26/06/2019
11:24

Romário Geovanne tem apenas 30 anos de idade, mas, e é dono de cinco empresas do ramo de confecção de roupas na cidade de Sousa. Mas o sucesso de hoje só foi possível graças ao trabalho que iniciou na infância aos sete anos de idade.

“Meu pai não tinha condições financeiras e ele sempre levava meu irmão e eu para ajudá-lo na feira. Ele me ensinou muita coisa sobre o comércio, logo passei a vender picolé pelas ruas”, disse Romário.

Ele falou também sobre a dificuldade em conseguir parcerias por conta de sua idade: “Como eu sou muito jovem, a dificuldade foi muito grande em conseguir parceiros para acreditar em meus negócios”, revelou.

O jovem falou ainda que aos 18 anos já tinha seu próprio negócio no comércio e em pouco tempo conseguiu ampliar seus negócios na cidade de Sousa e atualmente as empresas empregam 26 pessoas, além de gerar empregos em outros estados onde é feita a produção dos produtos.

Romário é casado com Jéssica Dayane e pai do pequeno Ruan de apenas seis anos de idade que sempre está ao lado dos pais em cada evento realizado nas empresas.

Via Diário do Sertão.

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
11:11

Na imagem, o presidente da República Jair Bolsonaro

edição global do jornal El País destacou nesta quarta-feira (26) a prisão do membro da comitiva de Bolsonaro com 39 quilos de cocaína na cidade de Andaluzia, comunidade autônoma da Espanha.

A edição explicou que “a prisão ocorreu quando a aeronave parou no aeroporto da capital da Andaluzia com destino a Tóquio para servir de avião de reserva para o presidente brasileiro, que viaja em outro avião para participar do G-20 realizada na capital japonesa. O Ministério da Defesa do Brasil emitiu uma nota confirmando a prisão dos militares por tráfico de drogas. Bolsonaro também lançou um tweet confirmando o evento”.

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

Fontes da Guarda Civil detalham que a detecção da droga e a subsequente detenção do militar ocorreram quando os tripulantes e suas bagagens passaram o controle alfandegário obrigatório na chegada ao aeroporto de Sevilha. Após a sua detenção, o militar foi transferido para a sede do Comando da capital da Andaluzia, de onde passará na próxima quinta-feira uma acusação judicial acusada de um crime contra a saúde pública.

A prisão causou uma mudança nos planos de viagem de Bolsonaro. O avião presidencial, que deveria fazer escala em Sevilha para seguir caminho a Tóquio, teve sua rota alterada sem explicação oficial e o pouco será em Lisboa.

Não é a primeira vez que membros da FAB usam sua condição de militares para traficar drogas. Em abril, o Tribunal Superior Militar decretou a expulsão da corporação de um comandante pelo transporte de 33 quilos de cocaína numa aeronave militar que se dirigia à França com escala nas ilhas Canárias. Outros dois colegas do comandante já tinham perdido o posto por sua participação no caso, ocorrido em 1999. O comandante foi condenado a 16 anos da prisão por integrar “uma rede especializada no tráfico internacional de cocaína” com a ajuda de aviões da FAB.

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
11:06

As polêmicas jurídicas e políticas envolvendo Lula prometem momentos dramáticos neste segundo semestre.

Lula terá direito a progressão de pena ao final de setembro. Alguns defendem que teria direito desde já.

O Vaza Jato divulgará, ao longo das próximas, mais informações sobre a parcialidade de Moro e outros desvios da operação Lava Jato. Há grande expectativa sobre o que virá, e quais serão seus efeitos.

A segunda turma do STF julgará, após o recesso, recurso de Lula que pede a suspeição de Moro.

O TRF4 também promete julgar em breve, em segunda instância, o processo de Lula referente ao sítio de Atibaia, pelo qual o ex-presidente já foi condenado em primeira instância pela juíza Gabriela Hardt.

Caso seja novamente condenado pelo TRF4, Hardt poderia emitir outro mandado de prisão contra Lula, impedindo-o de seguir para o regime semi-aberto (que na prática é aberto, por causa da falta de instituições adequadas) ou para a liberdade total, em caso de anulação do processo do triplex.

Como o processo de Atibaia foi iniciado por Sergio Moro, há dúvidas se a anulação do processo do triplex no STF poderia também anulá-lo. O certo seria que sim, que ambos fossem anulados, mas sabe-se lá o que as cortes dirão, em tempos tão estranhos.

Seja como for, é fato que a prisão de Lula permanecerá no centro do debate político neste segundo semestre de 2019.

“Não temos razão nenhuma para atropelar ou pra retardar”, disse presidente da 8ª Turma, Leandro Paulsen.

Via o Cafezinho.

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
11:00

O projeto de abuso de autoridade será votado nesta quarta-feira (26) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

A presidente da CCJ, senadora Simone Tebet (MDB-MS), afirmou à jornalista Andréia Sadi, do G1, que o relatório do senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) sobre o tema será lido hoje na sessão da comissão. Em seguida, irá à votação.

Nesta manhã, o procurador da República Deltan Dallagnol, personagem central dos vazamentos do site Intercept, publicou um vídeo em suas redes sociais afirmando que o projeto, se aprovado, pode ser um “grande retrocesso” no combate à corrupção, por haver “pegadinhas” no texto.

Entre as pegadinhas, segundo Deltan, estaria a possibilidade de o “investigado investigar e acusar o próprio investigador”.

O senador Pacheco reagiu às críticas do procurador. Ele afirmou que seu relatório é técnico e que visa punir excessos de juízes e procuradores.

“Não tem pegadinha, o projeto pune excessos. Ele deve estar se referindo genericamente a possibilidade de juiz ou MP ser responsabilizado por abuso. E Senado e Câmara claramente já se posicionaram a favor do projeto de abuso de autoridade, dos excessos”, disse

Pacheco disse ainda que a crítica de Deltan é “desonestidade intelectual”, e não prevê, por exemplo, punições a juízes que orientarem a acusação.

Se aprovado na CCJ, o projeto vai ao plenário do Senado. Depois, segue para a Câmara.

Via Esmael Morias.

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
10:39

Foto: Pedro França/Agência Senado

Em meio à crise desencadeada pela revelação de trocas de mensagens entre o ministro Sergio Moro (Justiça), quando juiz federal, e Deltan Dallagnol, procurador da Lava Jato em Curitiba, o Senado retoma nesta quarta-feira (26) o projeto que coíbe o abuso de autoridade.

A medida está inserida no projeto que trata de medidas anticorrupção. O texto que será votado nesta manhã na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e à tarde no plenário do Senado ainda passava por ajustes antes da apresentação.

O relator da proposta, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), ouviu parlamentares e representantes de magistrados e procuradores até a noite desta terça-feira (25) para avaliar sugestões de mudanças.

Pacheco já fez alterações no texto que veio da Câmara em trechos que tratam do abuso de autoridade. O relatório proíbe a criminalização da interpretação de juízes e exige presença de dolo específico, ou seja, é preciso que haja vontade de praticar o abuso de autoridade.

“O parecer prevê um estatuto de abuso de autoridade, cujo texto foi remodelado do que veio da Câmara, para poder fazer as ressalvas para garantir o livre exercício dos magistrados e dos membros do Ministério Público”, disse Pacheco.

“Abuso de autoridade serão aqueles casos muito extremos em que há um excesso evidente do exercício funcional”, afirmou.

O texto também prevê aumento da pena mínima para os crimes contra a administração de dois para quatro anos de prisão, incluindo corrupção e peculato.

Além disso, torna crime hediondo aquele cometido contra a administração quando envolver valor superior a 10 mil salários mínimos e cria dois crimes no Código Eleitoral, referentes a compra de votos e caixa dois em campanha.

O Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União (CNPG) e a Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público da União (Frentas) divulgaram nota para externar “profunda preocupação” com a votação do projeto.

As entidades dizem que era necessário maior debate com a sociedade e que o texto traz “graves efeitos que acarretarão à atuação do Ministério Público e do Poder Judiciário”.

“Ao prever crimes de abuso de autoridade praticados apenas por juízes, promotores de Justiça e procuradores do Ministério Público, sujeitando-os a pena de prisão, e crimes de violação de prerrogativas de advogados, com redação aberta, genérica e passível de interpretações as mais imprecisas possíveis, temas estranhos ao combate à corrupção, o PLC 27/2017 aparenta ter a intenção de inibir a atuação destes agentes públicos”, diz a nota.

Via Folhapress

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
10:27

Sob ataque da direita e da extrema-direita no país, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi celebrada em sessão solene, terça-feira (25), na Assembleia Legislativa. A proposta foi do deputado estadual Sandro Pimentel (PSOL), que homenageou personalidades importantes que participaram e escreveram a história da instituição.

Os deputados Hermano Morais (MDB), Coronel Azevedo (PSL), Isolda Dantas (PT) e Francisco do PT também participaram da solenidade.

Pimentel é vigilante concursado da UFRN e destacou a importância da universidade para o Estado:

“Hoje é um dia de muita comemoração. As pessoas que estão aqui, tiveram a alegria de um dia cruzar pela primeira vez os portões da UFRN ou têm um amigo ou conhecido que teve a oportunidade de ter essa sensação. Gostaria de destacar a importância da UFRN e de como uma instituição pode representar tão bem o nosso Estado. Temos muitas instituições e organizações importantes, mas nenhuma que tenha a pluralidade e importância da UFRN”, disse o parlamentar enquanto destacava a importância da produção científica da instituição.

A ex-diretora do Centro de Ciências Sociais (CCSA), Maria Arlete Duarte de Araújo, aproveitou sua fala em nome dos homenageados para destacar a importância e a necessidade de valorização da UFRN e de todas as universidades. “Pensar diferente disso é regredir. Cada um aqui tem uma importância na história da UFRN. Meus parabéns a todos os construtores que estão aqui hoje. Essa sessão reconhece a importância que tem a UFRN não só para o RN, mas para todo o Brasil”, disse.

Via Agência Saiba Mais.

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
10:24

Puxados pela flauta do artista potiguar Carlinhos Zens, centenas de manifestantes se reuniram terça-feira (25), no shopping Midway Mall, na Zona Sul de Natal, para pedir a soltura do ex-presidente Lula e mostrar apoio ao petista, que teve ontem mais um pedido de liberdade negado pelo Supremo Tribunal Federal. A votação do pedido de Habeas Corpus de Lula que cita o atual Ministro da Justiça Sérgio Moro foi adiada até o julgamento do mérito, mas não há nova data para acontecer.

O Midway Mall é o maior shopping de Natal, construído pela família do empresário Flávio Rocha, dono das lojas Riachuelo e reconhecidamente antipetista. Defensor ferrenho do estado mínimo, Rocha contou com benefícios bilionários para suas empresas, durante os governos Lula e Dilma, através de empréstimos junto ao BNDES e isenções fiscais.

Segundo o servidor público Fábio Henrique Lima, um dos participantes, a ação, mobilizada por um grupo no Whatsapp, reuniu pelo menos 500 pessoas no shopping, além da adesão dos lojistas.

“Lula foi preso sem provas, está mais do que comprovado, especialmente depois das mensagens vazadas de Moro. Foi tudo uma conspiração e infelizmente o Supremo fez parte disso. Estamos na rua e vamos continuar nas ruas pra libertar o companheiro Lula, que é inocente”, falou.

Também presente no ato, a vereadora Divaneide Basílio (PT) criticou duramente o processo da Lava Jato. Para ela, ir às ruas e ocupar espaços público é uma forma de esclarecer pras pessoas o que de fato tem acontecido no país.

“É a luta por justiça, Lula é um preso político. No debate em que ninguém solta a mãe de ninguém, a primeira mão que a gente está segurando é a mão de Lula. A gente está aqui para dizer para o presidente que essa farsa e grande armação pra acabar com a trajetória política de Lula e pra acabar com as políticas sociais no Brasil se trata de uma fraude que orquestrou um golpe e uma prisão indevida. Estamos aqui pra dizer pra Lula que nós sabemos dessa fraude e que estamos ao seu lado”, defendeu.

Mais de 500 pessoas participaram do Lulaço no maior shopping de Natal (foto: Mário Takeia)

Servidora pública da Universidade Federal do Rio Grande do Norte há 30 anos, Elisabeth Bedoia, natural de Currais Novos, também se juntou aos manifestantes. “Somos em todo 13 irmãos. Conseguimos fazer graduação por causa das políticas de Lula e estou aqui em defesa da liberdade dele. Ele está preso inocente, além de ter feito muito pelos pobres e principalmente pelos jovens”, disse.

Via Agência Saiba Mais.

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
07:57

Desmatamento na Amazônia cresce 20% entre agosto de 2018 e abril de 2019

247 – Um relatório do Conselho de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) citou o Brasil como um dos exemplos negativos de nação que está tomando medidas na direção contrária à prevenção das mudanças climáticas.

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo destaca que “o documento, que é assinado pelo relator sobre pobreza extrema do Conselho de Direitos Humanos da instituição, Philip Alston, tem foco nos efeitos do aquecimento global sobre a parcela da população que já é mais vulnerável. O mundo está caminhando para um “apartheid climático”, onde os ricos compram saídas para os piores efeitos do aquecimento global enquanto os pobres têm de suportar o peso, descreve o relatório.”

A matéria ainda acrescenta que “o documento aponta que as empresas têm um papel vital nas questões da mudança climática, mas não podem ser confiadas a observar as condições dos mais pobres. “Uma dependência excessiva do setor privado poderia levar a um cenário de apartheid climático em que os ricos pagam para escapar do superaquecimento, fome e conflitos, enquanto o resto do mundo é deixado a sofrer”, escreveu.”

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
07:51

Mais uma vez Heitor Pereira, aluno da 3ª série E.M. do CDS, merece destaque e dessa vez é nacional. Heitor teve o 7º melhor desempenho no Simulado Aberto ENEM que aconteceu nos dias 19 e 26 de maio, promovido pelo Sistema Objetivo de Ensino. Ao todo foram mais de 35 mil candidatos inscritos em todo o país. Tendo ficado entre…

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
07:47

Durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), nesta terça-feira (25), a senadora Zenaide Maia cobrou do Governo Federal um plano de geração de emprego e renda em vez de continuar reforçando o caixa dos bancos que, ano a ano, só aumentam seus lucros. “Aqui, não estamos defendendo o partido A ou B; estamos defendendo o país!”, afirmou….

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
07:43

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza a partir deste sábado, 29, a 23ª edição do programa de extensão Trilhas Potiguares, que acontece até 7 de julho em 25 municípios do Rio Grande do Norte, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das populações. As equipes são compostas por 20 estudantes e dois coordenadores em cada localidade, onde serão executadas iniciativas de acordo com as demandas levantadas previamente pelas comunidades. O Trilhas Potiguares 2019 aborda a temática “Desenvolvimento Sustentável” e tem as atividades balizadas pelos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

Entre os principais objetivos do programa está a identificação da realidade dos municípios para a execução de ações que contribuam para o desenvolvimento sustentável das comunidades, além dacontribuição para o processo de qualificação social dos membros da comunidade acadêmica e da capacitação de lideranças locais para que se tornem agentes multiplicadores das ações desenvolvidas nas diversas áreas do Trilhas Potiguares. Em 2018, foram realizadas 743 ações e atendidas quase 30 mil pessoas de 20 cidades potiguares, por meio do trabalho de alunos, professores e técnico-administrativos da UFRN.

Confira a lista de cidades que receberão o Trilhas Potiguares 2019:

Leia mais…

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
07:36

Vídeo fala sobre o abate de jumentos  em matadouros no estado da Bahia, com a carne e o couro sendo exportada.

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
07:28

 

ricardo lewandowski - Lewandowski: resultado de votação poderia ser outro se réu não fosse Lula

Ricardo Lewandowski ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), deu uma declaração após a votação do pedido de liberdade de Lula nesta terça-feira, 25, e deu a entender que, se fosse outro preso, o resultado da votação poderia ser outro.

“Não sei se é porque o paciente ou o réu é uma determinada pessoa, mas eu me lembro que aqui inúmeras vezes em circunstâncias análogas, quando houve uma lesão a esse direito fundamental que é o da participação do advogado em julgamento, inclusive com sustentação oral, com prévia intimação, quantos e quantos processos anulamos porque o advogado não foi intimado? Até esqueço quantos, tão grande foi o número”, declarou Lewandowski.

O ministro criticou o julgamento no Superior Tribunal de Justiça (STJ), motivo do pedido para o primeiro HC do ex-presidente. Ele disse que não foi aberta a possibilidade de os advogados de Lula fazerem sustentação oral frente aos ministros.

Fonte: Polêmica Paraíba

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
07:14

Resultado de imagem para CBTU
Privatização 
O governo federal vai privatizar a CBTU até o ano 2022.
A resolução do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República foi publicada no DOU dessa segunda-feira (24).
A intensão também é de privatizar a Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A. (Trensurb) com leilão para 2º semestre 2021.
A CBTU tem atuação em Natal, Recife, João Pessoa, Belo Horizonte e Maceió.
Via Rosalie Arruda.

Publicado por: Chico Gregorio


26/06/2019
07:08

O presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), calcula que os votos para aprovar a reforma da Previdência estão garantidos na Câmara e no Senado e que o processo todo deve ser concluído após o recesso parlamentar. A expectativa é que a Câmara finalize a sua parte antes das férias de julho, que começam dia 18.

O Senado retoma a discussão em agosto e deve encerrar a votação em 60 dias. Ele diz ser “perto de zero” a chance de a Casa interromper o recesso para discutir o tema. “A Câmara já tem os 308 votos. No Senado, tem ampla maioria”, apostou Alcolumbre em jantar promovido nesta segunda-feira, 24, pelo jornal digital Poder360. O Estado participou do encontro como convidado.

Alcolumbre disse que o trecho da reforma que aumenta a alíquota dos bancos deve ser mantido no Senado. “Banqueiro ganha muito”, justificou. O relator da proposta na Comissão Especial , deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), teve de recorrer à alta de tributos dos bancos para compensar perdas com outras alterações no projeto. A conta adicional aos bancos prevê a elevação de 15% para 20% da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), o que vai engordar os cofres do governo em R$ 5 bilhões por ano.

O senador ressaltou que a aprovação da reforma não será resultado da articulação política do governo, mas do consenso de que a medida é necessária para a retomada do crescimento econômico. Tanto que sua aposta é que, após a votação, o governo terá dificuldades para aprovar sua agenda. “No Senado, eu conto quatro votos do PSL pró-governo”, afirmou. Na presença do secretário Salim Mattar, responsável pelas privatizações dentro da pasta da Economia, Alcolumbre citou que a venda dos Correios, por exemplo, é um dos temas que “dificilmente” passa no Congresso. Na semana passada, Bolsonaro demitiu o presidente dos Correios por trabalhar contra seu projeto de privatização da empresa.

A retaliação ao governo é uma resposta à forma como o Planalto trata o Congresso. Alcolumbre diz que deputados e senadores não podem ser acusados de ‘toma lá, dá cá’ por pedirem recursos para a construção de uma praça ou um hospital em suas bases eleitorais. Enquanto o governo não descobrir como quer se relacionar com o Congresso, afirma ele, o cada um por si vai se manter. “Nesse modelo, a gente não sabe quantos votos o governo tem”, disse o senador.

O Parlamento também não aceita, afirmou Alcolumbre, que membros do Executivo, incluindo o presidente Jair Bolsonaro, usem as redes sociais para criminalizar o Congresso. “Todo dia tem uma novidade e me pedem para que eu faça uma nota rebatendo. Se cancelarem cinco pacotes de dados de Twitter, a política melhora”, ironizou.

Alcolumbre comentou ainda sobre a última crítica de Bolsonaro aos parlamentares ao dizer que o Congresso quer transformá-lo numa “Rainha da Inglaterra” por aprovar um projeto que trata da indicação para agências reguladoras. “Não entenderam o projeto”, rebateu Alcolumbre.

O presidente do Congresso antecipou que, se Bolsonaro vetar o projeto, vai pôr o veto em discussão na mesma semana. Quando perguntado: vão derrubar? Alcolumbre respondeu: “Não tem como prever”. O Estado revelou que o Congresso já derrubou três vetos do presidente em cinco meses de gestão. Um recorde.

Nesse cabo-de-guerra, “o Congresso será cada vez mais autônomo”, garantiu Alcolumbre. Ele explicou que a agenda conjunta e prioritária é essencialmente econômica. Inclui a reforma tributária, “que irá apenas aproveitar alguns pontos da proposta do governo”, o pacto federativo, a autonomia do Banco Central, a cessão onerosa e a reforma política. Esta última, uma provocação ao presidente Bolsonaro, que tem afirmado que disputará a reeleição se o Congresso não aprovar as mudanças na lei eleitoral. Não há disposição do Congresso, porém, de acabar com a reeleição já para 2022 – a medida afetaria os próprios congressistas.

A prioridade após a Previdência, porém, não é a reforma política. Afinados, Alcolumbre e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), decidiram criar uma comissão conjunta para tratar da reforma tributária. O colegiado tem a missão de acompanhar a discussão para acelerar o processo de votação.

Publicado por: Chico Gregorio