16/10/2018
19:24

Apoiadores do candidato do PSL usaram foto antiga da atriz machucada com a legenda: “esta senhora foi agredida por petistas na rua quando gritou Bolsonaro”

Foto: Reprodução
  

A família de Beatriz Segall, morta em setembro deste ano, emitiu nota repudiando o uso de uma foto da atriz com o rosto machucado acompanhado da legenda: “esta senhora foi agredida por petistas na rua quando gritou Bolsonaro”.

O comunicado afirma que “a imagem se refere a um acidente de que [Beatriz] foi vítima há alguns anos [quando tropeçou em uma calçada no Rio], nada tendo a ver com qualquer ato de agressão”.

Sergio Segall, filho da atriz, vê como “um ato de covardia” o uso da imagem de sua mãe.

A imagem de Segall foi feita em 2013, após a atriz levar um tombo em uma rua do Rio de Janeiro.

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
19:03

Por G1 RN

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
18:30

Deputado eleito Kleber Rodrigues declara apoio à candidata Fátima Bezerra

O deputado estadual eleito Kleber Rodrigues declarou apoio hoje à candidatura de Fátima Bezerra para o Governo do Rio Grande do Norte. Com a presença de dezenas de lideranças do Agreste, o deputado realçou o compromisso com o desenvolvimento do Estado, a geração de emprego e a segurança.

“Estamos no palanque da candidata de origens populares, da professora que chegou a senadora e hoje, na união de todos, vai governador o nosso Rio Grande do Norte”, destacou Kleber Rodrigues.

Durante o ato de anúncio do apoio, a candidata Fátima Bezerra enalteceu o fato do parlamentar eleito ser o único deputado da região Agreste e reforçou o compromisso dela com toda região.

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
18:20

Três prefeitos que apoiaram o governador Robinson Faria (PSD) no primeiro turno se integram a partir de agora à campanha da candidata Fátima Bezerra (PT) ao governo do Estado: Baía Formosa, Lagoa Salgada e Monte Alegre.

Em Baía Formosa, o prefeito Adeilson Gomes (PSD) apoiou Robinson, que teve 605 votos.

Fátima obteve 2.511.

Carlos Eduardo foi o segundo colocado com 1.235 votos.

Em Lagoa Salgada o prefeito Raniere Amâncio (PSD) esteve ao lado do governador que terminou com 1.601 votos.

Fátima venceu no município com 3.400.

Carlos Eduardo ficou em terceiro com 730 votos.

Monte Alegre foi um dos municípios em que o governador Robinson Faria, com apoio do prefeito Severino Rodrigues (PSD), ganhou a eleição com 3.887 votos.

Fátima ficou em segundo com 3.486 votos e Carlos Eduardo em terceiro com 2.683.

Ontem Fátima Fátima recebeu confirmação de apoio de 12 prefeitos e lideranças de 20 municípios.

Os prefeitos são Fernando Cunha (Macaíba), Laerte Paiva (Rio do Fogo), Renato de Doquinha (São Miguel do Gostoso), Polion Medeiros (São Fernando), Tiquinho (Rui Barbosa), Miguel Cabral (São Pedro), Kêka (São Bento do Trairi), Amarildinho (Caiçara do Norte), Valdemir Valentim (Pedra Grande), Cláudio Henrique (São Bento do Norte), Joaz Oliveira (Extremoz) e Babau (Marcelino Vieira).

“Esse início de segundo turno tem sido muito proveitoso para nossa campanha. Nós temos recebido muitas declarações de apoios novos, de lideranças e pessoas que, juntos com os parceiros que estão com a gente desde o primeiro turno, confiam em um governo popular para o RN. Que sabem que, eleitos, nós iremos fazer do estado um lugar melhor de se viver”, agradeceu Fátima.

Em Macaíba Fátima já venceu no primeiro turno com 17.624 votos. Robinson teve 5.402 e Carlos Eduardo 6.990 votos.

Rio do Fogo Fátima foi a mais votada com 2.061. Em segundo foi Carlos Eduardo com 1.966 e em terceiro Robinson com 1.750 votos.

São Miguel do Gostoso Fátima liderou com 2.695 votos, seguida de Robinson com 1.687 e Carlos Eduardo com 677.

São Fernando Fátima ganhou com 1.240 votos. Carlos Eduardo foi o segundo com 857 e Robinson o terceiro com 118.

Rui Barbosa o vencedor foi Robinson com 1.053. Carlos Eduardo ficou em segundo com 938 e Fátima em terceiro com 640.

São Pedro o vencedor foi Carlos Eduardo com 1.622 votos. Fátima ficou em segundo com 1.585 e Robinson em terceiro com 1.187.

São Bento do Trairi Fátima venceu com 1.172 votos, seguida de Robinson com 710 e Carlos Eduardo com 673.

Caiçara do Norte Fátima venceu com 1.920 votos. O segundo foi Carlos Eduardo com 805 e o terceiro Robinson com 251.

Em Pedra Grande Fátima liderou com 1.355 votos. Robinson teve 602 e Carlos Eduardo 511.

São Bento do Norte Fátima ganhou com 1.462 votos, Robinson teve 401 e Carlos Eduardo 286.

Extremoz Fátima venceu com 5.788 votos seguida de Carlos Eduardo com 5.699 e Robinson com 1.544.

Marcelino Vieira Fátima já foi a primeira com 2.630 votos. Robinson ficou em segundo com 1.257 e Carlos Eduardo em terceiro com 654.

Via Thaisa Galvão.

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
11:38

A pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo divulgada ontem (14) revelou que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) é visto pelos eleitores como representante dos mais ricos, dos bancos, dos empresários e do agronegócio. Enquanto Fernando Haddad (PT) é visto como defensor dos mais pobres, dos trabalhadores e das mulheres.

O instituto perguntou “quem representa melhor os interesses” de diversos setores. Em relação aos ricos, 65% responderam Bolsonaro, e 22% de Haddad. Entre os eleitores que ganham mais de cinco salários mínimos, o presidenciável do PSL é visto por 70% como representante da elite.

Até aí os números são bastante óbvios. Mas tem muita gente da esquerda tentando entender por que isso ainda não se reflete em votos.

Como diria um leitor do Blog do Esmael: “Não é difícil mostrar para a classe média, por exemplo, que candidato “X” só vai defender as elites. Difícil é mostrar para a classe média que ela não pertence às elites”.

Nesta pesquisa, Haddad lidera como representante dos interesses da população de menor poder aquisitivo, com 48% a 37% de Bolsonaro. Na faixa de renda de até um salário mínimo, o porcentual atribuído a Haddad chega a 62%.

Com informações do Estadão/

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
11:32

Nas redes sociais, campo dominado pelos bolsominions, circula a informação segunda qual o PT levará ao programa eleitoral que a facada em Bolsonaro foi uma farsa sem precedentes.

O Partido dos Trabalhadores, agremiação de Fernando Haddad, não confirma os boatos.

A teoria da conspiração foi alimentada no fim de semana com um tuíte do ator José de Abreu, da Globo, em que ele afirma que virá bomba nos próximos dias sobre o tema.

A tuitada de Zé de Abreu mostra um vídeo, anterior ao suposto atentado, em que um pastor faz oração pela cura de Bolsonaro.

“Olhem isso! Ele não havia levado a facada ainda!”, escreveu o ator ao retuitar um vídeo gravado há quatro meses.

Detalhe: a graça pedida é exatamente em cima na barriga supostamente atingida pela facada.

“E se uma cirurgia já estive programada para a data?”, pergunta um curioso navegante.

A história da facada desferida pelo “lobo solitário” Adélio Bispo de Oliveira ainda não fechou para muitos brasileiros, de acordo com o que se dissemina na internet:

1- A faca envolta num pano branco não ficou manchada sequer por uma gotícula de sangue;
2- Por que os partidários de Bolsonaro lutaram tanto para que o suposto agressor não concedesse entrevistas à imprensa?
3- Por que Adélio Bispo foi isolado em um presídio federal de segurança máxima sem que houve uma sentença?
4- Por que o PT ainda não pediu uma perícia médica independente?
5- Por que o PT deixou o assunto chegar ao segundo turno?

Confira o tuíte de Zé de Abreu:

José de Abreu

@zehdeabreu

Olhem isso! Ele não havia levado a facada ainda!

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
11:00

Em tom ameaçador, o texto diz que Jair Bolsonaro (PSL) está eleito e haverá revolta popular se as urnas não confirmarem o resultado.

A ministra Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pediu à Polícia Federal que investigue uma mensagem endereçada a ela, questionando o processo eleitoral, segundo o Painel, da Folha de S.Paulo.

Em tom ameaçador, o texto diz que Jair Bolsonaro (PSL) está eleito e haverá revolta popular se as urnas não confirmarem o resultado. “A senhora vai ver o povo na rua e os caminhoneiros parando este Brasil até que tenha novas eleições e com voto impresso”, diz a mensagem.

O texto, enviado pela rede social em uma conta oficial do TSE, repete a desconfiança nas urnas eletrônicas, que vem sendo propagada pelo capitão da reserva entre seus seguidores. “Espero que a sra. fique de olho”, diz o texto. “É só um aviso, com todo respeito.”

Via Revista Fórum.

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
10:49

Pesquisa Ibope será divulgada amanhã sobre o pleito do RN

Amanhã a InterTV Cabugi, afiliada da Globo, divulgará a primeira Ibope sobre o pleito do segundo turno no Rio Grande do Norte. O valor do trabalho custou R$ 65.569,00.

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
10:45

A bancada governista na Câmara Municipal de Mossoró fincou pé nessa segunda-feira (15).

Resolveu firmar pacto e não participar à noite de evento político em prol da chapa Carlos Eduardo Alves (PDT)-Kadu Ciarlini (PP) no Sítio Cantópolis.

Apenas o vereador Manoel Bezerra de Maria (PRTB) compareceu ao encontro, quebrando o acordo.

Os governistas não são atendidos em pleitos à gestão Rosalba Ciarlini (PP), optando por não participarem da campanha em seu segundo turno.

Via  Blog Carlos Santos

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
10:37

[Barcelona retira status de embaixador de Ronaldinho após apoio a Bolsonaro]
Foto : Bruno Cantini/CAM

Por Matheus Simoni

O Barcelona-ESP anunciou hoje (16) a retirada do status de embaixador de Ronaldinho Gaúcho, ex-jogador do clube catalão e da seleção brasileira. O motivo foi o apoio do craque ao deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), candidato à Presidência da República.

Em manifestação nas redes sociais, o jogador publicou uma foto vestindo a camisa amarela do Brasil e com o número 17, em alusão a Bolsonaro. “Por um Brasil melhor, desejo paz , segurança e alguém que nos devolva a alegria. Eu escolhi viver no Brasil, e quero um Brasil melhor para todos”, escreveu o jogador.

Segundo o jornal espanhol Sport, o Barcelona não deve se posicionar publicamente, mas reitera que a manifestação não está de acordo com os valores da entidade. A participação do ex-atleta em eventos oficiais do Barça está suspensa. “A questão é que o clube tem visto com preocupação não é posicionar-se e pedir o voto democraticamente, mas dar o voto explícito a posições totalitárias contra a defesa dos direitos humanos, independentemente do que acabará sendo sua ação governamental”, afirma a publicação, ressaltando que Bolsonaro apresenta posições homofobia, misoginia e racismo em 30 anos de vida pública.

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
10:29

Um grupo de 12 membros do diretório nacional do PDT pediu a expulsão de Carlos Eduardo Alves dos quadros do partido além da cassação do registro de candidatura dele por infidelidade partidária por descumprir a determinação nacional de proibir que seus membros declarem apoio a Jair Bolsonaro (PSL) na disputa presidencial.

Carlos Eduardo é acusado de flerte com o neofascismo. “A necessidade de vencer as eleições não é maior que a IDENTIDADE IDEOLÓGICA EM DEFESA DO TRABALHISMO. Portanto, é inconcebível qualquer flerte ao neofascismo, em tempos graves como este, sob a iminência da vitória de Jair Bolsonaro. Para agravar a situação, o mesmo faria declaração pública a favor de Jair Bolsonaro no programa eleitoral do PDT do RN no segundo turno”, diz a nota.

Além de Carlos Eduardo, também foram enquadrados na Comissão de Ética do partido Amazonino Mendes que disputa o Governo do Amazonas e Odilon Oliveira que disputa o Governo do Mato Grosso do Sul.

Confira a nota na íntegra:

Aos membros da Comissão de Ética do PDT,

Resistir ao fascismo é preciso! Pelo Trabalhismo!

O atual momento conjuntural nos inspira responsabilidade em meio a escalada do neofascismo. Em meio aos erros coletivos da esquerda, entre o extremo pragmatismo e o sectarismo, a criminalização da política através da Lava Jato e os consecutivos erros do Partido dos Trabalhadores (PT) na gestão de Dilma Rousseff resultaram no crescimento do neofascismo e do ativismo político da nova direita desde as jornadas de junho de 2013.

É impensável e inadmissível, como Partido, nos silenciarmos e sermos cúmplices diante dos quase 47% dos votos válidos de Jair Bolsonaro (PSL) no 1º turno, além do assustador crescimento da bancada reacionária do PSL, de 8 deputados federais para 52 e elegendo dois senadores no Rio de Janeiro e em São Paulo. Inclusive, o eleito pelo estado paulista pertenceu as nossas fileiras e foi eleito deputado federal pela nossa organização em 2014.

Logo, em um momento insigne como este na História do Brasil Contemporâneo, o Partido precisa tomar medidas enérgicas. Até porque o PDT, como Partido, é um sujeito coletivo e, como tal, precisa externar em público as suas posições ao conjunto da sociedade. Como diria Leonel Brizola, o processo social é um fato presente na vida sociopolítica do país e cabe ao PDT tomar para si a postura de protagonismo político.

Sem a candidatura de Ciro Gomes, o fascismo teria vencido no primeiro turno.

Mas como o PDT não está no 2º turno, é preciso respeitar os 13.344.366 votos dados ao Ciro Gomes. Votos que apostaram no ressurgimento do trabalhismo no cenário político nacional e deram o novo rumo para a esquerda nacionalista. Hoje somos a alternativa de médio prazo para o povo brasileiro. E precisamos, mais do que nunca, passar uma mensagem clara, na condição de partido nacionalista, trabalhista e popular, contra o fascismo. Somos um partido de esquerda, antifascista e anti-imperialista!

Logo, a primeira medida que exigimos, em defesa da idoneidade ideológica do Partido e de sua imagem junto à sociedade é a EXPULSÃO PÚBLICA, SUMÁRIA E IRREVOGÁVEL de três candidatos a governador que ostensivamente externaram o seu apoio público a Jair Bolsonaro, conforme o que está previsto no Art. 64, alínea c do Estatuto do PDT e por não seguirem o previsto no Art. 9°, III e VIII do Estatuto do PDT, após a decisão tomada em Brasília pela Executiva Nacional do PDT no dia 10 de outubro de 2018 em apoio crítico a Fernando Haddad contra o fascismo.

– AMAZONINO MENDES

– CARLOS EDUARDO ALVES

– ODILON DE OLIVEIRA

No caso de Amazonino Mendes, além de boicotar sistematicamente a campanha de Ciro Gomes no Amazonas no decorrer do 1º turno, na manhã de 8 de outubro de 2018 ele externou em público o seu apoio oficial ao Jair Bolsonaro, recebendo o aplauso dos transeuntes. Não se importou em momento algum com qualquer princípio trabalhista e, sem qualquer decoro, age à revelia do Estatuto e das resoluções expressas pela Executiva Nacional e pela XXIV Convenção Nacional do PDT, realizada no dia 20 de julho de 2018 em Brasília.

Em relação a Carlos Eduardo Alves, já foi expresso em sites locais do Rio Grande do Norte as tentativas de articulação do candidato a Jair Bolsonaro no 2º turno, para se contrapor à Fátima Bezerra (PT). A necessidade de vencer as eleições não é maior que a IDENTIDADE IDEOLÓGICA EM DEFESA DO TRABALHISMO. Portanto, é inconcebível qualquer flerte ao neofascismo, em tempos graves como este, sob a iminência da vitória de Jair Bolsonaro. Para agravar a situação, o mesmo faria declaração pública a favor de Jair Bolsonaro no programa eleitoral do PDT do RN no segundo turno.

No que tange a Odilon de Oliveira, além do apoio dado a Bolsonaro, seus apoiadores fazem campanha aberta ao candidato do PSL à Presidência. E como não se bastasse isso, o mesmo Odilon chegou a afirmar, em uma rádio com bastante audiência em Campo Grande-MS, a sua apologia ao regime ditatorial pós-1964, afirmando que ela teve os seus saldos positivos ao país, em https://www.campograndenews.com.br/politica/odilon-chama-ditadura-de-governo-militar-e-provoca-polemica.  E os materiais de campanha, além da live feita no lançamento do Comitê Odilon/Bolsonaro, em https://www.facebook.com/juizodilon/videos/1314395152034759/

Se não bastasse apenas os três candidatos a governador, o Deputado Estadual Ênio Bacci apresentou em público em 8 de outubro de 2018, já no segundo turno o seu apoio oficial a Bolsonaro – o que é algo vergonhoso e inconcebível à nossa organização. A citação é expressa claramente em http://www.osul.com.br/deputado-enio-bacci-do-pdt-anuncia-apoio-a-bolsonaro-ele-nao-e-ladrao/e em https://polibiobraga.blogspot.com/2018/10/deputado-enio-bacci-pdt-do-rs-abre.html?m=1.

E assim como ele, vários dirigentes municipais de Partido, vereadores e prefeitos espalhados pelo Brasil afora que, no uso de suas prerrogativas, externaram o seu apoio político a Bolsonaro no 1º turno.

Logo, solicitamos a expulsão imediata dos três candidatos a governador e a cassação imediata dos seus registros de candidatura, em defesa do trabalhismo. Transigir com o fascismo e com quadros de quinta coluna é o primeiro grande passo para a perda definitiva de nossa identidade político-ideológica, gerando precedentes para admitir até a filiação aberta de neonazistas que disputem cargos eletivos no PDT. Seria vergonhoso, na História do Brasil, um Partido com a história de lutas como o PDT abrigar em seu seio notórios oportunistas que flertam, paqueram e transam abertamente com o fascismo.

A expulsão de cada um dos três candidatos a governador e de Ênio Bacci é a defesa de todos aqueles que, como João Goulart, Leonel Brizola, Doutel de Andrade e Manoel Dias, foram proscritos por Atos Institucionais (AI’s) e/ou foram exilados. A expulsão de todos os que apoiam Bolsonaro é em respeito ao direito do trabalhador, ameaçado por propostas como o fim do 13º salário (conquista nossa no Governo Jango), o adicional de férias (conquista nossa com Vargas) e o aumento de 20% no Imposto de Renda, afetando a vida de trabalhadores e da classe média.

A expulsão de todos é em defesa dos Direitos Humanos do povo brasileiro. Defender a expulsão de todos os supracitados é defender a causa da mulher, do negro, do índio, da população LGBT, do jovem, do nordestino, do inválido e dos aposentados. O expurgo sumário de Amazonino Mendes, Carlos Eduardo Alves, de Odilon de Oliveira e de Ênio Bacci é em DEFESA DA NOSSA HISTÓRIA E DA NOSSA IDEOLOGIA TRABALHISTA!

Transigir com o fascismo, sem expulsar eles e quem quiser apoiar Bolsonaro, significa ESCARRAR E CUSPIR COM O NOSSO LEGADO. ASSASSINAR NOSSOS PRINCÍPIOS! ESTUPRAR A MEMÓRIA E O ENSINAMENTO DOS NOSSOS ÍCONES E LÍDERES TRABALHISTAS! JOGAR NA LATA DO LIXO A HISTÓRIA DE BRAVOS DIRIGENTES, PARLAMENTARES, TEÓRICOS E MILITANTES, CONHECIDOS OU ANÔNIMOS QUE DERAM A SUA VIDA EM PROL DO PDT E DO PAÍS!

Logo, queremos a expulsão sumária dos quatro e de qualquer um que, nos estados espalhados pelo Brasil afora, fizer campanha aberta ao Bolsonaro, com declaração midiática, pelas redes sociais ou qualquer outro meio que seja expresso esse apoio.

E queremos, em nome da nossa identidade ideológica, defender o voto de resistência ao fascismo. O nosso voto, como trabalhistas, é em defesa da nação e dos interesses do povo brasileiro. Não abriremos mão desse valor, mesmo sabedores que nem o PT e muito menos Bolsonaro possuem sequer qualquer projeto popular de libertação nacional e de desenvolvimento do país.

Logo, em face da iminência da vitória do neofascismo a ser legitimado nas urnas, o PDT precisa denunciar e alertar o povo brasileiro, orientando o voto crítico a Fernando Haddad (PT). O voto será dado não ao PT, mas contra a vitória do fascismo nas urnas.

E ao mesmo tempo, o Partido, em coerência com a sua linha, explicará ao povo brasileiro que o seu voto é em defesa do Estado Democrático de Direito. Mais ainda: o PDT assegurará que, eleito qualquer presidente, assumirá a sua posição como oposição independente, autônoma e nacionalista de esquerda. E mais: que a candidatura de Ciro Gomes à Presidência em 2022 é irrevogável e compromisso moral dos trabalhistas com o povo brasileiro.

É preciso coragem para assumir as posições!

Vamos honrar o nosso Partido! Sermos dignos de nossa História!

Combate aos quinta colunas, infiltrados, oportunistas e fascistas no seio da nossa organização!

O PDT pertence ao povo brasileiro!

O PDT é um partido popular de esquerda!

Nós somos nacionalistas! Somos um partido socialista!

Vamos honrar a memória de nossos líderes! Não vamos envergonhar a nossa história. Não podemos ser pusilânimes. Nem desfibrados!

SOMOS INIMIGOS DO FASCISMO!

Acabou o tempo do pragmatismo. É hora de assumirmos a nossa posição como trabalhistas!

Ousar lutar! Ousar resistir! Ousar vencer!

Logo, solicitamos a expulsão de Amazonino Mendes, Carlos Eduardo Alves, de Odilon de Oliveira e de Ênio Bacci de acordo com o previsto nos Art. 61, 62 e 64, alínea “c” do Estatuto do PDT.

Saudações Trabalhistas!

Brasil, 13 de outubro de 2018

Assinam o documento:

Wendel Pinheiro – Membro do Diretório Nacional do PDT

Júlio Rocha – Membro do Diretório Nacional do PDT

Rafael Galvão – Membro do Diretório Nacional do PDT

Lauri Bernardes – Secretário-Geral Nacional do MCDR

Joelma Santos – Vice-Presidente FLB-AP /Amapá e Membro do Diretório Nacional do PDT.

Jorge Eremites de Oliveira – Membro do Diretório Municipal do PDT Pelotas e do Movimento Cultural Darcy Ribeiro do PDT-RS.

Leonardo Moraes Jr. – Coordenador MCDR-PDT  do Sudeste / PR

Ricardo Pinheiro – Advogado Membro do Diretório Estadual RJ e da Executiva do PDT NITEROI

Felipe Pinheiro – Membro da Executiva Estadual do PDT/SP. Presidente Estadual do PDT Diversidade SP

Douglas Rafael Duarte – Secretário Geral da JS/RS e Presidente do PDT de Piratini-RS

Carla de Lima Maximila  – Vice presidente Diversidade RS /  Presidente PDT – Chuí-RS

Tiago Veras –  Membro do Diretório Nacional  do MCDR-PDT  / BA

Via Bruno Barreto.

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
10:27

O Ministério Público do Rio Grande do Norte apresentará ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte recurso em sentido estrito em que pedirá a reconsideração da decisão do juiz Assis Brasil, que não aceitou denúncia contra o ex-prefeito Carlos Eduardo Alves.

A informação foi confirmada ao blog pelo próprio órgão.

A denúncia foi apresentada em junho de 2017. No texto, a Procuradoria Geral de Justiça acusava o então prefeito de crime de responsabilidade pela captação indevida de tributos nos anos de 2015 e 2016. No total, a manobra envolveu R$ 103 milhões.

No Tribunal de Justiça, o recebimento da denúncia terminou empatado. Na dúvida, foi rejeitada. Nesse meio tempo, Carlos Eduardo renunciou para disputar a prefeitura e perdeu o foro. Em 4 de outubro, o juiz Assis Brasil reconheceu que a decisão do TJRN deveria ser mantida.

A questão do acusação de crime se baseia na cobrança de tributos antes do fato gerador – um exemplo disso poderia ser a cobrança de IPVA durante a compra de veículo (fato gerador), situação em que a pessoa ainda não tem formalmente a propriedade veicular sobre a qual incida o imposto.

“O dolo somente restaria configurado se o denunciado soubesse, antecipadamente, que não ocorrera o fato gerador do tributo e autorizasse sua cobrança antecipada com desconto. Entendo, pois, que a hipótese dos autos foi tão somente uma antecipação do vencimento do tributo, com redução de valor para quem pagasse antes, pois o fato gerador já ocorrera”, escreveu o juiz Assis Brasil.

Via BG.

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
07:19

Grupos aliados de Jair Bolsonaro (PSL) estão se enfrentando pela primazia na indicação de nomes de seu ministério, criando atritos no entorno do presidenciável a menos de duas semanas do segundo turno da eleição.

O mais recente foco é o Ministério da Saúde. O grupo liderado pelo comando do partido de Bolsonaro fez circular na semana passada o nome de Henrique Prata, diretor do Hospital Amor (antigo Hospital do Câncer de Barretos).

Bolsonaro gosta do médico, mas divulgou um áudio no fim de semana a aliados negando o convite para o caso de vitória no segundo turno.

Na quinta (11), havia feito a mesma declaração à Rádio Jornal de Barretos. “Nunca conversamos sobre essa possibilidade. Não quero desmerecê-lo, quero restabelecer a verdade”, disse à emissora.

Prata é defendido pela dupla do Rio, como são conhecidos Gustavo Bebianno e Paulo Marinho, respectivamente presidente interino do PSL e suplente de Flávio, o filho de Bolsonaro eleito senador pelo partido no estado.

Marinho, empresário, tem ligações com a comunidade médica paulista.

É próximo do cardiologista Roberto Kalil, a quem pediu que enviasse uma equipe do Hospital Sírio-Libanês para atender Bolsonaro em Juiz de Fora logo após o atentado a faca que o candidato sofreu, em setembro.

Já o chamado grupo dos generais, formado por oficiais da reserva responsáveis pelo programa de governo do presidenciável, e o economista Paulo Guedes têm outro nome em mente.

Querem que a Saúde seja ocupada por médico Nelson Teich, presidente do centro de oncologia COI, do Rio.

Ele esteve na semana passada com Bolsonaro para deixar seus planos, que passam por um programa de racionalização de gestão —tema de seu mestrado na Universidade de York, no Reino Unido.

O grupo, contudo, não quer forçar o nome de Teich para evitar sinalizar publicamente suas desavenças com a dupla do Rio na reta final da campanha. Além disso, Bolsonaro é quem sempre tem a palavra final, de todo modo.

Faturas amargas passadas, contudo, tenderão a emergir após a campanha. Bebianno, por exemplo, travou ríspidas discussões com quase todos os grupos que orbitam a candidatura —e, na maioria das vezes, as venceu, deixando ressentimentos pelo caminho.

Outra aresta se encontra na escolha do nome para a nova pasta que submeterá o Meio Ambiente à Agricultura, caso o deputado vença o pleito.

O nome natural para os aliados mais antigos de Bolsonaro é o de Luiz Antonio Nabhan Garcia, presidente da União Democrática Ruralista e um dos primeiros apoiadores da candidatura do PSL.

Na quinta passada, 18 deputados da Frente Parlamentar da Agricultura foram reafirmar o apoio do grupo suprapartidário ao deputado, levando uma agenda com diversos pontos defendidos pelo setor.

Eles traziam também a sugestão de que o senador eleito Luiz Carlos Heinze (PP-RS) seria seu favorito.
Alertados por bolsonaristas de que isso seria lido como uma ofensa pelo presidenciável, que faz campanha montado na promessa de que não aceitará indicações políticas, não falaram nada. Mas o recado foi dado indiretamente.

Como publicou o Painel da Folha nesta segunda, Nabhan não tem apoio na frente e na Confederação Nacional da Agropecuária, embora seja bem aceito pelo setor produtivo —que será o fator determinante para a escolha, segundo diz Bolsonaro.

A acomodação de forças no entorno de Bolsonaro também é vista entre a nova e emergente bancada do PSL.

Alguns campeões de voto do primeiro turno, como a deputada federal eleita Joice Hasselmann (SP) e a deputada estadual Janaina Paschoal (SP), têm enfrentado resistências.

Um episódio exemplar foi a tentativa de gravação de apoio do presidenciável ao candidato a governador João Doria (PSDB-SP), na sexta-feira.

Joice fez a intermediação com Bebianno e levou o tucano à casa de Marinho, no Rio. Bolsonaro, em acordo com o senador eleito Major Olímpio (SP), desafeto de Doria, deu o bolo no candidato.

Líder do PSL-SP, Olímpio já declarou voto no governador paulista, Márcio França (PSB).

Segundo amigos, Janaina vem se queixando do que considera falta de diretrizes unificadas na campanha —de resto, uma marca do modus operandi de Bolsonaro ao longo do ano. A Folha não conseguiu falar com ela sobre o tema.

FOLHAPRESS

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
07:11

Jair Bolsonaro/Redes sociais/

O candidato de extrema direita à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), visitou a sede do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro onde agradeceu o apoio da tropa à sua postulação e afirmou, após saudar o comandante do Bope, tenente-coronel Alex Benevenuto Santos, que embora estivesse prestando continência para oficial, “quem vai mandar no Brasil serão os capitães”, disse em referência ao fato de ser capitão da reserva do Exército.

Via 247 Brasil.

Publicado por: Chico Gregorio


16/10/2018
06:59

Localizado a, aproximadamente, 400 km da capital potiguar, o Campus Pau dos Ferros do IFRN, mesmo resistindo à aridez do Sertão, contribui positivamente com a missão da Instituição: formar profissionais-cidadãos. Essa missão e a qualidade da educação ofertada pelo Instituto tem se firmado através de diversos números e resultados. Uma evidência atual é o resultado da avaliação do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes, o ENADE.

Na mais recente avaliação, referente a 2017, o curso de tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS), conquistou CONCEITO 5, a nota máxima no Enade, que avalia o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos dos cursos em que estão matriculados.

Desde que o curso foi criado, a gestão junto aos servidores do Campus vêm trabalhando em prol de melhoria contínua para o curso, que vem apresentando resultados positivos quanti e qualitativamente. Vale ressaltar que em abril deste ano, o curso recebeu conceito 4, numa escala que vai de 1 a 5, na avaliação do Ministério da Educação (MEC), através do ato regulatório de Renovação de Reconhecimento de Curso.

“Essa nota é o reflexo de um esforço coletivo dos professores, da gestão e especialmente dos alunos na busca de uma formação de qualidade. Parabéns a todos e todas pela conquista”, afirma a Professora Antônia Francimar Silva, Diretora Geral do Campus Pau dos Ferros do IFRN.

Via Blog do Capote.

Publicado por: Chico Gregorio