18/04/2019
06:23

Brasília(DF), 4/1/2018 – Presidente Jair Bolsonaro na passagem de comando da aeronáutica. Local: base aérea. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Ao receber cinco indígenas no Palácio do Planalto na noite desta quarta-feira para ouvir reivindicações do grupo, o presidente Jair Bolsonaro aproveitou para disparar ataques contra fiscais do Ibama, a Fundação Nacional do Índio (Funai) e ONGs nacionais e internacionais.

De etnias diferentes, eles foram levados ao local pelo pecuarista Nabhan Garcia, secretário de assuntos fundiários do Ministério da Agricultura, que é o responsável do governo por executar a reforma agrária. O encontro foi transmitido ao vivo pela página de Bolsonaro no Facebook, durante mais de 37 minutos.

Ao longo do encontro, o presidente defendeu que os povos tenham autonomia sobre as terras e direito de explorá-la tanto em atividades agrícolas quanto em mineração. Ele prometeu apresentar ao Congresso mudanças na legislação para para a exploração econômica das terras.

— Com todo o respeito, alguns querem que vocês fiquem na terra indígena como se fossem um animal pré-histórico. Não é pré-histórico não, vocês são seres humanos — declarou o presidente. — O índio não pode continuar sendo pobre em cima de terra rica. Todas as ONGs que trabalham contra vocês são nossas inimigas.

Na opinião de Bolsonaro, “o índio tem que dizer o que a Funai vai fazer”, assim como o povo brasileiro tem que dizer o que ele deve fazer como presidente.

— Se não for assim, eu corto toda a diretoria da Funai — disse Bolsonaro.

O presidente chamou de “picaretas” ONGs internacionais e nacionais e até mesmo funcionários do governo que atuam na causa indígena, afirmando que o interesse está relacionado ao valor das terras.

O Globo

Publicado por: Chico Gregorio


18/04/2019
06:21

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, gastou R$ 1 milhão da verba de gabinete para contratar os serviços de três pequenas gráficas em Brasília. O caso tornou-se um mistério na Casa. Os negócios realizados entre 2014 e 2018, permanecem em sigilo porque o setor de Transparência do Senado, há três meses, se recusa a fornecer ao GLOBO as notas fiscais apresentadas pelo senador.

O Senado conta com um moderno parque gráfico justamente para atender a demandas dos senadores. O maquinário imprime com sistemas de última geração inclusive em braile. O parque se mantém ativo há 47 anos, sendo responsável publicações oficiais, técnicas e da atividade legislativa, como registra o site da Casa. O que levou o senador Alcolumbre a dispensar a megaestrutura oficial para gastar o dinheiro da verba de gabinete nesses comércios de pequeno porte em Brasília é outro ponto sem resposta.

Um dos servidores da área de Transparência do Senado disse ao GLOBO ter recebido ordens superiores para não revelar o conteúdo de três notas fiscais que resumem os gastos. Por meio do Portal da Transparência da Casa, é possível apenas obter um resumo das despesas. Como o Senado se recusa a revelar a íntegra das notas, não é possível saber, por exemplo, quais serviços foram prestados pelas gráficas que justifiquem o gasto de R$ 1 milhão.

Na Arte e imagem Gráfica e Editora, um estabelecimento do tamanho de uma sala de reuniões localizado no Plano Piloto de Brasília, o senador deixou R$ 256.980,00 em 2017. O dono da gráfica, Daniel Ribeiro Soares, disse ao GLOBO que não se lembrava de ter prestado qualquer serviço e que não sabia nem mesmo o nome do senador.

– Foi feito um trabalho, lá, mas não me recordo o nome do senador, não – disse Soares, por telefone.

Questionado se era normal não se lembrar de um negócio avaliado em R$ 256 mil, o dono da gráfica tentou fazer um esforço de memória.

– Qual que é o ano (da impressão)? Eu vou confirmar para você. Pode me ligar na segunda-feira? Não estou em Brasília – justificou.

O GLOBO retornou o contato. O dono da gráfica continuava sem saber especificar qual serviço havia prestado, sugerindo apenas que poderia ter sido a impressão de 30 mil exemplares de uma revista.

– Foi uma revista. Eu não lembro o título. Não sei se foi material do partido dele, lá. É alguma coisa do trabalho dele, que ele exerceu.

O dono da gráfica também não soube explicar como fez a entrega dos 30 mil exemplares em Macapá, reduto eleitoral de Alcolumbre, que fica a mais de 2,5 mil quilômetros de Brasília.

Outras duas gráficas de Brasília emitiram notas de serviços em nome de Alcolumbre. A Gráfica e Editora Paranaíba e a Start print Comunicação Visual estão registradas no mesmo endereço em Brasília. A Start print está no nome de Luiz Flavio Armondes Moreira, enquanto a Paranaíba consta como sendo de propriedade de sua mãe, Maria Flavia Armondes Moreira, de 62 anos. Na primeira empresa, os serviços totalizam R$ 492 mil. Na segunda, o gasto pago pelo Senado foi de R$ 279.580,00.

Ordem da direção do Senado para dar baixa nos pedidos

Há três meses, O GLOBO tenta, por meio da Lei de Acesso a Informação, obter cópia das notas fiscais apresentadas por Alcolumbre ao Senado. A reportagem entrou com três pedidos e dois recursos na Casa solicitando acesso aos comprovantes. A LAI regulamenta o direito constitucional de acesso às informações públicas, o que é o caso de notas fiscais, que revelam qual destino os parlamentares têm dado ao dinheiro público.

Diante das negativas, a reportagem foi ao setor de Transparência do Senado. Lá, um dos funcionários disse que “uma ordem da direção do Senado os obrigava a dar baixa” nos pedidos do GLOBO.

Procurado, o presidente do Senado respondeu, por meio de assessoria, que os serviços gráficos são publicações para a divulgação “dos atos praticados no exercício do mandato, em atenção ao seu dever constitucional de prestação de contas ao eleitor, observando-se estritamente os atos normativos internos que disciplinam a matéria”.

A reportagem havia encaminhado diversas perguntas ao senador, tais como: ‘Qual serviço foi prestado por cada uma dessas gráficas? Qual material foi impresso? Com qual finalidade? Qual a tiragem? Quais são as especificações do material que foi impresso?’. Para nenhum desses questionamentos obteve resposta.

O GLOBO

Publicado por: Chico Gregorio


18/04/2019
06:17

CIPRIANI HALL. FOTO: PEABODYAWARDS/FLICKR
CIPRIANI HALL. FOTO: PEABODYAWARDS/FLICKR

 

A exemplo do Museu Nacional de História Natural em Nova York, o Cipriani Hall, em Wall Street, também se recusou a sediar o evento Personal of the Year, premiação da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos que vai homenagear o presidente Jair Bolsonaro.

Por trás dessas decisões de recuo está, além da comunidade ambiental, a pressão forte do prefeito da cidade, Bill de Blasio. Ele tem dificultado a realização da festa valendo-se do argumento de que não seria possível garantir a segurança do evento, visto que muitos movimentos sociais se articulam contra sua realização.

A Câmara de Comércio havia decidido, na terça-feira, fazer o evento no Cipriani Hall, após da recusa do Museu Nacional – negativa celebrada por Bill de Blasio nas redes sociais. Na sexta, o prefeito democrata de Nova York chegou a pedir que a homenagem, prevista para 14 de maio, fosse cancelada.

A premiação é concedida há 49 anos e tem objetivo de reconhecer sempre dois líderes, um brasileiro e um americano, que trabalham pela aproximação e relação entre os dois países.

A Câmara de Comércio, conforme adiantado pelo blog da coluna, escolheu, também na segunda-feira, que o par de Bolsonaro no evento será Mike Pompeo, secretário de Estado de Donald Trump.

ESTADÃO CONTEÚDO

Publicado por: Chico Gregorio


18/04/2019
06:15

G

 

O Ministério Público Federal, no Rio, identificou como Antonio Carlos Correira da Silva, gerente financeiro da Argeplan – empresa que tem como um dos controladores o coronel reformado da Polícia Militar de São Paulo, João Baptista Lima Filho, o coronel Lima -, a pessoa que tentou transferir, em 22 de outubro de 2018, R$ 20 milhões para o Banco Santander. Depoimentos de gerentes do banco relataram que o gerente da Argeplan foi à uma agência em São Paulo para abrir contas em nome de empresas controladas pelo coronel Lima e transferir os valores para elas.

Documento

Documento

Inicialmente, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) informou que um homem havia tentado depositar R$ 20 milhões em espécie. Após a investigação, o banco retificou a informação repassada ao Coaf e relatou que um homem havia tentado abrir contas para transferir R$ 20 milhões.

 

Leia mais…

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
11:16

Todos os estados do Nordeste terão pancadas de chuva durante o feriado prolongado da Páscoa, mas o sol aparece forte por várias horas na maioria das áreas da Região. No interior dos estados, estas pancadas de chuva tendem ocorrer principalmente à tarde e à noite e há risco de raios. Pode chover com moderada a forte intensidade. As áreas nordestinas que não devem ter chuva no…

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
11:07

A Agência Lupa, que verifica a veracidade de informações da internet, analisou uma lista de 31 ações que teriam sido concluídas pelo presidente Bolsonaro (PSL) nos três primeiros meses de gestão. Concluiu-se que somente sete ações são verdadeiras. 

Leia mais

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
11:02

Dnocs abre licitação para execução de obras do Ramal Piancó

O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas na Paraíba (Dnocs-PB) abriu edital para contratação de empresas para a realização das obras do Sistema Adutor Ramal do Piancó.

Esse ramal do projeto de integração vai levar águas do Eixo Norte da Transposição do Rio São Francisco para a bacia do Rio Piancó.

O aviso de licitação saiu no Diário Oficial da União desta terça-feira (16). A entrega de propostas das empresas interessadas está prevista para o dia 3 de junho deste ano, na sede do Dnocs-PB, localizado em João Pessoa.

Este ramal levará água para todas as cidades atendidas pelo Rio Piancó, que abastece diversas cidades do região do Sertão.

Fonte Assessoria

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
07:20

Evangelho (Mt 26,14-25): Um dos doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os sumos sacerdotes e disse: «Que me dareis se eu vos entregar Jesus?». Combinaram trinta moedas de prata. E daí em diante, ele procurava uma oportunidade para entregá-lo.

No primeiro dia dos Pães sem fermento, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: «Onde queres que façamos os preparativos para comeres a páscoa?». Jesus respondeu: «Ide à cidade, procurai certo homem e dizei-lhe: ‘O Mestre manda dizer: o meu tempo está próximo, vou celebrar a ceia pascal em tua casa, junto com meus discípulos’». Os discípulos fizeram como Jesus mandou e prepararam a ceia pascal.

Ao anoitecer, Jesus se pôs à mesa com os Doze. Enquanto comiam, ele disse: «Em verdade vos digo, um de vós me vai entregar». Eles ficaram muito tristes e, um por um, começaram a perguntar-lhe: «Acaso sou eu, Senhor?». Ele respondeu: «Aquele que se serviu comigo do prato é que vai me entregar. O Filho do Homem se vai, conforme está escrito a seu respeito. Ai, porém, daquele por quem o Filho do Homem é entregue! Melhor seria que tal homem nunca tivesse nascido!». Então Judas, o traidor, perguntou: «Mestre, serei eu?». Jesus lhe respondeu: «Tu o dizes».

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
07:13

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu um prazo de cinco dias para que o ministro Alexandre de Moraes apresente informações sobre o inquérito aberto para apurar ameaças e a disseminação de notícias falsas contra a Corte e seus integrantes – e que levou à censura de notícias jornalísticas publicadas na revista digital Crusoé e no site O Antagonista.

A decisão de Fachin foi tomada após a Rede Sustentabilidade acionar a Suprema Corte para derrubar a censura imposta aos dois veículos de imprensa.

O ministro Edson Fachin é o relator de uma ação em que o partido contesta a abertura do inquérito, sob a alegação de que o Ministério Público foi afastado da investigação criminal e que o processo “não indica quem são os potenciais investigados, cidadãos e autoridades terão suas vidas devassadas em procedimento investigatório abusivo”.

Fachin também abriu o prazo de cinco dias para que a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifeste sobre a remoção das notícias jornalísticas publicadas nos dois veículos.

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
07:10

 

“O baixo índice de representatividade das mulheres na vida política se deve a falta de educação de qualidade no Brasil.” Esta foi a conclusão da senadora Zenaide Maia, na manhã desta terça-feira (16) quando presidiu o debate, “A sociedade e a política – desafios para representar mais e melhor”, cujo foco foi o papel da mulher na representação social, promovido pela Comissão de Direitos Humanos com presença de especialistas no assunto.

Nos pronunciamentos, além da questão da educação, identificada pela parlamentar, foram apontadas causas como, a falta de motivação e incentivos ao engajamento de jovens brancas e negras em movimentos sociais e a falta de discussões sobre a importância da participação das mulheres na vida pública.

Foram citadas Alzira Soreano, a primeira mulher a eleger-se Prefeita da América Latina, na cidade de Lajes aos 28 anos de idade em 1932, Nísia Floresta, educadora escritora e poetisa e Maria do Céu, a primeira mulher a eleger-se Deputada, também do Rio Grande do Norte.

O Frei Davi dos Santos, da EDUCAFRO do RN, lembrou que muitas mulheres candidatas foram usadas criminosamente, como laranjas, na distribuição de quotas nas últimas eleições, ressalvando que também houve homens laranjas em vários partidos. Ele sugeriu que a CDH avalie todos os casos. Além de Frei Davi, participaram como convidadas, a deputada federal Áurea Carolina PSOL-MG, a Advogada Viviana Santiago de Pernambuco, a jornalista Joyce Ribeiro da TV Cultura – SP.

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
07:07

paulo guedes economista da campanha do candidato a presidencia do psl jair bolsonaro 1539361265927 v2 900x506 - Guedes diz que Bolsonaro entendeu preço do diesel e não vai intervir na Petrobras

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse hoje que o presidente Jair Bolsonaro entendeu como funciona a política de preços dos combustíveis da Petrobras e não vai mais interferir nela.

A informação foi confirmada pela porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros. “Bolsonaro disse que não quer e não tem direito de intervir na Petrobras”, afirmou.

As declarações foram dadas após uma reunião convocada pelo presidente para receber esclarecimentos sobre a política de preços. Além de Guedes, participaram o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e representantes da Petrobras e da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Na semana passada, as ações da Petrobras despencaram mais de 8% após a confirmação de que Bolsonaro ligou pessoalmente para a direção da Petrobras e a fez cancelar um aumento de 5,7% previsto para o preço do diesel. A atitude gerou críticas de especialistas do setor e fez a petroleira perder R$ 32 bilhões de seu valor de mercado.

Depois, o presidente declarou que não entende de economia e que o Brasil não pode continuar “com essa política de preços altos dos combustíveis”.

Leia Também:   Receita aciona PF após funcionários acessarem informações de Bolsonaro

Desde 2016, a Petrobras adota uma política de preços para seus combustíveis pela qual os valores praticados em suas refinarias no país devem seguir indicadores do mercado internacional, como cotação do barril de petróleo e valor do dólar.

“Diesel no meu chope”

Em entrevista após a reunião, Guedes disse que a Petrobras é independente para estabelecer preços e que Bolsonaro deixou claro entender que “seria fora de propósito manipular preços da estatal”.

O ministro afirmou que o presidente teria se preocupado com o fato de o aumento anunciado ficar muito acima da inflação acumulada. Por isso, teria ligado para a direção da Petrobras e reclamado: “estou comemorando 100 dias de governo, e vocês vêm jogar diesel no meu chope”.

Segundo o ministro, a interferência do presidente no aumento de preço teve uma “dimensão política”, tendo em vista que “o Brasil praticamente parou” por causa da greve dos caminhoneiros, no ano passado.

Questionado sobre o efeito da intervenção nas ações da Petrobras, Guedes disse que o presidente tem preocupações que vão além do mercado financeiro.

“A preocupação [com os caminhoneiros] é legítima. Agora, com a maior sinceridade ele disse: me explica esse negócio aí [a política de preços da Petrobras]”, disse o ministro.

Guedes: Diesel não é prioridade para caminhoneiro

Guedes afirmou que o governo já tomou medidas para atender as reivindicações dos caminhoneiros, sem intervir na política da Petrobras.

As medidas foram anunciadas pela manhã, em um pacote que inclui uma linha de crédito do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para os caminhoneiros e a liberação de recursos para obras em rodovias.

De acordo com o ministro, o preço do diesel não é prioridade dentre as reivindicações da categoria. Em uma lista com 13 pedidos, ele seria o penúltimo.

“Antes disso vinham as questões mais importantes, como segurança. O governo separou as coisas, e as preocupações dos caminhoneiros foram atendidas hoje de manhã”, disse.

Caminhoneiros que participaram da paralisação de 2018, porém, criticaram as medidas e não descartam novas paralisações. Segundo lideranças, as principais reivindicações da categoria –cumprimento do tabelamento do frete e redução do preço do diesel– não foram contempladas.

Em grupos de motoristas no WhatsApp,  o pacote foi visto como “cortina de fumaça” para adiar uma possível greve.

Fonte: Uol

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
07:01

 

greve dos caminhoneiros - Insatisfeitos com pacote de Bolsonaro, caminhoneiros discutem possibilidade de nova greve

Caminhoneiros não ficaram satisfeitos com o pacote de medidas anunciadas nesta terça-feira, 16, pelo governo Jair Bolsonaro para ajudar a categoria. Nos grupos de WhatsApp acompanhados pela reportagem, o plano foi visto como uma “cortina de fumaça”, uma forma de protelar uma possível greve dos motoristas. Alguns já falam, com exaltação, em nova paralisação em 21 de maio – exatamente um ano depois da greve que paralisou o País – caso a situação não melhore.

Os caminhoneiros afirmam que não estão pedindo dinheiro para o governo, mas sim melhores condições de trabalho.Nas discussões, eles afirmam que soluções como a linha de crédito para manutenção do caminhão, com taxas menores, já foi testada em outras ocasiões, mas não são colocadas em prática. Eles citam o cartão-caminhoneiro para compra de combustíveis, que não funciona para todo mundo. A grande reclamação é que a situação dos caminhoneiros está tão precária que poucos conseguiriam ter acesso ao crédito. Muitos, dizem eles, estão com o nome sujo na praça.

Além disso, pegar crédito agora seria decretar a morte dos motoristas em alguns anos. “Estão dando a corda para gente se enforcar”, dizia um deles. Logo após o anúncio da linha de crédito para profissionais autônomos, Wallace Costa Landim, conhecido como Chorão, um dos líderes dos caminhoneiros, disse que a medida agradava a categoria e até poderia evitar a greve, mas esperava uma manifestação de Bolsonaro para bater o martelo sobre a questão. “Inicialmente, claro que o pacote agrada (a categoria). Mas preferimos aguardar o que o presidente vai falar para comunicar oficialmente o posicionamento dos caminhoneiros”, diz o líder.

Fonte: Infomoney

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
06:56

Resultado de imagem para fotos do ex-governador ricardo coutinho 

Durante agenda em Campina Grande nesta terça-feira (16), o governador João Azevedo (PSB) comentou as especulações de uma possível candidatura do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) à Prefeitura de João Pessoa em 2020.

Ricardo publicou, no último final de semana, uma foto da campanha para prefeito de 2004, seguida por uma mensagem: “no momento desta foto, fazia minha primeira campanha para a Prefeitura de João Pessoa, em 2004. Desde aquela época já era movido pelo desejo de fazer a boa política e colaborar para a construção de uma Paraíba que olhasse para o futuro”.

João alimentou a conjectura e disse que Coutinho seria um bom nome para qualquer disputa. “Não tenha dúvida, Ricardo Coutinho é um bom nome para qualquer canto”, disse.

Já para  Campina Grande, o governador apontou que o PSB tem bons nomes, mas que só chegará a uma definição após análise mais aprofundada.

Via WScom

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
06:51

João lança edita para concurso com mil vagas para professores (Foto: Reprodução)

O governador João Azevêdo lança nesta quarta-feira (17), o edital do concurso público ofertando mil vagas para o magistério.

A solenidade acontece às 10h no Centro de Formação de Educadores, localizado na Rua Benevenuto Gonçalves da Costa, s/n, em Mangabeira.

A banca organizadora do concurso público da Educação é o Instituto AOCP. A informação foi obtida com exclusividade pelo portal ClickPB.

Entre as oportunidades do concurso do Estado, estão 72 vagas  para Artes; 150 vagas para Biologia; 68 vagas para Educação Física; 6 vagas para Filosofia; 47 vagas para Física; 72 vagas para Geografia; 78 vagas para História; 18 vagas para Língua Espanhola; 61 vagas para Língua Inglesa; 195 vagas para Língua Portuguesa; 199 vagas para Matemática; 28 vagas para Química e 6 vagas para Sociologia.

Via ClickPB

Publicado por: Chico Gregorio


17/04/2019
06:49

Resultado de imagem para fotos de deputado francisco do pt
Com 16 representações institucionais e da sociedade civil ligadas a recursos hídricos e meio ambiente, foi lançada nesta terça-feira (16), na Assembleia Legislativa do RN, a Frente Parlamentar das Águas, que tem como presidente o deputado estadual Francisco do PT.

O parlamentar propôs a criação de um calendário de eventos e a realização de um seminário para receber contribuições e aprofundar o debate.

Participaram também da reunião de instalação o deputado estadual Ubaldo Fernandes, os secretários estaduais José Maria Cavalcanti (SEMARH), Caramurú Paiva (IGARN), César Oliveira (EMATER), e representações do IDEMA, UFRN, UERN, SEDRAFFETARN, MST, FEMURN, ASA POTIGUAR, SEAPC, dentre outros. O deputado estadual Souza Neto, também integra a Frente das Águas.

Via Rosalie Arruda.

Publicado por: Chico Gregorio