12/02/2019
10:24

Resultado de imagem para fotos de chuvas fortesO semiárido da Paraíba terá chuvas isoladas entre os dias 12 e 16 de fevereiro, já entre os dias 17 e 24 de fevereiro terá início a estação chuvosa do Cariri, Sertão e Alto sertão do estado, prevê o físico, meteorologista e mestre em Meteorologia Rodrigo Cézar Limeira.

De acordo com o estudioso, a conjuntura indica boas chuvas para o semiárido do estado entre os dias 17 de fevereiro e 15 de março, ainda que de forma irregular devido à influência do fenômeno climático e oceânico El Niño de fraca intensidade.

Rodrigo Cézar reafirma a perspectiva de chuvas variando de normais a abaixo da média durante a quadra chuvosa de fevereiro a maio do semiárido paraibano e indica uso consciente da água para evitar o desperdício.

Em relação a maioria dos grandes açudes do interior do Estado, a perspectiva, conforme ele prever, é de recargas menores que em 2018, a exemplo de Coremas, Mãe d’ Água, Engenheiro Ávidos, Lagoa do Arroz, Cachoeira do Cegos, Engenheiro Arcoverde, Capivara e etc…

Em relação às lavouras o pesquisador prevê algumas perdas principalmente nas lavouras de milho em áreas do Cariri, Sertão e Alto-sertão da Paraíba.

Portal Ciência em Foco

 

Publicado por: Chico Gregorio


12/02/2019
10:16

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e atividades ao ar livre
Dois jovens estudantes do Educandário Santa Terezinha, da cidade de Caicó,  Lucas Pereira Medeiros, de 17 anos e João Victor de Azevedo Pereira, de 18 anos, foram aprovados para o curso de medicina na Universidade Federal de Caicó, além de colegas, amigos, os mesmo são primos.

Publicado por: Chico Gregorio


12/02/2019
10:00

O Estadão desta terça-feira (12), em editorial, pede a urgente posse constitucional do vice general Hamilton Mourão enquanto o presidente Jair Bolsonaro (PSL) convalesce no hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde 27 de janeiro. 

Leia mais

Publicado por: Chico Gregorio


12/02/2019
09:59

 

Via Esmael Morais.

O ministro do Meio Ambiente do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Ricardo Salles, em entrevista concedida ao programa Roda Viva, da TV Cultura, nesta segunda-feira (11), afirmou que do líder seringueiro Chico Mendes, reconhecido mundialmente por defender a floresta, é irrelevante.  

Leia mais

Publicado por: Chico Gregorio


12/02/2019
09:56

 

Via Esmael Morais.

O policial rodoviário Jerry Adriane Dias foi nomeado por Bolsonaro (PSL) para o cargo de diretor geral do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Antes ele era assessor do deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ), denunciado por fraudes em contratos do Detran-RJ. 

Leia mais

Publicado por: Chico Gregorio


12/02/2019
09:53

Em uma pequena sala, com duas mesas e nenhum maquinário para impressões em massa, a gráfica Itapissu, no Recife, amanheceu de porta aberta nesta segunda-feira (11), após a Folha revelar a ausência de sinais de que a empresa tenha trabalhado durante a eleição.

Reportagem deste domingo (10) mostrou que a candidata laranja Maria de Lourdes Paixão, 68, indicada pelo grupo do presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, declarou ter gastado R$ 380 mil de dinheiro público nessa gráfica a quatro dias da eleição, em outubro do ano passado.

Ela teve somente 274 votos, e não há nenhum sinal de que tenha realizado de fato campanha.

Na semana passada, a reportagem da Folha visitou primeiramente um endereço que consta na nota fiscal da Itapissu, no bairro Arruda, na capital pernambucana, e encontrou apenas uma oficina de carros, que funciona há quase um ano no local.

Funcionários da oficina disseram na ocasião que correspondências com nome da gráfica costumam ser entregues nesse imóvel.

O telefone informado na nota fiscal não existe.

Já outro endereço atribuído à gráfica, que consta em seus registros na Receita Federal e que foi visitado pela reportagem nesta segunda, esteve fechado em dois dias da semana passada, quando a Folhatambém foi ao local.

Maria de Lourdes Paixão virou de última hora candidata a deputada federal para preencher vagas de cota feminina e foi a terceira que mais recebeu dinheiro público do PSL em todo país, mais que o próprio presidente Jair Bolsonaro.

No imóvel informado na Receita, localizado no número 345 da avenida Santos Dumont, há um café instalado no térreo e um espaço para aulas de reforço. Não há máquinas para impressão de material de campanha.

Em entrevista à Folha na semana passada, o presidente do PSL, Luciano Bivar, que também é deputado federal por Pernambuco, afirmou que, se a reportagem fosse ao local, iria encontrar todas as máquinas. “Se não tiver máquina, você pode escrever que eu sou um mentiroso amanhã.”

Na manhã desta segunda-feira, na sala atribuída à gráfica havia apenas um homem. Ele não quis se identificar.

Questionado desde quando estavam instalados naquele local, disse, inicialmente, que a gráfica sempre funcionou lá. Após a Folhaquestioná-lo sobre a data precisa, afirmou que não falaria mais nada.

Ele também não quis informar se era funcionário ou dono da empresa. “Não vou falar nada. Ligue para o nosso advogado e ele vai informar tudo”, disse.

Procurado, o advogado Paulo José Canizzarro afirmou nesta segunda-feira que a sala poderia ser apenas o escritório da gráfica. “Não necessariamente é lá onde se roda o material. A Folha de S. Paulo deve rodar o jornal em outro lugar, por exemplo”, disse.

Questionado então sobre onde o material de campanha era impresso, não quis informar. Alegou que não tinha autorização do cliente para repassar essa informação.

O advogado comunicou que a empresa já emitiu uma nota oficial e que essa questão específica só será respondida no momento em que as autoridades competentes notificá-los.

Diferentemente de outra suspeita de candidaturas de laranjas do PSL, em Minas, no caso de Pernambuco não há nenhuma notícia de investigação em andamento a respeito.

Hospitalizado, o presidente Bolsonaro ainda não se pronunciou sobre o tema.

Ele tem feito declarações por meio de redes sociais, mas não comentou o assunto até o momento. Hamilton Mourão, vice-presidente da República, afirmou, no caso das candidaturas de Minas, que, se for verdade, “é grave”.

O caso de Minas envolve o atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que era o principal dirigente do PSL do estado.

Sergio Moro, ministro da Justiça, afirmou, também sobre o colega de ministério, que o caso será apurado “se surgir a necessidade”.

FOLHAPRESS

Publicado por: Chico Gregorio


12/02/2019
09:49

Dados divulgados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro indicam que a investigação sobre a movimentação financeira de Fabrício Queiroz, policial militar aposentado e ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), desacelerou de agosto a novembro do ano passado, período que compreende a campanha eleitoral.

Segundo histórico divulgado pela Promotoria, foram produzidos cinco relatórios financeiros de janeiro a 6 de agosto. Após isso, Queiroz foi notificado a depor apenas em 22 de novembro, três semanas depois do segundo turno da eleição.

Nesse intervalo, não há nenhuma outra movimentação relevante dos promotores formalizada no procedimento, segundo os dados divulgados.

A redução no ritmo da investigação no período eleitoral é corroborada ainda por relatório feito pelo promotor Cláudio Calo, no despacho em que se declarou suspeito para investigar Flávio.

O procedimento principal, aberto pelos promotores em 30 de julho, acumulava apenas 37 páginas até a eleição do filho do presidente Jair Bolsonaro ao Senado, em outubro. De novembro até a última terça-feira (5) foram produzidas mais de 300, além da inclusão de um pendrive e um DVD de conteúdo ainda desconhecido.

No início deste ano, em entrevista, o procurador-geral de Justiça do Rio, Eduardo Gussem, afirmou que, durante o período eleitoral, o Gaocrim (Grupo de Atribuição Originária Criminal), responsável pela apuração do caso, tinha como prioridade outras investigações que exigiam prisões.

De fato, no ano passado, foram realizadas cinco operações com a prisão de três prefeitos, dois presidentes de Câmaras Municipais e outras autoridades do estado —o Gaocrim investiga pessoas com foro especial. Quatro dessas operações ocorreram de julho a novembro.

Queiroz se tornou alvo de investigação, após o Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras) identificar em suas contas movimentação atípica de R$ 1,2 milhão de janeiro de 2016 a janeiro de 2017. Além do volume, chamou a atenção do órgão a forma usada para as operações: com saques fracionados e e depósitos de dinheiro vivo de alta quantia.

Esse relatório foi produzido em janeiro de 2018 a pedido do Ministério Público Federal no bojo da Operação Furna da Onça, que prendeu dez deputados estaduais. O pedido era que o Coaf informasse operações atípicas de funcionários da Assembleia local.

Contratado como motorista de Flávio, Queiroz foi identificado com outros 74 funcionários vinculados a 22 gabinetes de deputados estaduais. Não há informação pública sobre os demais 21 procedimentos. Investigadores relataram à Folha que a intenção era que todos tramitassem com o mesmo ritmo.

Segundo a Promotoria do Rio, o relatório do Coaf chegou à instituição em 3 de janeiro de 2018. Outros cinco levantamentos foram produzidos tanto pela Promotoria como pelo Coaf. O último deles, concluído em 10 de maio, faz um estudo específico sobre as movimentações de Queiroz. A portaria que instaurou a investigação foi publicada apenas dois meses após a entrega dessas informações.

O último movimento pré-eleitoral ocorre em 6 de agosto, quando a Promotoria recebeu mais um relatório do Coaf. Tanto o relatório de Calo quanto o histórico feito pela Promotoria não apontam nenhuma outra movimentação relevante até 22 de novembro, quando o procedimento ganha nova dinâmica.

Naquela data, Queiroz foi notificado pela primeira vez a depor. O ex-assessor de Flávio faltou a esse e a outros dois depoimentos marcados. Também não compareceram os parentes do PM aposentado bem como outros ex-assessores do senador. O próprio Flávio, então deputado, não foi à Promotoria prestar esclarecimentos.

O Gaocrim pediu ainda no dia 14 de dezembro a produção de um relatório ampliado ao Coaf, abrangendo janeiro de 2007 a dezembro de 2018. Os alvos eram Flávio, Queiroz, Nathalia Queiroz, Evelyn Queiroz (ambas filhas do ex-assessor), Márcia de Oliveira Aguiar (mulher de Queiroz) e outros investigados.

O procedimento foi suspenso no dia 17 de janeiro, por liminar do ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal) —a investigação agora foi liberada pelo Supremo.

O mesmo Gaocrim que analisava a movimentação financeira do ex-assessor de Flávio decidiu arquivar em maio um procedimento que investigava as operações imobiliárias do senador. Nesta apuração, ele entregou declarações de renda que, na avaliação da Promotoria, indicavam a origem dos recursos para as operações.

FOLHAPRESS

Publicado por: Chico Gregorio


12/02/2019
09:21

José Aldenir / Agora RN

João Maria Cavalcanti, titular da Semarh

Em audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte nesta segunda-feira, 11, o titular da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), João Maria Cavalcanti, afirmou que o Governo montou um projeto para recuperar sete barragens que estão em condições precárias pelo estado.

O projeto foi preparado com base em um mapa estratégico divulgado pela Agência Nacional das Águas (ANA). Segundo João Maria Cavalcanti, há R$ 2 milhões no Orçamento deste ano destinado exclusivamente para as obras de recuperação destes equipamentos, embora boa parte deles esteja seco ou com baixo volume de água.

O relatório da ANA apontou risco de desabamento nas barragens Barbosa de Baixo (Caicó), Riacho do Meio (Equador), Passagem das Traíras (Jardim do Seridó), Marechal Dutra – Gargalheiras (Acari) e Calabouço (Passa e Fica). O representante do Governo não deu um prazo para o início das obras nos locais.

Publicado por: Chico Gregorio


12/02/2019
09:16

 

José Aldenir / Agora RN
Governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra

O juiz Marcus Vinícius Pereira Júnior, da 2ª Vara da Comarca de Currais Novos, determinou nesta segunda-feira, 11, ao Governo do Estado que obedeça a ordem cronológica de pagamentos do funcionalismo público. Com isso, a gestão da governadora Fátima Bezerra está proibida de pagar folhas de 2019 em detrimento do passivo existente.

Há quatro folhas salariais abertas parcial ou totalmente: novembro e dezembro de 2018 e 13° salário de 2017 e 2018. A despeito disso, o novo governo – que assumiu em 1° de janeiro – priorizou no mês passado o pagamento da folha de janeiro. Nesta segunda-feira, 11, dando sequência ao calendário de pagamentos divulgado, servidores que ganham acima de R$ 6 mil receberam 30% dos seus salários de fevereiro antecipadamente. O governo tem dito que não tem previsão de quando vai quitar o passivo.

A decisão de Marcus Vinícius atende a pedido do vereador Ezequiel Pereira da Silva Neto, de Currais Novos. “Servidores nomeados em 2019 estão tendo seus salários adiantados em detrimento dos demais, que permanecem percebendo em atraso (…). Esta antecipação, além de injustificável a esses servidores e à própria governadora, causa prejuízo ao erário público”, assinalou o vereador, na peça encaminhada à Justiça.

Na decisão, o juiz disse que “as dívidas do Estado do Rio Grande do Norte não são vinculadas aos gestores Robinson Faria [ex-governador] ou Fátima Bezerra, mas sim ao próprio Estado do Rio Grande do Norte”. Por causa disso, o pagamento de folhas atuais em detrimento das atrasadas seria uma prática “ilegal”.

O juiz escreveu ainda que o descumprimento das determinações implicará na suspensão de despesas com o pagamento de cargos em comissão e funções de confiança. “Caso comprovado o descumprimento da decisão judicial, será possível a imediata determinação de suspensão dos contratos que gerem pagamento de cargos em comissão e funções de confiança”, finalizou.

Via Agora RN

Publicado por: Chico Gregorio


11/02/2019
17:53

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN) respondeu consulta formulada pela Controladoria Geral do Estado e considerou que o pagamento fracionado dos salários dos servidores públicos é legal, desde que os valores sejam pagos durante o mês trabalhado e o pagamento seja feito de forma indistinta para todos, sem priorizar um grupo ou categoria em detrimento de outro. Segundo o…

Publicado por: Chico Gregorio


11/02/2019
17:40

Resultado de imagem para fotos Bloco Se Brincar Eu Pego lança 4ª edição no próximo sábado em Ponta NegraA pouco menos de um mês da festa mais popular do Brasil e uma das mais animadas e coloridas do ano que é o Carnaval, tem um bloco que já está a todo vapor, preparado e cheio de vontade para cair na folia pelas ruas de Ponta Negra. No próximo dia 16, para agitar ainda mais a ansiedade dos foliões, acontece o lançamento da 4ª edição do bloco Se Brincar Eu Pego, no Catita Praia – localizado na Avenida Roberto Freire, a partir das 17h. O único bloco de Natal com bebida free durante todo o percurso.

Para a festa de lançamento, a organização convida as bandas Felipe Toca e Jonathan Costa & Banda. Exclusivamente nesse dia, 16 de fevereiro, os vouchers que darão direito à camiseta do bloco estarão com valor especial de apenas R$ 80. Quem fizer a compra no local, além de aproveitar o preço promocional, ainda terá acesso livre à festa. Mas, para aqueles que pretendem participar só da festa de lançamento e ainda não se decidiu, o valor da entrada custará R$ 20.

Já a partir do dia 18 de fevereiro, a venda das camisas passa a ser realizada na Arituba Turismo e no Eugenio Café – Shopping Cidade Jardim durante o horário comercial e a noite no Catita Praia. A unidade do primeiro lote vai custar R$ 100. Corra e adquira a sua camisa, pois a animação do carnaval o bloco garante!

Bloco Se Brincar Eu Pego

A folia do seu carnaval com a certeza de muito brilho, alegria e frevo! Pelo quarto ano consecutivo, o bloco Se Brincar Eu Pego, dirigido pela advogada Lígia Limeira, o publicitário Jener Tinôco e o empresário Habib Chalita, é considerado um dos mais animados do Carnaval de Natal e o único que oferece Open Bar aos participantes com: whisky 8 anos, cerveja, refrigerante e água durante o percurso.

O bloco sai no domingo de carnaval, 3 de março, com concentração no Catita Praia, a partir das 14h e segue pelas ruas do bairro no fim da tarde. Mais detalhes em breve!

Se Brincar Eu Pego tem o patrocínio da Prefeitura Municipal de Natal, Lei Djalma Maranhão, Interfort, Arituba Turismo, PG Prime, Reserva Bonfim Condomínio Clube, Eugenio Café, Armação Propaganda, Platinum Produções e Daya.

Publicado por: Chico Gregorio


11/02/2019
17:32

Em novembro passado, a ministra Rosa Weber, do STF, negou pedido de arquivamento da investigação feito pelo senador e autorizou a quebra de sigilo bancário do contador da campanha de Davi, Rynaldo Gomes, e de sua empresa, a R.A.M. Gomes. (Foto: arquivo)

Alvo de três ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) envolvendo supostas fraudes na campanha de 2014, o novo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), usou empresas da família e do contador e presidente do comitê financeiro do partido para justificar gastos de R$ 763 mil que estão sob suspeita.

Em novembro passado, a ministra Rosa Weber, do STF, negou pedido de arquivamento da investigação feito pelo senador e autorizou a quebra de sigilo bancário do contador da campanha de Davi, Rynaldo Gomes, e de sua empresa, a R.A.M. Gomes. Gomes recebeu R$ 478 mil da candidatura do senador e do comitê do DEM – as contabilidades de ambos são controladas por ele. Os inquéritos estão em segredo de Justiça.

Gomes é peça central tanto nas ações no TSE, que pedem a cassação de mandato de Davi por abuso de poder econômico, quanto nos inquéritos no STF, que investigam suposto crime de falsidade ideológica. Ele é acusado de ter usado cinco notas frias no valor de R$ 157 mil em nome da empresa L.L.S. Morais-ME na prestação de contas da campanha de Davi e de ter falsificado documento da Prefeitura de Macapá para tentar regularizar a contabilidade.

Uma quebra de sigilo parcial feita ainda durante investigação no âmbito do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) constatou que R$ 34 mil referentes a serviços prestados pela L.L.S. foram transferidos para a conta bancária de Gomes. A apuração teve origem em três ações eleitorais movidas pelo ex-senador Gilvam Borges (MDB-AP) – aliado de José Sarney, derrotado por Davi -, pela coligação e partido dele.

O TRE-AP indeferiu o pedido de cassação de mandato em 2016 entendendo que a participação ou ciência de Davi sobre a fraude não foi comprovada e determinou que o crime de falsidade ideológica fosse apurado em uma ação penal, aberta naquele ano. Três recursos foram apresentados ao TSE e estão desde agosto do ano passado no gabinete do ministro Edson Fachin.

Em abril do ano passado, o vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros, defendeu em três pareceres a cassação do mandato de Davi e dos dois suplentes – um deles, Josiel Alcolumbre, é irmão do senador. O procurador afirmou que “restou comprovada a contaminação da campanha eleitoral” de Davi pelas “ações ilícitas em tratativa”. E, segundo ele, é “impossível desvincular” dos candidatos a figura de Gomes, contador responsável pela prestação de contas, fornecedor de campanha e presidente do comitê financeiro do DEM.

Via Notícias ao Minuto.

Publicado por: Chico Gregorio


11/02/2019
17:28

Estava com a licença de operação em dia, válida até 2023. Conforme registro na Anac, a aeronave foi fabricada em 1975 pela Bell Helicopter. (Foto: arquivo)

O helicóptero que caiu em São Paulo, matando o jornalista Ricardo Boechat, era operado pela empresa de táxi-aéreo RQ Serviços Aéreos Especializados.

Estava com a licença de operação em dia, válida até 2023. Conforme registro na Anac, a aeronave foi fabricada em 1975 pela Bell Helicopter.

A queda foi registrada por volta das 10h da manhã, em um dos rodoanel da região metropolitana de São Paulo.

No acidente, o piloto da aeronave também veio a óbito.

Na queda, o helicóptero atingiu um caminhão, que teve a cabine completamente destruída. O motorista ficou preso nos escombros e foi socorrido às pressas.

Via ClickPB

Publicado por: Chico Gregorio


11/02/2019
17:16

 

Via Esmael Morias.

O presidente do PSL, Luciano Bivar, e o ministro da
Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, então promovendo um “jogo de empurra” sobre a candidatura laranja do partido. 

Leia mais

Publicado por: Chico Gregorio


11/02/2019
17:15

 

Via Esmael Morias.

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) afirmou nesta segunda-feira (11), no Twitter, que vai representar contra o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, por crime improbidade administrativa por causa da arapongagem sobre a Igreja Católica.   

Leia mais

Publicado por: Chico Gregorio