazendo falsas alegações sobre a hidroxicloroquina. O conteúdo, impulsionado pelo presidente Donald Trump e pela cantora Madonna, foi retirado das redes sociais por conter desinformação sobre a pandemia. Estudos clínicos randomizados e duplo-cegos comprovaram que o remédio não é eficaz para tratar sintomas leves, moderados ou graves de Covid-19 e não serve como profilático.

 

Publicado por: Chico Gregorio

0 Comentários

Deixe o seu comentário!