16/07/2020
08:00

A América do Sul, que durante os governos de Lula e Dilma, era considerada área livre de conflitos, agora pode se transformar em cenário de guerras, sob a orientação do governo de extrema direita de Jair Bolsonaro e dos atuais comandos das forças armadas. Submisso à estratégia dos EUA, o alvo da guerra é a Venezuela

Um dos objetivos da política de defesa de Bolsonaro é a guerra contra a Venezuela
Um dos objetivos da política de defesa de Bolsonaro é a guerra contra a Venezuela (Foto: Reuters)
A nova Política Nacional de Defesa (PND), que será encaminhada ao Congresso na próxima semana aponta no sentido de desenhar um cenário de guerras na região

Numa atualização da diretriz preparada em 2016, o texto destaca a possibilidade de “tensões e crises” no continente, que podem levar o Brasil a mobilizar forças militares em esforços na garantia de “interesses nacionais” na Amazônia ou mesmo ajudar na solução de problemas regionais, informa o Estadão.

O trecho sobre política externa do documento avalia “possíveis desdobramentos” das crises nos países vizinhos. O principal foco de tensão se refere à Venezuela, liderada pelo governo anti-imperialista do presidente Nicolás Maduro, sucessor do falecido presidente Hugo Chávez que liderou a revolução bolivariana a partir da sua primeira vitória eleitoral em 1998.

Publicado por: Chico Gregorio

0 Comentários

Deixe o seu comentário!