16/06/2016
08:14

Por: Redação / O Globo

sarney-juca-renan (André Coelho - O Globo)

O ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado contou, em delação premiada, que pagava mesada ao presidente do Senado, Renan Calheiros, e a outros integrantes da cúpula do PMDB. Segundo o delator, o esquema beneficiou, além de Renan, os senadores Edison Lobão (MA), Romero Jucá (RR) e Jader Barbalho (PA); e o ex-senador José Sarney.

O mensalão de Machado era entregue, na maior parte, em dinheiro vivo. O delator disse que Renan recebia R$ 300 mil por mês, tendo ficado com a parcela maior: R$ 32 milhões ao longo de uma década. Dos R$ 32 milhões, R$ 24 milhões foram em espécie, segundo ele.

O delator disse que o primeiro repasse para Renan ocorreu em 2004 ou 2005. A partir de 2008, segundo Machado, os pagamentos ganharam regularidade, com Renan recebendo “cerca de R$ 300 mil por mês durante dez ou onze meses por ano”. O valor da mesada aumentava em ano eleitoral.

Segundo o delator, as propinas começaram a ser pagas entre 2004 e 2008, a pedido dos políticos. A justificativa era a mesma: precisavam de ajuda para reforçar suas bases eleitorais. As mesadas foram todas interrompidas em 2014, depois da deflagração da Lava-Jato.

Confira a matéria completa em: http://oglobo.globo.com/brasil/renan-sarney-juca-recebiam-propina-em-mesadas-diz-delator-19517538

Publicado por: Chico Gregorio

0 Comentários

Deixe o seu comentário!