08/06/2019
08:00

O governo Donald Trump proibiu embaixadas dos Estados Unidos no exterior, inclusive no Brasil, de hastearem a bandeira do orgulho LGBT em seus mastros durante o mês de junho, que é dedicado a essa comunidade.

A informação é da emissora NBC, que cita três diplomatas americanos. O governo de Barack Obama havia concedido uma permissão generalizada para embaixadas exibirem o estandarte do arco-íris, mas o Departamento de Estado revogou essa decisão.

A NBC cita as embaixadas em países como Brasil, Alemanha, Israel e Letônia como exemplos. A medida vai de encontro à campanha lançada pela Casa Branca para descriminalizar a homossexualidade em todos os países e a uma recente declaração de Trump, que reconheceu a “extraordinária contribuição” do público LGBT.

As bandeiras, no entanto, poderão ser expostas em outras áreas internas e externas das embaixadas.

Ansa

Publicado por: Chico Gregorio


08/06/2019
07:59

Ex-motorista de Alexandre Frota, Marcelo Ricardo Silva afirma que foi usado como laranja pelo deputado federal do PSL.

Em depoimento ao Ministério Público de São Paulo, Marcelo disse que assumiu, a pedido do atual parlamentar, a titularidade de duas empresas que eram de Frota em troca de promessas de compensações.

Afirmou também que recebia, por orientação do deputado, pagamentos de terceiros e os repassava para a mulher de Frota.

Vice-líder do PSL na Câmara, Frota se tornou um dos protagonistas do partido do presidente Jair Bolsonaro na Casa, com disputas frequentes na articulação política do governo e para impulsionar projetos como a reforma da Previdência.

À Folha o ex-motorista de Frota reafirmou o que disse ao Ministério Público e fez novas acusações.
Afirmou que trabalhou na campanha eleitoral do parlamentar e que foi pago por empresários amigos de Frota, recursos que não foram declarados à Justiça Eleitoral.

Marcelo chegou a ser lotado no gabinete de Frota por cerca de 20 dias em fevereiro, mas foi exonerado no final daquele mês.

Procurado, Frota negou irregularidades e se disse vítima de “práticas de ameaças e extorsão.”

“Dessas condutas criminosas, em março de 2019, o deputado lavrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil de Cotia (SP) e uma representação perante a Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados (razão porque o mesmo está proibido de lá adentrar)”, respondeu o parlamentar, em nota.

O depoimento de Marcelo foi prestado em 28 de maio de 2019. Nele, o ex-funcionário relata uma relação de serviços a Frota que remonta a 2017, quando os dois teriam sido apresentados por um amigo em comum.

De acordo com o que disse Marcelo ao Ministério Público paulista, Frota lhe conseguiu um emprego na TV Nova Cidade e naquele mesmo ano pediu que ele entrasse como dono em duas empresas: a F. R. Publicidade e Atividades Artísticas e a DP Publicidade Propaganda e Eventos Ltda.

“Ele [Frota] falou: eu tenho essas duas empresas minhas. Vou passar para o teu nome, e vou te dar uma porcentagem. Eu falei beleza, tá bom, crente que ia ganhar alguma coisa”, disse Marcelo à Folha.

Registros na Junta Comercial de São Paulo revelam que as duas empresas estavam no nome de Frota e foram transferidas para Marcelo.

A entrada de Marcelo no quadro societário da DP Publicidade ocorreu em julho de 2017. Na F. R. Publicidade, o ex-motorista se tornou um dos sócios em março de 2018.

O parlamentar alega que “as opções empresariais” com seu ex-funcionário “foram lícitas”. “Toda a relação com o mesmo anteriormente a 2019 foi privada”, justificou, também em nota.

No relato do ex-funcionário ao Ministério Público, o primeiro problema da sua relação com Frota ocorreu em 2018. À época, diz, ele já não prestava serviços à TV Nova Cidade e havia recém-concluído um trabalho em uma empresa de telecomunicações.

Ao pedir o seguro-desemprego, Marcelo diz que teve o benefício negado em razão de constar como sócio das empresas.

Segundo o ex-motorista, ao informar Frota sobre o problema, o agora parlamentar lhe prometeu uma compensação de R$ 10 mil. Marcelo afirma que nunca recebeu o valor.

Ele contou ainda ao promotor de Justiça que seguiu prestando serviços de motorista para Alexandre Frota.

Por orientação de Frota, disse Marcelo, ele repassava à mulher do agora deputado, Fabiana, valores que recebia de terceiros e cuja origem desconhecida.

O ex-motorista disse que os depósitos que ele fez na conta da esposa de Frota chegaram a cerca de R$ 70 mil.

“Ele [Frota] não falava em dinheiro. Dizia que vai ter um show e estou precisando dos ingressos. O Frota mandava eu cobrar os ingressos. Um cara do Rio de Janeiro já sabia que era o dinheiro que tinha que depositar. Ele depositava picado”, disse Marcelo à Folha.

“Caía na minha conta e ele passava: ‘os ingressos já foram emitidos.’ Eu já sabia que era para ir no banco sacar o dinheiro e transferir para a esposa dele [Fabiana]”, acrescentou.

À Folha Marcelo contou ter trabalhado para Frota também durante a campanha. De acordo com ele, depois de realizar suas tarefas como motorista da família do então candidato, o agora deputado o orientava a fazer panfletagem.

Em um áudio encaminhado por Marcelo à Folha, o deputado lhe pergunta sobre a “operação distribuição de santinho”. “Distribuiu o santinho? Como está a operação distribuição de santinho?”, diz Frota na mensagem de voz.

Segundo o ex-funcionário, no período ele passou a ser remunerado por dois empresários amigos do deputado, um dono de uma concessionária em São Paulo e o outro diretor de uma escola.

“Eu recebi [durante a campanha] o salário diretamente do empresário, quem tinha que pagar era o empresário”, disse.

Frota assinou um contrato com o diretor-geral do colégio Canello Marques Eireli, Samerson Canello Marques, pelo qual a escola se comprometeu a pagar ao deputado R$ 12,5 mil em troca de uma palestra, para alunos do ensino médio, sobre “drogas e dependência química.”

Marcelo afirma que o contrato foi feito para justificar o pagamento do seu salário.

À Folha Samerson Canello disse que Frota deu de fato a palestra no colégio e que o valor acertado com o parlamentar pelo evento foi pago em parcelas ao longo de 2018.

No entanto, ele disse que, a pedido de Frota, os depósitos foram feitos na conta de Marcelo Ricardo Silva. As parcelas pagas pelo diretor da escola ao ex-motorista variaram de R$ 1.500 a R$ 2.500.

O deputado, por sua vez, nega que Marcelo tenha exercido qualquer atividade relacionada à sua campanha eleitoral.

“Da pretensa relação em campanha: não houve, pois [Marcelo Silva] nunca atendeu a campanha eleitoral. De outro modo, a sua relação era trabalhista, como motorista, com registro em carteira, para atendimento doméstico, de Alexandre [Frota] e de sua família”, disse.

Frota diz que demitiu Marcelo “em razão de insubordinação e condutas inadequadas.” Ele disse ainda que seu ex-funcionário “ligou para dezenas de pessoas do relacionamento pessoal de seu ex-chefe, com discurso vitimista.”

“Há todas as provas disso, que serão encaminhadas ao Ministério Público para providências. Mesmo porque, o deputado representará criminalmente contra Marcelo Ricardo Silva”, afirma Frota.

Marcelo vê a história de outra maneira. “Enquanto eu recebi dinheiro na minha conta como caixa 2 na campanha, aí eu servi. As duas empresas dele que constam no meu nome, para isso eu servi”, disse o ex-motorista à Folha. “Agora eu não presto mais?”

FOLHAPRESS

Publicado por: Chico Gregorio


08/06/2019
07:57

O governo Jair Bolsonaro já contabiliza votos suficientes na Câmara dos Deputados favoráveis à reforma da Previdência. Por ser uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), são necessários ao menos 308 votos entre os 513 deputados, três quintos da Casa. Estimativas da equipe de articulação do governo dão conta de ao menos 320 votos, mas a contabilidade mais otimista já ultrapassa os 330 deputados.

O “eleitorado” da reforma vai do deputado governista fiel ao opositor consciente da necessidade da reforma, passando pelo “centrão light”.

O placar da reforma da Previdência na CCJ da Câmara deu 72% dos votos favoráveis (48 de 66) à proposta do governo Bolsonaro.

Dados do governo confirmam levantamento de consultorias: de 117 a 140 serão os votos contra reforma só porque é proposta de Bolsonaro.

Publicamente, ao menos 230 deputados federais já declararam votos favoráveis à reforma. Os demais fazem silêncio para driblar a patrulha.

DIÁRIO DO PODER

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
12:30

 

O Município de Caicó está reiniciando os trabalhos para a construção do novo terminal rodoviário de Caicó, que fica localizado no bairro Nova Caicó, cujo projeto se arrasta desde 2007 e já são doze anos de espera e que agora na gestão Batata, o projeto está sendo viabilizado.

Nesta sexta-feira (07), chegou o material que será usado para dar continuidade a execução da obra da rodoviária e os trabalhos serão retomados na próxima segunda-feira (10).

O prefeito de Caicó, Robson de Araújo (Batata) destaca que essa obra estava completamente abandonada. “Foram meses de intenso e difícil trabalho da equipe de convênios e projetos, onde acompanhei de perto e tive em diversas reuniões na Caixa Econômica, em Natal. Refizemos os projetos, aprovamos na Caixa, fizemos a licitação e agora após outras adequações iremos retomar essa obra e vamos avançar para concluí-la”, disse o prefeito Batata.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
12:15

“Eu sou uma pessoa do diálogo, pode ter certeza disso.” Depois, disparou: “Acho que estou apaixonado por você” (Foto: Reprodução)

Em entrevista nesta quinta-feira (6), após encontro com o presidente argentino Maurício Macri, Jair Bolsonaro interrompeu a repórter da Folha de S.Paulo, Sylvia Colombo, para dizer que está “apaixonado” por ela.

Ao ser questionado sobre a entrega de credenciais diplomáticas a embaixadora da Venezuela que foi proclamada pelo líder oposicionista Juan Guaidó, Bolsonaro interrompeu a jornalista, dizendo que recebeu as credenciais e que “tudo havia sido acertado comigo”. “Eu sou uma pessoa do diálogo, pode ter certeza disso.” Depois, disparou: “Acho que estou apaixonado por você”.

A repórter então respondeu: “É? Eu sou da Folha de S.Paulo. Novidade para você”, ao que Bolsonaro, rindo, em momento de descontração, completa: “Parabéns à Folha. Contratou alguém que sabe fazer perguntas”.

A jornalista tuitou o vídeo do momento e indagou: “Hoje me aconteceu isso… interpretem!”

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
12:10

Resultado de imagem para fotos Caicó ganhará exposição permanente sobre a Festa de Sant'Ana e sediará Encontro de Doceiras do Seridó

A Collecione foi contemplada no Edital de Economia Criativa do Sebrae-RN com o projeto “Exposição Permanente da Festa de Sant’Ana de Caicó”. Segundo o publicitário Fred Costa, a Collecione sempre destacou os valores culturais do evento e “chegou a hora de condensar todos esse conteúdo em uma exposição, que fique disponível aos turistas que visitam Caicó de janeiro a dezembro”.

A Festa de Sant’Ana de Caicó é considerada Patrimônio Imaterial do Brasil pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. A exposição será montada pela Collecione em parceria com a Referência Comunicação e a Paróquia de Sant’Ana e será inaugurada na Festa de Sant’Ana desse ano. “A ideia é que a exposição faça nascer o Memorial da Festa de Sant’Ana”, ressaltou Diego Vale, diretor da Referência.

Caicó também foi contemplada no Edital do Sebrae com o projeto “Encontro de Doceiras do Seridó”, com previsão de realização em setembro, inscrito pela JK Promoções e Eventos. O evento será um desdobramento do projeto do Museu Virtual Doces do Seridó, idealizado pela pesquisadora Maria Isabel Dantas. O Museu é fruto de uma pesquisa iniciada em 2010, intitulada “Doçaria Seridoense: um patrimônio cultural alimentar”.

A parceria com o Sebrae viabilizará um encontro das principais doceiras do Seridó e a programação incluirá comercialização e degustação dos produtos, feira de artesanato, lançamento de publicações, palestras, debates acadêmicos e apresentações culturais. O evento também contará com a parceria da Referência Comunicação.

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
12:07

A senadora Zenaide Maia considera que o novo marco de saneamento básico, aprovado nesta quinta-feira (06), pelo Senado, ao abrir caminho para a exploração privada nos serviços de saneamento no país, possa deixar que os pequenos municípios fiquem sem água tratada e esgotamento sanitário. “No meu Estado, são 167 municípios e só uma pequena parte deles são autossuficientes. No caso de privatização, as empresas visam só o lucro e se o município não der lucro, é claro que não haverá interesse”, ressaltou a senadora.

O Projeto de Lei do Senado 3.261/19 atualiza o marco legal do saneamento básico, definindo novas regras para o setor. Pelo texto aprovado, a Agência Nacional de Águas (ANA) deverá estabelecer normas de referência e essas regras devem “estimular a livre concorrência, a competitividade, a eficiência e a sustentabilidade econômica na prestação dos serviços”, buscando “a universalização e a modicidade tarifária”.

“Todos somos a favor da universalização dos serviços básicos, mas temos que ter claro que água não é mercadoria. Meu temor é que, mais uma vez, as pequenas cidades sejam deixadas de fora.  Além disso, nada garante que os funcionários das empresas de saneamento, que são concursados, mas celetistas, vão manter seus empregos”, destacou a senadora, durante a discussão do projeto no Plenário.

Zenaide também lamentou a celeridade com que a proposta foi levada ao Plenário, menos de 72 horas depois de apresentada, sem um aprofundamento das discussões sobre o tema.

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
12:05

Estão abertas até 10 de junho as inscrições para o Exame de Seleção 2019.2 da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ). As vagas são para cursos técnicos na modalidade subsequentes em Agroindústria, Agropecuária e Aquicultura.

Para fazer a inscrição, o interessado deve preencher e entregar a ficha de inscrição (disponível no site www.eaj.ufrn.br) na Sala da Assessoria Politica e Acadêmica, localizada no prédio da Diretoria da EAJ, em Macaíba/RN, das 8 horas ao meio dia.

Podem se inscrever, alunos que concluíram o Ensino Médio até junho de 2019 e que possuam declaração, certificado e/ou histórico escolar.

Há reserva de metade das vagas para quem cursou o Ensino Médio integralmente em escolas públicas. Dessa parte, 50% é destinado a candidatos cuja renda familiar bruta é igual ou inferior a um salário mínimo e meio. Também há reserva para autodeclarados pretos, pardos e indígenas.

A EAJ também dispõe de auxílios de Assistência Estudantil aos alunos regularmente matriculados em cursos técnicos presenciais. Estão disponíveis bolsas de alimentação, transporte e moradia.

As provas serão aplicadas dia 16 junho de 2019, das 14:00 às 17:00, no Setor de aulas da Graduação na EAJ. Serão compostas por 10 questões objetivas, contextualizadas nas Ciências Agrárias, abordando conteúdos de Língua Portuguesa e Matemática de nível fundamental e por um tema para a elaboração de uma Redação.

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
12:03

O diretor geral do IDIARN, Mário Manso, acompanhado do Diretor da Disav/Idiarn, Magnos Lacerda, entregou ontem (05), o projeto de expansão da área livre da mosca-das-frutas ao superintendente do ministério da agricultura no RN, Roberto Papa, na presença do presidente do Coex e Abrafruta, Luiz Roberto Barcelos.

O projeto trata da proposta de ampliação da Área Livre da Praga Mosca-das-fruta (Anastrepha grandis) – ALP, hoje composta pelos municípios de Mossoró, Tibau, Grossos, Areia Branca, Serra do Mel, Baraúna, Assú, Afonso Bezerra, Alto do Rodrigues, Ipanguassu, Porto do Mangue e Upanema, que hoje atinge uma área de 8.409 km².

A expansão visa a inclusão dos municípios de Apodi, Governador Dix-Sept Rosado, Felipe Guerra, Caraúbas, Macau, Pendências, Jandaíra e Pedro Avelino na área livre da praga Mosca-das-fruta (Anastrepha grandis), com o objetivo de atender as exigências dos países importadores que caracterizam a espécie como praga quarentenária, impondo assim restrições fitossanitárias às importações de frutos de melão, melancia, abóbora e pepino.

Com a ampliação a área passa para 15.077 km², praticamente dobrando a área produtora apta exportar.

“É um projeto de suma importância para a economia do Estado, onde existe a perspectiva da abertura do mercado Chinês para o melão Potiguar, incentivando um novo ciclo de geração de empregos” afirmou Mario Manso.

fonte:Assessoria de Imprensa Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
11:46

Resultado de imagem para dada costa samanau
Vitrines 
O empresário seridoense Dadá Costa, Samanaú, está participando da Bio Brazil Fair – Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia, no Anhembi – SP.
A feira é considerada o maior evento de negócios de produtos orgânicos da América Latina.
Na sexta (07), já em Belo Horizonte, Dadá vai visitar a vitrine mundial da cachaça, na ExpoCachaça.
Via Rosalie Arruda.

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
11:43

Rodrigo-Maiapresidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, criticou nesta sexta-feira (7) a proposta de moeda única entre Brasil e Argentina, batizada por Bolsonaro e Paulo Guedes de “peso-real”. No Twitter, o parlamentar comentou: “Será? Vai desvalorizar o real? O dólar valendo R$ 6,00? Inflação voltando? Espero que não”.

Durante reunião com empresários na visita oficial a Argentina, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia Paulo Guedes falaram sobre a possível criação de uma moeda única entre os países, chamada “peso-real”. O país vizinho se mostrou interessado. A ideia, no entanto, não é nova. Apesar de já ter sido muito discutida em governos anteriores, ela não chegou a ser efetivada.

O Banco Central do Brasil divulgou um esclarecimento nesta sexta-feira, dizendo que “não tem projetos ou estudos em andamento para uma união monetária com a Argentina”. “Há tão somente, como é natural na relação entre parceiros, diálogos sobre estabilidade macroeconômica, bem como debates acerca de redução de riscos e vulnerabilidades e fortalecimento institucional”, escreveu.

Via Esmael Morias.

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
11:39

Depois de desferir críticas e bloquear o orçamento das universidades públicas federais, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse nesta quinta-feira, 6, que o crescimento do ensino superior no Brasil será pela rede privada. Ele defendeu ainda o fortalecimento e mais liberdade para a atuação das faculdades particulares.

“Existe espaço para as universidades federais, para as estaduais, mas olhando para o Brasil dos próximos anos é muito claro que não há condição do atual estado de contas do setor público, de nós sociedade, pagadores de imposto, atender a essa demanda (do ensino superior)”, disse durante a abertura do Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular, em Belo Horizonte.

“Queremos que a sociedade possa buscar sua felicidade, seus sonhos. Isso só é possível com um ensino superior baseado fortemente na iniciativa privada e livre”, afirmou Weintraub após destacar que o Ministério da Educação (MEC) quer a “liberdade” do setor e que vai trabalhar para reduzir as regras que hoje existem na área.

“Esse governo defende o viés liberal na economia e conservador nos costumes. Se há duas pessoas honestas tendo uma relação econômica livre, porque alguém tem que interferir? Para quê criar um monte de regras entre uma pessoa que quer estudar e um grupo que quer ensinar?”, defendeu o ministro.

Questionado sobre quais regras pretende alterar e como pretende dar mais liberdade para a rede privada de ensino, o ministro não respondeu. Durante o discurso, Weintraub disse apenas de forma genérica que quer uma regulação menos rígida.

“Nós acreditamos que a maioria dos brasileiros são de boa fé. Quem está livre, com CPF e nomes limpos, é uma pessoa de boa fé e vai ser tratada assim no MEC. Quem tiver má fé, a Justiça é quem vai cuidar delas”, disse.

Em sua fala, voltada para donos e dirigentes de faculdades particulares, Weintraub fez uma previsão otimista para a economia brasileira para os próximos meses. Segundo ele, com a agenda atual, que segue a “ciência econômica”, o País deve chegar ao fim do ano com crescimento de 3% do PIB. “Ao passo que abandamos essas besteiras do desenvolvimentismo, o Brasil vai migrar para o seu potencial econômico e nenhum setor vai crescer tanto quanto o de serviços, especialmente o da educação”, disse.

ESTADÃO CONTEÚDO

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
11:36

 

José Aldenir / Agora RN

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), foi às redes sociais para esclarecer que não faz parte do grupo de governadora que assinou uma carta em apoio à reforma da Previdência na última quinta-feira, 6. Em seu twitter, a petista reforçou sua posição como integrante do grupo de chefes do Executivo do Nordeste, que assinaram uma carta repudiando diversos pontos da proposta.

“Não assinei nenhuma carta de apoio à Reforma da Previdência. Estou disposta a cooperar, a trabalhar pelo bem comum e pelo progresso de um país que não suporta mais os venenos da recessão. Por outro lado, assinei a Carta dos Governadores do Nordeste, que compartilho agora”, disse a governadora, disponibilizando a carta para seus seguidores no Twitter.

Um grupo de 25 governadores divulgou, na última quinta-feira, 6, um carta pública em apoio à manutenção de estados e municípios na reforma da Previdência. A mídia nacional havia veiculado que apenas os governadores da Bahia e do Maranhão haviam ficado de fora do endosso, o que provocou a governadora do Rio Grande do Norte a se posicionar.

O assunto tem gerado impasse na Câmara dos Deputados, onde tramita a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 6/2019), e governadores têm se articulado para pressionar o Congresso Nacional a incluir o tema na proposta.

Segundo a carta, o déficit nos regimes de aposentadoria e pensão dos servidores estaduais, que hoje atinge aproximadamente R$ 100 bilhões por ano, poderá ser quadruplicado até 2060, conforme estudo da Instituição Fiscal Independente (IFI), do Senado Federal. Os governadores defendem que as regras de aposentadoria sejam as mesmas em todo território nacional. Por outro lado, parlamentares argumentam que a matéria deve ser tratada por cada ente da federação.

“Atribuir aos Governos estaduais e distrital a missão de aprovar mudanças imprescindíveis por meio de legislação própria, a fim de instituir regras já previstas no projeto de reforma, que ora tramita no Congresso, não apenas representaria obstáculo à efetivação de normas cada vez mais necessárias, mas também suscitaria preocupações acerca da falta de uniformidade no tocante aos critérios de Previdência a serem observados no território nacional”, aponta a carta.

De acordo com o documento divulgado, as regras gerais para a organização e o funcionamento dos regimes próprios de Previdência Social dos servidores públicos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, “é uma realidade que vigora há mais de 20 anos”, diz o documento.

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
11:34

 

José Aldenir / Agora RN
Nereu Linhares, o Instituto de Previdência dos Servidores Estaduais

O presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Estaduais (Ipern), Nereu Linhares, atribuiu nesta quarta-feira, 5, à falta de conhecimento sobre a Previdência as dificuldades atravessadas hoje pelo RN.

“A previdência foi colocada em uma situação difícil em virtude de más gestões e ignorância sobre esse tema”, afirmou.

Para o presidente do Ipern, a reforma a nível nacional proposta pelo governo federal trouxe tanta insegurança aos servidores que provocou uma enxurrada de pedidos de aposentadoria, o que vai agravar ainda mais o problema.

“Estes pedidos causaram um aumento de despesas na folha da previdência e uma diminuição de receita”, explicou.

Sobre a reforma proposta pelo governo Bolsonaro, Nereu interpreta que está havendo uma tentativa de privatização do atual sistema de partição, o que na opinião dele “agrada mais os bancos do que aos servidores”.

Ao programa “Agora Debate”, do jornalista Roberto Guedes, exibido de segunda à sexta pela 97,9 FM, sempre a partir das 18 horas, Nereu fez o seguinte comentário:

“A reforma como está proposta não é bom para ninguém, nem para servidores públicos, nem para os estados, ela só é boa para os bancos. O que se vê hoje é uma tentativa de privatizar a previdência. Tanto que o que se vê hoje proposto de previdência complementar, é que ela seja custeada exclusivamente pelos trabalhadores, sem que o estado interfira. Isso para os bancos e mercado financeiro é maravilhoso, já para os servidores, não”.

O presidente do Ipern aproveitou para reiterar uma crítica antiga às gestões anteriores do RN, que, segundo ele, usaram mal o dinheiro arrecadado na previdência do estado.

“Mais de trinta anos atrás tínhamos uma previdência superavitária no Rio Grande do Norte. Naquele momento foram construídos casas e conjuntos com dinheiro da previdência. Aqui tinha também o crédito natalino, onde era pago o décimo quarto salário aos servidores, isso também com o dinheiro da previdência. Além de ter também centro clínico, farmácia popular e os empréstimos feitos pelo Ipern, tudo vindo da previdência. Então não tem previdência que se sustente. O dinheiro acabou e ficam dizendo que não sabem como isso ocorreu. Se tivessem deixado o dinheiro lá para render como tem que ser, isso não teria acontecido”, encerrou.

Publicado por: Chico Gregorio


07/06/2019
11:26

Foto: Divulgação

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da procuradoria regional da República, decidiu retomar procedimento investigatório criminal que envolve os cantores Solange Almeida e Xand Avião, ex-vocalistas do Aviões do Forró, e os empresários Antonio Isaias Paiva Duarte (Isaías CDs), Zequinha Aristides Pereira, Carlos Aristides de Almeida Pereira e Francisco Claudio de Melo Lima, todos sócios da empresa A3 entretenimentos, que gerencia a banda.

O processo teve origem em 2014, mas foi descontinuado por falta de provas. No entanto, a procuradora regional da república Luiza Cristina Fonseca Frischeisen alegou que o arquivamento era prematuro.

Os artistas e executivos do forró são investigados por crimes como homicídio, tráfico internacional de drogas, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e ameaças.

A denúncia foi feita ao MPF por um suposto ex-sócio da A3 Entretenimento. No entanto, a banda nega as acusações por meio da assessoria de imprensa. “Em 2012 houve uma denúncia anônima, que já foi provada como absolutamente falsa e sem sentido. O processo aberto a partir dessa denúncia foi extinto e arquivado por absoluta ausência de provas”, diz o comunicado.

Isaías CDs está no processo movido em 2014. Foto: Divulgação

A A3, no entanto, confirmou que há uma ação fiscal ajuizada contra a banda Aviões do Forró, que foi alvo da Operação For All pela sonegação de R$ 500 milhões em tributos entre 2012 e 2014. De acordo com a Polícia Federal, o grupo manipulava valor declarado nos cachês, informando à Receita Federal apenas 20% (em média R$ 30 mil) do valor pago. Os outros 80% (cerca de R$ 120 mil) eram recebidos em espécie antes dos shows. “Esta é uma ação de 2016 e a banda já cumpre pontualmente, normalmente e legalmente com seus deveres fiscais”, informa a nota.

Solange Almeida processa ex-banda

Em paralelo às investigações, Solange Almeida também exige que a Justiça investigue o Aviões do Forró.

A cantora teria pedido “uma prestação de contas”. Tal pedido será julgado pela Justiça, que vai decidir se ela receberá algum valor ou terá que pagar valores por ter participado do Aviões do Forró.

Ela deixou de ser uma das sócias e vocalista em fevereiro de 2017 e busca na Justiça os seus direitos. “Eu assinei minha saída na sociedade e eles ficaram certos de me pagar a parte que me cabia. Esperei quase dois anos e nada foi feito. Eu estava perdendo esse tempo. Ingressei na Justiça de fevereiro para março deste ano para que eu tivesse meus direitos reconhecidos”, explicou a cantora em vídeo publicado nas redes sociais.

R7

Publicado por: Chico Gregorio