20/03/2019
06:18

“Somos treinados com o mantra bandido bom é bandido morto, mas nunca vi policial executar deputado bandido, juiz que vende sentença, senador chefe de tráfico” – confira o relato do policial militar

Aviso de Gatilho (Trigger Warning): depressão e suicídio*

Por Martel Alexandre del Colle

Eu voltei para a polícia militar em 2016. O motivo e as circunstâncias são longos demais para se narrar aqui. Depois de todas as experiências que eu havia passado dentro da polícia eu havia voltado mais forte e determinado a fazer o que era certo. Fui colocado em um batalhão que cuidava da região metropolitana de Curitiba. Fiquei empolgado. Eu adoro ser policial, cuidar da sociedade, ajudar a fazer deste país um local mais justo. Certas partes de mim parecem terem sido feitas para isso. Eu fico calmo nas ocorrências de vulto, eu gero soluções rápidas e nunca tive uma ocorrência na qual se possa dizer que o procedimento adotado foi errado.

Chegando ao batalhão, eu assumi uma companhia. Algo novo para mim. Estaria no comando de muitos policiais. Considerei uma grande oportunidade. Comecei a realizar algumas mudanças: treinamento para todos os policiais, banco de horas, mudança na forma da escala. Havia conversado com um professor de jiu-jítsu e uma academia de musculação que ficava a poucos metros da companhia para que os policiais pudessem treinar no local com um preço diferente devido ao número de possíveis inscritos.

Isso durou menos de um mês. Fui enviado para a escala de coordenação de policiamento. Fiquei um pouco chateado, mas sem problemas. Policial militar é policial em qualquer lugar e função. Na função de coordenador percebi vários defeitos. Sempre fui assim, eu encontro as falhas com facilidade. A parte boa é que eu também encontro as soluções. Comecei a dizer alguns problemas que eu encontrava para a execução de um bom serviço aos meus chefes, juntamente com uma proposta para solucionar a demanda. Fui ouvido em partes e outras foram ignoradas. Quanto a alguns problemas eu sequer poderia tocar no assunto. Eram pesados demais e eu poderia sofrer represálias.

O tempo que fiquei na unidade, estagnado, vendo muitas coisas erradas, começou a me estressar. E quando eu digo “coisas erradas” não estou dizendo que eles não faziam meus gostos. Estou me referindo a distribuição de efetivo pela malha feita de maneira irresponsável, o que no final gera mortes e assaltos; refiro-me ao uso político das forças de segurança, realizando operações que aparecem muito, mas que não solucionam nada; refiro-me a vistas grossas para a corrupção policial, condenando os policiais novatos a experiências terríveis dentro da viatura; refiro-me a vistas grossas para execuções e torturas; refiro-me a métodos de fiscalização obsoletos e ineficientes; dentre outras coisas. Todos problemas sérios, que condenam vidas e que são de fácil solução. Tão fácil que eu apresentei uma solução para praticamente todos.

Meu estresse e desapontamento chegou a tal ponto que eu fui até a diretoria de pessoal da polícia e fiz uma proposta ao chefe: gostaria de ajuda para ir para outra unidade, caso isso não fosse possível, eu queria ajuda para solicitar minha saída da polícia. Eu não esperava nenhuma ajuda, estava certo que aquele seria meu último dia na polícia, mas eu me enganei. O oficial que me recebeu me ouviu. Contei todas as minhas frustrações para ele e ele entendeu. Resolveu então me mandar para um batalhão que fosse mais apegado a técnica e ao estudo. Enviou-me para uma unidade de policiamento escolar. Confesso que as circunstâncias da transferência me deixaram animado. Sempre sonhei com uma unidade policial voltada para a técnica, para o estudo e para o resultado de maneira humanizada.

Publicado por: Chico Gregorio


20/03/2019
06:05

O ministro de Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, ficou de fora do encontro do presidente Jair Bolsonaro com o presidente Donald Trump, na Casa Branca, no começo da tarde.

No lugar do ministro, acompanhou o presidente brasileiro, seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro.

O encontro aconteceu no Salão Oval, o centro do poder na Casa Branca, a portas a fechadas com presença apenas de dois tradutores.

Publicado por: Chico Gregorio


20/03/2019
06:01

Da coluna de Andreza Matais no Estadão de hoje:

Do blog:

Após se derrotado e humilhado pelo eleitor de RN, quando abriu mão de disputar reeleição, sendo candidato a deputado federal, imaginando ser uma eleição tranquila, mesmo assim, foi derrotado, só resta a Agripino Maia, o todo poderoso do passado, correr atrás do presidente do senado federal.

Publicado por: Chico Gregorio


20/03/2019
05:56

Medida atinge os mais de 24,5 mil cargos em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores (DAS) e das Funções Comissionadas do Poder Executivo

O governo decidiu alterar a validade do decreto publicado nessa segunda-feira (18) que estabelece critérios, perfil profissional e procedimentos gerais para a ocupação de cargos em comissão e funções gratificadas na administração federal. Inicialmente, a medida entraria em vigor a partir do dia 15 de maio, mas agora valerá a partir do dia 1º de janeiro. Com isso, eventuais nomeações que tenham sido feitas em desacordo com as regras do decreto poderão ser revisadas.

A assessoria da Casa Civil afirmou que a retificação do decreto será publicada amanhã (20), em edição extra do Diário Oficial da União, após ser assinado pelo presidente da República.

 

Leia mais…

Publicado por: Chico Gregorio


20/03/2019
05:53

Chove 75 mm na zona rural de Pombal na tarde de hoje

Na tarde e começo da noite desta terça-feira (19) choveu 75 mm na zona rural de Pombal. A informação é da nossa colaboradora Kelly Félix. Foi uma das melhores chuvas deste ano na zona rural de pombal.

Via Folha Patoense 

Publicado por: Chico Gregorio


19/03/2019
11:48

Do Globo:

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro está em Washington para uma visita oficial ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, um dos seus filhos, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) esteve no Palácio do Planalto na manhã desta segunda-feira realizando conversas, de acordo com ele, sob orientação de Bolsonaro. Enquanto isso, o presidente em exercício, Hamilton Mourão, participava de um almoço com o governador de São Paulo, João Doria, na sede do governo paulista.

(…)

A visita de Carlos não constava na agenda de nenhum dos ministros do Palácio do Planalto, nem do presidente em exercício, Hamilton Mourão. O GLOBO conversou com assessores que trabalham no andar do gabinete presidencial mas, segundo relatos, ninguém viu por onde o vereador circulou dentro do prédio. A Secretaria de Comunicação do Planalto também não informou qual foi a agenda de Carlos Bolsonaro no Palácio do Planalto.

Depois, em outra publicação, Carlos disse que discutiu em Brasília a reforma da Previdência e “outros assuntos”.

Segundo o calendário da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, não há sessão prevista para esta segunda-feira.

(…)

Publicado por: Chico Gregorio


19/03/2019
11:40

O mandato parlamentar da deputada federal Natália Bonavides (PT)  realizará neste sábado dia 23, o  primeiro “Chame Gente”   quem tem como objetivo realizar um   debate que vai ajudar organizar a resistência no parlamento contra a retirada de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras com a reforma da previdência do governo Bolsonaro.

Agora como deputada federal, seguiremos pautando a nossa atuação na luta coletiva e fazendo um mandato participativo e pautado pelo povo.

Chame Gente: Conjuntura e os desafios da luta no parlamento

Nosso encontro será no sábado, dia 23 de março, às 8:30. O local é o Centro Pastoral Dom Heitor Araújo, que fica na rua da Conceição, 815 – Cidade Alta (ao lado da Assembleia Legislativa do RN, em Natal).

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo

Publicado por: Chico Gregorio


19/03/2019
11:28

O diretório do PSL do Rio de Janeiro apresentou à Corregedoria Geral do Ministério Público fluminense representações disciplinares contra o procurador-geral de Justiça do Estado do Rio, Eduardo Gussem, e o promotor Cláucio Cardoso da Conceição. O motivo é a suposta atuação irregular dos dois na investigação aberta a partir da descoberta da movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em uma conta de Fabrício Queiroz, ex-assessor do hoje senador Flávio Bolsonaro (PSL) na Assembleia Legislativa do Rio. Gussem e Conceição repudiam as acusações.

Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), produzido em investigações da Operação Furna da Onça, sobre corrupção no Legislativo fluminense, identificou as movimentações, de janeiro de 2016 a janeiro de 2017. Também descobriu que funcionários do gabinete de Flávio, cujo mandato de deputado estadual acabou em janeiro, faziam depósitos regulares para Queiroz, geralmente em datas próximas ao pagamento de salários na Alerj. O MP suspeita da prática de “rachadinha”, na qual os funcionários repassam a maior parte ou a totalidade de seus salários aos parlamentares.

Queiroz afirmou por escrito ao MP – depois de faltar a quatro depoimentos – que recolhia os salários para redistribuí-los pelos funcionários e por outros servidores “informais”, sem conhecimento de Flávio. O parlamentar nega irregularidades.

As representações foram assinadas por nove deputados federais e oito estaduais, além do próprio Flávio. Os documentos acusam Gussem e Conceição de praticar “sistemática e recorrente antecipação e divulgação pública de informações sigilosas sob seu domínio”; instituir “processo penal ‘paralelo’ operado na mídia com o claro objetivo de comprometer a reputação de pessoa presumida inocente” (o atual senador Flávio Bolsonaro); de promover “indevida e ilícita espetacularização” da investigação; e de “afronta a garantias constitucionais, manchando e jogando em lamaçal inescrupuloso a imagem do Ministério Público”.

Nas representações, os parlamentares afirmam ainda que Conceição e Gussem agiram juntos com o objetivo de “apresentar ao Brasil, com tintas vermelhas de sangue, as figuras transfiguradas como culpadas e condenadas” de Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz. “Nota-se a veiculação” (pela imprensa) “de informações sigilosas, oriundas do Coaf, que (sic) só o representado Gussem tinha acesso, como chefe da instituição e responsável pelas investigações”, prosseguem.

Os integrantes do Ministério Público são acusados de cometer seis irregularidades: “negligência no exercício de suas funções”, “descumprimento de dever funcional”, “infringência de vedação”, “procedimento reprovável”, “conduta que denotou desrespeito às leis vigentes e à própria instituição” e “revelação de segredo que detinha em razão do cargo”. O PSL requer que seja instaurado procedimento para que ambos respondam por essas condutas.

Reposta. Em nota, o procurador-geral de Justiça do Estado do Rio, Eduardo Gussem, afirmou que ainda não foi formalmente notificado da representação apresentada pelo PSL à Corregedoria do MP-RJ. Ele informou que “no momento oportuno prestará as devidas informações, certo de que em momento algum faltou com o dever ético-institucional inerentes ao cargo”.

A nota afirma ainda que “o Conselho Nacional do Ministério Público e a Corregedoria Nacional do Ministério Público já arquivaram representações anteriores acerca dos mesmos fatos, que foram devidamente esclarecidos”.

FAUSTO MACEDO / ESTADÃO

Publicado por: Chico Gregorio


19/03/2019
11:22

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, o pastor Silas Malafaia saiu em defesa dos imigrantes brasileiros que vivem irregularmente no EUA, após uma declaração polêmica do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que disse na noite do último sábado, em Washington, que os brasileiros que estão em situação migratória irregular fora do país são uma “vergonha nossa”.

— Prego nos EUA e na Europa há mais de 25 anos. Quando esse cara fala isso, mostra que não conhece a realidade do imigrante brasileiro. Não podemos generalizar os maus exemplos. Os pontuais maus exemplos não podem denegrir os ilegais  — disse ao GLOBO por telefone.  — Conheço muitos brasileiros ilegais que não estão lá vagabundando nem roubando. Pelo contrário. A maioria dos imigrantes brasileiros nos EUA é gente que tem dois empregos, que trabalha 14h por dia.

A declaração foi feita quando o deputado comentava a possibilidade de o governo brasileiro isentar americanos da exigência de vistos para entrar no Brasil, sem a contrapartida do governo americano para liberação de vistos para brasileiros.

—  Como ele vem dizer que tem vergonha? Me orgulha saber que o brasileiro, com toda a dificuldade, está lá fora lutando — afirmou o pastor, lembrando que não é a primeira vez que discorda dos comentários do deputado. —  Esse menino tem que tomar muito cuidado com o que anda falando. Está provocando indignação em setores onde o pai tem todo o apoio. Isso contribui para perder voto com muita gente lá fora que votou nele, não só nos EUA. Mas sei que não é o presidente que pensa isso. Ele não concorda com isso. Ele (Eduardo) deve ter tomado um pito do pai.

Cerca de três milhões de brasileiros vivem no exterior, sendo mais de 1,4 milhão nos Estados Unidos, de acordo com o Itamaraty. Segundo o Instituto Pew, de Washington, cerca de 130 mil brasileiros encontravam-se em situação irregular nos Estados Unidos em 2016. O número de brasileiros que ingressa nos Estados Unidos “caiu sensivelmente” de 2007 a 2017, diz o instituto, e a imigração irregular total nos EUA encontra-se no ponto mais baixo em 10 anos.

Jair Bolsonaro obteve 81,7% dos votos válidos nos EUA no segundo turno das eleições de 2018. Segundo uma  pesquisa encomendada pela revista Época , 85% dos brasileiros que moram nos EUA dizem que as políticas de Donald Trump não melhoraram a vida de quem mora nos EUA, e 79% dos entrevistados consideram a política de imigração o pior ponto do governo do republicano.

Malafaia também criticou os elogios ao escritor  Olavo de Carvalho, a estrela da noite no jantar oferecido no domingo na casa do embaixador brasileiro Sergio Amaral, em Washington. O ministro da Economia,  Paulo Guedes, chegou a dizer que Olavo era o “líder da revolução” liberal no país.

— Agradecer a vitória (de Bolsonaro) a Olavo de carvalho é uma afronta. Quem é ele? Que voto ele tem? Quer dizer que somos (evangélicos) um bando de idiotas?

No domingo, o deputado federal minimizou as declarações, mas enfatizou que o Brasil não vai permitir migração irregular em nenhum lugar do mundo.

— A declaração foi para dizer que o Brasil tem responsabilidade com seus nacionais e não vai ficar permitindo que brasileiros entrem, facilitando, melhor dizendo, a entrada de brasileiro em qualquer lugar que não seja da maneira legal — disse Eduardo Bolsonaro, eleito na última quinta-feira presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara.

O GLOBO

Publicado por: Chico Gregorio


19/03/2019
11:12

Com o tema “Água para Todos”, proposto pela Organização das Nações Unidas, será comemorado na próxima sexta-feira (22/03) o Dia Mundial da Água. Para marcar a data, o Governo do Estado realizará um evento na comunidade Barra de Santana, na zona rural do município de Jucurutu, colocando o Seridó no centro das discussões hídricas estaduais, lembrando que este bem é um direito humano.

Ao levar a agenda do Dia da Água para a comunidade, junto das obras da Barragem de Oiticica, um símbolo das ações de combate à estiagem no estado, o Governo reafirma o compromisso sugerido pela ONU de levar água para todos. Durante toda o dia, as discussões estarão centradas no tema recursos hídricos. O evento tem como tema “Água: um direito humano e um bem comum da natureza” e será promovido em parceria com Movimento dos Atingidos e Atingidas pelo Construção da Barragem de Oiticica, a Diocese de Caicó / SEAPAC, as prefeituras municipais de Jucurutu, São Fernando, Jardim de Piranhas e com o Comitê de Bacia Hidrográfica (CBH) Piancó-Piranhas-Açu.

Dia da Água terá apresentações culturais e palestras

A programação do Dia Mundial da Água terá início às 8h, com a apresentação cultural do Bloco do Magão, conhecida agremiação do carnaval de Caicó, que tocará machinhas com o tema água. Na sequência, o grupo Trapiá Cia Teatral encenará a peça “Chico Jararaca”, contando as histórias do cangaceiro seridoense que se preocupa com a escassez hídrica no Bioma Caatinga.

Durante todo o evento, uma estrutura com tendas levará informações sobre o andamento da obra da barragem, uso racional da água, gestão de licenças e outorgas de água, tecnologias de convivência com o semiárido, além de atividades culturais e degustação de produtos regionais.

Com o tema “Fontes de água para consumo humano e produção de alimentos no semiárido Potiguar” será realizada uma mesa de diálogo reunindo as seguintes instituições e representantes: Instituto de Gestão das Águas do RN – IGARN (Caramuru Paiva); Movimento de Articulação Semiárido Potiguar – ASA Potiguar (Marcílio Lemos); Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários – Seapac (Damião Santos); Agência de Desenvolvimento Sustentável do Seridó – ADESE (Emílio Gonçalves); e Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN (Profa. Rebecca Luna Lucena).

Celebrando a resistência do sertanejo, ao meio dia será celebrado um ato ecumênico conduzido pelo Bispo Diocesano de Caicó, Dom Antônio Carlos Cruz Santos e pelo pastor Anchieta Júnior de Souza da igreja evangélica Assembleia de Deus.

Governadora participa da programação

Os debates terão sequência à tarde com a mesa de diálogo intitulada “Água como um direito humano e um bem comum da natureza: Agenda Hídrica do Governo do Estado”. Esta mesa contará com a presença da governadora Fátima Bezerra, do presidente do CBH do Piancó-Piranhas-Açu, Paulo Varela e do representante do Seapac, Dom Jaime Câmara.

O evento será encerrado com o grupo quilombola de forró pé de serra “Os Palitozinhos” da comunidade Furna da Onça, em Caicó. O evento tem o apoio da Fundação Luterana de Diaconia, Consórcio EIT/Encalso, KL Engenharia, Massas Jucurutu, Massas Santana e Sertão Jucurutu Laticínios.

Programação terá quatro dias

Além das atividades que serão realizadas na sexta-feira (22), a programação inclui eventos no decorrer da semana. Na quarta-feira (20), será realizado o IGARN Itinerante, programa que leva as atividades de cadastramento de usuários de água, para atender os usuários de Jucurutu e região. A atividade terá início às 8h, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Jucurutu.

Já na quinta-feira (21), o Igarn realiza ações de educação ambiental através do programa Água Nossa, nos seguintes horários e locais: 7h15 e 15h20, na Escola Estadual Antônio Barbosa; 9h15, na Escola Janúncio Afonso; e 10h30 e 13h15 na Escola Municipal Wagner Lopes.

No domingo (24), às 7h, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), através da Associação de Servidores da Caern e do Sindágua, realizará a 1ª Corrida da Água para servidores. O evento terá percurso de 5 km no entorno da UFRN.

Sobre a Barragem de Oiticica

É uma das maiores obras de infraestrutura hídrica já realizadas no RN. Será o terceiro maior reservatório do Estado e é esperada há mais de 50 anos, beneficiando diretamente 350 mil habitantes em 17 municípios do estado. Com capacidade para 556 milhões de metros cúbicos, a obra atenderá, indiretamente, toda a população dos municípios do Seridó, Vale do Açu e região Central do Rio Grande do Norte, beneficiando mais de 500 mil pessoas. O reservatório vai represar águas do rio Piranhas/Açu e vai receber as águas da Transposição do Rio São Francisco, outra obra priorizada pela governadora. As obras da parede da barragem se encontram com um percentual de execução de 70% concluídas.

Fotos: Ivanízio Ramos

 

Publicado por: Chico Gregorio


19/03/2019
10:59

Leia a coluna de Reinaldo Azevedo,  jornalista político brasileiro.

Não há muita coisa a dizer sobre o mais novo capítulo da delação de Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda do primeiro governo Lula e ex-ministro do Planejamento do primeiro governo Dilma. Nos dois casos, caiu porque seu padrão de conduta pareceu heterodoxo até aos petistas.

A mais nova bomba de traque deste gigante moral assegura que o então presidente Lula negociou propina diretamente com Nicolás Sarkozy, que presidia a França, num acordo para a compra de helicópteros e para a construção de submarinos nucleares — acordos que foram acompanhados de perto pelas respectivas cúpulas das Forças Armadas interessadas. Teria sido ali, tudo no “tête-à-tête.

Vamos lá. Todos sabem que eu não sou um fã ardoroso dos métodos empregados pelo Ministério Público Federal, não é mesmo? Acho que há abusos de várias naturezas na forma como atua para obter delações. O órgão rejeitou um entendimento do Palocci porque lhe pareceu que ele estava interessado apenas em livrar o próprio pescoço. E aí partiu para o vale-tudo.

Das pessoas dotadas de um mínimo de bom senso a especialistas em sacanagem, vamos convir: todos riem de escárnio da acusação desse gigante, que celebrou acordo de delação com a PF.

Vocês acham mesmo que os respectivos presidentes de duas grandes democracias, uma delas entre os cinco países mais ricos do mundo, combinam propina, quando combinam, em conversa direta? Isso está mais para a piada.

Há até uma questão prática: Lula não fala francês; Sarkozy não fala português. Imaginem os dois tratando de sacanagem com a presença de pelo menos duas testemunhas — sim, em conversas assim, cada um tem o seu para evitar erros, digamos, interessados…

Ah, sim: Lula, de fato, queria comprar os caças Rafalle, dos franceses. Chegou até a anunciar isso na viagem de Sarkozy ao Brasil. A escolha da Aeronáutica foi pelo sueco Gripen. E aí o ex-presidente é acusado de ter negociado vantagens também nesse caso, naquela que é, creio, a mais ridícula de todas as denúncias contra o petista.

Palocci é apenas alguém interessado em salvar o próprio pescoço e acha que Lula ainda tem ombros largos o bastante para o que lhe der na telha. Mas parece que perdeu até o sentido da verossimilhança.

Do UOL

Publicado por: Chico Gregorio


19/03/2019
10:54

 

Circula nas redes sociais foto que mostra um homem encostado em um veículo com drogas ilícitas no porta-malas. Ele estaria vestindo uma camisa vermelha com os dizeres “Lula Livre”. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Já imaginaram se esse cidadão tivesse com a camisa do Bolsonaro? Seria matéria para um Globo Repórter inteiro!”
Texto que acompanha imagem que, até às 14h30 do dia 18 de março de 2019, já tinha mais de 17 mil compartilhamentos no Facebook

A imagem analisada pela Lupa é uma montagem. A foto original mostra que o homem estava vestindo uma camisa vermelha sem qualquer menção ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em outubro de 2018, a Polícia Rodoviária Estadual do Ceará prendeu Ricelio Vieira de Figueiredo, que transportava cerca de 200 kg de maconha em um fundo falso dentro de um carro. Veja foto tirada na ocasião:

Na época, o homem confessou que comprou a droga no Distrito Federal e estava transportando a carga para o Paraíba.

Da Lupa

 

Publicado por: Chico Gregorio


19/03/2019
10:39

O instituto Paraná Pesquisas, o queridinho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), afirma que dois candidatos da esquerda lideram a disputa pela Prefeitura de Maceió, capital de Alagoas.

De acordo com o levantamento, o deputado João Henrique Caldas (PSB), JHC, lidera a corrida com 31,6% da preferência do eleitorado maceioense. Em segundo lugar aparece Ronaldo Lessa (PDT) com 15,1%.

Dois pré-candidatos ligados ao presidente da República, Cabo Bebeto (PSL), tem 5,6%, e Alfredo Gaspar (PSL), possuiu 9,1%, em quinto e terceiro lugares, respectivamente.

Mauricio Quintella (PR), com 7,4%, surge na sondagem na quarta colocação. Marx Beltrão (MDB) tem 2%. Gustavo Pessoa (PSOL) aparece com 1,5%. Kelmann Vieira (PSDB) e Ricardo Barbosa (PT), com 0,9% cada.

A Paraná Pesquisas 806 eleitores maceioenses entre os dias 13 e 17 de março. A margem de erro é de 3,5% para mais ou para menos.

Publicado por: Chico Gregorio


19/03/2019
10:28

Publicado por: Chico Gregorio


19/03/2019
07:10

 

Resultado de imagem para fotos Senadora Zenaide defende geração de empregos como relatora na Comissão de Assuntos SociaisA senadora Zenaide Maia está empenhada na geração de empregos, principalmente para os jovens recém-formados que na maioria das vezes não conseguem, trabalho rápido.

Zenaide Maia será relatora, nesta terça (19), na Comissão de Assuntos Sociais favorável ao Projeto de Lei nº 352, que determina a absorção pelo Sistema de Saúde, de profissionais da área recém-formados na rede pública de ensino. Além disso, a parlamentar já apresentou de sua própria autoria um substitutivo a esse projeto, que torna obrigatório a todos os recém graduados em instituições públicas, ou cursos financiados com recursos do governo, a prestarem serviços públicos pelo menos por um ano em suas respectivas áreas de formação.

Para Zenaide, “O projeto original que envolve apenas os profissionais de saúde é muito limitado e discriminatório e eu o estou ampliando para oferecer a milhares de jovens, pelo menos por um ano os direitos sociais do trabalho, infelizmente indisponíveis para grande parcela da população. E haverá remuneração ainda a ser regulamentada”, ressaltou a senadora.

Publicado por: Chico Gregorio