21/03/2017
05:43

Procurador da República José Godoy. (Foto: Walla Santos)

O procurador da República José Godoy declarou em entrevista ao ClickPB na manhã desta segunda-feira (20), que o Banco do Brasil não oferece as condições mínimas de segurança para os seus clientes.  Ele explica, que o pedido do Ministério Público Federal (MPF) à Justiça Federal de proibir a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) de prestar o atendimento como correspondente bancário é para garantir a segurança da população do estado.

“O Banco do Brasil está fechando agências com aquela estrutura mínima estabelecida em lei para colocar correspondente bancário sem condições. É como se o banco ficasse auferindo lucros e passando o risco para a população”, disse José Godoy.

O procurador afirma que a ação civil pública, com pedido de liminar, ajuizada na semana passada, objetiva a suspensão dos serviços para que o Banco do Brasil ofereça aos seus agentes correspondentes à mesma segurança que ele conta em suas agências bancárias.

“Esses correspondentes não apresentam as condições mínimas estabelecidas em lei e trazem um risco enorme para a população, para os funcionários dos Correios e para a própria força policial que tem enfrentado a difícil tarefa de proteger um espaço que não tem condições de segurança”, ressaltou.

Via ClickPB

Publicado por: Chico Gregorio

0 Comentários

Deixe o seu comentário!