12/07/2020
07:58

Reprodução/Agora RN

Mais de 100 dias depois de fechar o restaurante que mantém há mais de
oito anos no Alecrim e suspender 13 de seus 17 empregados, mantendo quatro deles no delivery que não vingou, Jean Régis de Oliveira, 47 anos, finalmente abriu as portas de seu estabelecimento esta semana seguindo à risca um protocolo que pareceria insano até o ano passado.Ao invés das 40 mesas que antes ocupavam o salão de 180 m2, o empresário manteve apenas 10 mesas a uma distância de 2,5 metros uma da outra. Para facilitar as coisas, juntou duas mesas, colocando quatro cadeiras para garantir que os clientes mantivessem um certo distanciamento entre si.

Quando subiu as portas, as primeiras visitas que recebeu foram de um agente do Corpo de Bombeiros; um do Procon e outro da Polícia.

“Depois de mais de três meses fazendo uns trocadinhos, abri de
qualquer maneira porque melhor do que ganhar pouco é não ganhar
nada”, resume Jean, que desde então já pôs à venda um imóvel e um
carro para manter o seu negócio funcionando em meio à pandemia do novo coronavírus. Se vai dar certo, só o tempo dirá.

Publicado por: Chico Gregorio

0 Comentários

Deixe o seu comentário!