16/09/2019
09:18

Sergio Moro NELSON ALMEIDA / AFP

Da coluna de Leandro Colon na Folha:

Não bastasse a fritura que vem sofrendo por parte do presidente Jair Bolsonaro, o ministro Sergio Moro (Justiça) pode ser derrotado em breve pelo STF em julgamento sobre métodos da Lava Jato. A dica foi dada pelo ministro Gilmar Mendes em entrevista que concedeu à Folha e ao UOL, em Brasília.

Para o ministro, a popularidade de Moro, bem acima da de Bolsonaro, segundo o Datafolha, não deve influenciar no julgamento da Segunda Turma sobre a suspeição do ex-juiz no caso do tríplex de Guarujá. “Se um tribunal passar a considerar esse fator, ele que tem que fechar, porque perde o seu grau de legitimidade”, disse o ministro do STF.

De acordo com Gilmar, o tema ligado a Lula será apreciado pelo colegiado até novembro. Está logo ali. Nos bastidores do STF, cresce a aposta de que os ministros Celso de Mello e Cármen Lúcia caminham para votar contra a atuação de Moro.

Com a posição conhecida de Gilmar e Lewandowski, seriam quatro votos pela derrota do ex-juiz contra o voto isolado de Edson Fachin. (…) Uma derrota de Moro deve favorecer Lula e provavelmente causar turbulência política no país. Outro efeito imediato será o enfraquecimento do ministro de Bolsonaro.

Via DCM

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
09:12

Mais de mil empresários brasileiros e alemães vão se reunir nesta segunda-feira (16) em Natal, para discutir parcerias na relação comercial entre os dois países. O 37º Encontro Empresarial Brasil-Alemanha (EEBA), que vai até o dia 17, é organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Federação das Indústrias Alemãs (BDI), com o apoio da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern). O presidente em exercício, Hamilton Mourão, participará da abertura do encontro, prevista para as 9h. O vice-ministro alemão da Economia e Energia, Thomas Bareiss, também está confirmado.

A Alemanha é o quarto maior parceiro comercial do Brasil, atrás da China, dos Estados Unidos e da Argentina. A participação da potência europeia na corrente de comércio do Brasil em 2018 foi de 3,75%. Mais de 54% dos produtos brasileiros exportados para a Alemanha são industrializados, incluindo máquinas mecânicas, automóveis, máquinas elétricas e produtos farmacêuticos. Em relação às importações, 99% das mercadorias que o Brasil compra do país europeu são bens industriais.

Pesquisa da CNI com empresários brasileiros que investem e exportam para a Alemanha mostrou os principais temas que precisam avançar na agenda dos dois países. O levantamento foi entregue ao governo brasileiro para subsidiar a reunião da Comissão Mista de Cooperação Econômica Brasil-Alemanha, que ocorrerá no dia 17 de setembro.

“Na consulta ficou clara a necessidade de se internalizar rapidamente o acordo comercial Mercosul-União Europeia, que ampliará as oportunidades de acesso a mercados para os dois países, além de melhorar o ambiente de negócios para promover o comércio de bens e serviços e os investimentos bilaterais. O setor produtivo do Brasil entende que o apoio da Alemanha foi essencial para a conclusão do acordo, anunciada em 28 de julho, e avalia que esse mesmo apoio será importante para a aprovação do tratado pelo Parlamento Europeu, o que deve ocorrer ao longo dos próximos dois anos”, diz a CNI.

Segundo a confederação, as empresas brasileiras também defendem o início das negociações de um acordo para evitar a dupla tributação (ADT) e de reconhecimento mútuo entre os programas brasileiro e europeu de Operador Econômico Autorizado (OEA). O programa concede tratamento diferenciado para operações de comércio exterior que envolvem movimentação internacional de mercadorias. Entre os benefícios oferecidos às empresas certificadas pelos programas estão a simplificação, facilidade e agilidade de procedimentos aduaneiros no país e no exterior.

Hamilton Mourão ainda deve aproveitar a presença em Natal para se reunir com a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, que deve apresentar ao presidente em exercício o programa estadual de Segurança Pública. Mourão cumpre pelo menos mais dois compromissos na capital potiguar antes de retornar a Brasília.

O secretário de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Marcos Troyjo, participará do evento apresentando um painel sobre perspectivas econômicas e políticas, juntamente com o vice-ministro da Economia e Energia da Alemanha, Thomas Bareiss.

Ainda nesta segunda-feira, às 17h, o presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara de Deputados, deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), fará palestra sobre “Oportunidades para o investidor estrangeiro no atual governo”. Também estão confirmados para a abertura oficial do evento o presidente da CNI, Robson Braga, o presidente da BDI, Dieter Kempf, o presidente da Fiern, Amaro Sales, e a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra.

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
09:09

O Governo do Estado do Rio Grande realizou a solenidade de formatura da turma Cabo Cícero Batista de Góis que formou 87 novos praças bombeiros militares, sendo 18 mulheres. Pela primeira vez o Governo promove o Curso de Formação de Praças (CFP) femininos para o Corpo de Bombeiros Militar (CBMRN). Após um ano de curso todos estão aptos à…

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
09:07

O 1° Encontro de Doceiras do Seridó acontecerá em Caicó, nos dias 27 e 28 de setembro, na praça Monsenhor Walfredo Gurgel. A estrutura do evento contará com uma Cozinha Show que será montada em frente à Catedral de Sant’Ana, num auditório aberto onde serão promovidas oficinas, palestras e aulas show com Chefs de cozinha. “A programação da Cozinha Show…

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
09:04

Major Olímpio, líder do PSL no Senado, está cutucando o vespeiro bolsonarista. Ele pediu a saída de Flávio Bolsonaro do partido e está apoiando a CPI da lava toga.

“Nós que representamos a bandeira anticorrupção do Presidente. Eu tentei convencê-la (senadora Juíza Selma) a ficar e resistir conosco. Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio, não ela. Gostaria que ele saísse hoje mesmo”, disse o senador Major.

Flávio tem tanto medo da CPI armada contra o Supremo Tribunal Federal porque ela pode provocar a continuidade da investigação sobre o escândalo que envolve o seu nome com o ex-assessor Fabrício Queiroz. E para impedir essa devassa, vale tudo, até perder senadores.

A senadora Juíza Selma é a primeira que está de malas prontas rumo ao Podemos. Olímpio também pode abandonar o ninho bolsonarista.

O presidente Bolsonaro já deixou claro que cortaria na carne e lançaria aliados ao fogo para proteger “os garotos”. Resta saber até quando ele vai conseguir manter isso tudo “em casa”.

Com informações do Estadão

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
09:02

A força-tarefa Lava Jato não pode ser levada a sério mesmo. Segundo reportagem da Folha e do Intercept, nesta segunda-feira (16), o ex-presidente Lula foi delatado até por defender os interesses estratégicos do Brasil na América Latina.

De acordo com delação premiada de Léo Pinheiro, ex-presidente da empreiteira OAS, Lula teria pedido para que a empreiteira assumisse obra deficitária na Bolívia. O objetivo do petista, ainda segundo a #VazaJato, era manter o presidente boliviano Evo Morales sob influência política brasileira.

Os detalhes da delação estão em conversas de procuradores reveladas pelo Intercept e divulgadas hoje pela Folha.

Os diálogos no aplicativo Telegram mostram que Lula agia como “caixeiro viajante” com o intuito de defender os interesses geopolíticos na região. Ou seja, o petista portava-se na Presidência como estadista e nacionalista.

Na reportagem da Folha, com base nos arquivos do Telegram, a OAS aparece como provedora de supostas propinas para a ex-presidenta do Chile, Michele Bachelet, e Oscar Árias, ex-presidente da Costa Rica, Prêmio Nobel da Paz.

Na delação à Lava Jato, Léo Pinheiro conta que as palestras de Lula na Costa Rica e no Chile visavam ‘influenciar governos’ e abrir mercado para empresas multinacionais brasileiras.

O ex-presidente Lula, em nota, afirmou que se trata de “mentira negociada” entre Lava Jato e Léo Pinheiro e o petista ainda se diz vítima de perseguição política da força-tarefa.

Via Esmael Morais.

 

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
08:57

Começou cedo a segunda-feira da Governadora Fátima Bezerra e boa parte de seu secretariado.

Todos a postos e enfileirados para receber o Presidente General Mourão na Sede – Secretaria de Segurança Pública no Centro Administrativo. . Recepção calorosa e civilizada a um chefe de Estado.

Via Laurita Arruda.

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
08:53

Cartilhas do Centro de Valorização da Vida (CVV) foram distribuídas hoje (15), na orla de Copacabana, por alunos do Curso de Extensão em Dependência Química da Clínica Jorge Jaber, em parceria com o Centro Universitário Unigama, da Faculdade Gama e Souza, durante o evento Setembro Amarelo, que mostrou a importância de se falar sobre a prevenção ao suicídio. Durante a manifestação, foram distribuídas camisetas amarelas com o laço que representa a marca da campanha Setembro Amarelo.

“Nós, do CVV, acreditamos que é importante que a gente rompa tabus e leve informação para que as pessoas possam falar a respeito disso. A gente não precisa ter peso para falar sobre prevenção ao suicídio, porque a gente está falando de vida e há muitas coisas importantes para falar dentro disso”, disse à Agência Brasil a porta-voz do CVV no estado do Rio de Janeiro, Patrícia Fanteza.

Falar sobre suicídio contribui para que as pessoas possam perceber que em determinados momentos difíceis, “qualquer um de nós pode buscar ajuda e essa ajuda ainda existe”, acrescentou. Segundo Patrícia, só o fato de romper com esse tabu de sofrer sozinho e buscar ajuda profissional, podendo trazer um processo de mais naturalidade, leva as pessoas a notar o que existe ao redor e passar a enxergar possibilidade de ajuda.

Patrícia Fanteza ressaltou que é preciso que seja tomado todo o cuidado ao tratar do assunto, que é muito sério e deve ser abordado com responsabilidade. A informação deve ser preventiva e não de estilo, avaliou. “Esse é o amadurecimento natural”. Patrícia destacou que quanto mais as coisas são conversadas, mais também se abre a possibilidade de repensar o assunto e trazer mais informação, para que o mundo aja junto. “Que o trabalho de prevenção seja um trabalho sério, responsável, feito por todos, da melhor maneira”.

Saber ouvir

O psiquiatra Jorge Jaber, promotor do evento, destacou que é preciso saber ouvir uma pessoa que apresenta tendências suicidas e evitar dar conselhos. O psiquiatra salientou que muitos setores da sociedade ainda encaram a depressão e os distúrbios mentais como tabus. Esclareceu que essas doenças são fatores de risco que podem levar ao aumento de tentativas de pessoas de tirar a própria vida. A questão do suicídio, nesse caso, precisa ser abordada e, principalmente, ganhar espaço para que profissionais capacitados e instituições como o CVV possam gerar informação positiva e ajudar a salvar vidas, explicou.

Patrícia Fanteza afirmou que em um momento de grande sofrimento, a pessoa perceber que é respeitada na sua dor, que é acolhida e ouvida sem qualquer tipo de julgamento ou de desmerecimento àquilo que ela está sentindo, mostra que “isso tudo é muito poderoso, é algo que, realmente, causa um alívio muito grande. Essa é a base do trabalho do CVV. O CVV promove o resgate de ser humano”. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 800 mil pessoas se matam por ano no mundo, com índices elevados de mortes na faixa etária entre 15 e 29 anos de idade.

Agência Brasil

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
08:51

O Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos afirmou que não tem “dever algum” de investir recursos públicos na construção de um Memorial da Anistia. A pasta cancelou as obras de um museu na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

POR QUÊ? 

A resposta foi dada ao Ministério Público Federal após o órgão questionar a descontinuidade das obras. O anúncio foi feito em agosto pela ministra Damares Alves.

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
08:50

O preço do petróleo disparou nos mercados globais neste domingo (15) em reação aos ataques de drones a petrolíferas na Arábia Saudita no sábado (14), que podem levar a uma redução de metade da produção diária de petróleo saudita.

O barril do petróleo Brent chegou a um pico de US$ 70,98 no mercado futuro, um aumento de 18% em relação ao fechamento de sexta-feira (13), mas depois recuou, registrando alta de 12%.

Os ataques provocaram incêndios em Abqaiq, maior instalação de processamento de petróleo no mundo, e em Khurais. Houve uma redução estimada de 5,7 milhões de barris por dia na produção, o equivalente a 6% do abastecimento mundial.

O presidente da estatal saudita Aramco, Amin Naser, declarou que estão sendo realizadas “obras” para restabelecer a produção de petróleo bruto do país. O ministro da Energia, o príncipe Abdulaziz bin Salman, afirmou que a redução será compensada com as reservas.

Uma disparada no preço do petróleo pode afetar a economia mundial, já abalada pela guerra comercial entre EUA e China e as sanções da Casa Branca contra o Irã.

Em uma rede social, o presidente Donald Trump afirmou que autorizou o uso de petróleo da Reserva Estratégica dos EUA, em quantidade a ser determinada.

Mais tarde, ele escreveu: “Acreditamos saber quem é o culpado [pelos ataques]”, acrescentando que os EUA “estão prontos para reagir, dependendo da confirmação.”

O presidente evitou mencionar o Irã, mas na véspera o secretário de Estado, Mike Pompeo, acusou diretamente o país persa.

Segundo Pompeo, não há nenhuma prova de que “o ataque sem precedentes contra o fornecimento mundial de energia” tenha partido do Iêmen —apoiados pelo Irã e há cinco anos em confronto com uma coalizão militar saudita, rebeldes houthis iemenitas reivindicaram a ação.

Teerã rejeitou as acusações dos EUA de que estaria por trás dos ataques.

“Em vez de culparem a si mesmos —e admitirem que sua presença na região está criando problemas—, os americanos culpam os países da região ou o povo do Iêmen”, criticou o presidente iraniano, Hassan Rowhani.

O chanceler iraniano, Javad Zarif, respondeu a seu homólogo americano: “Já que a campanha de pressão máxima fracassou, Pompeo está recorrendo à mentira máxima.”

O porta-voz do ministério iraniano das Relações Exteriores, Abbas Musavi, afirmou que as acusações têm como objetivo “prejudicar a reputação de um país para criar um marco para futuras ações contra o Irã”.

Em entrevista neste domingo (15), uma autoridade americana mostrou imagens de satélites com 19 pontos de impacto dos drones e disse que a amplitude e a precisão do ataque demonstram que ele não teria sido lançado do Iêmen.

Mesmo assim, Washington não descarta a possibilidade de um encontro entre o presidente Donald Trump e o líder iraniano, Hassan Rowhani.

Kellyanne Conway, conselheira da Casa Branca, afirmou que os ataques “não ajudavam” a perspectiva de uma reunião entre os dois chefes de Estado durante a Assembleia Geral da ONU, neste mês, mas deixou a possibilidade em aberto. “Vou deixar o presidente [Trump] anunciar um encontro ou não”, disse.

Os sauditas culpam os xiitas iranianos por ataques anteriores e acusam o Irã de armar os rebeldes iemenitas. Teerã nega a participação.

O confito no vizinho Iêmen, que se arrasta desde 2015, já levou a mais de 7.000 mortes, muitas causadas por ataques aéreos sauditas.

FOLHAPRES

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
08:48

O presidente da República em exercício, general Hamilton Mourão, chegou a Natal por volta das 19h30 deste domingo (15), onde participa da abertura do  37º Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA), no Centro de Convenções, na manhã desta segunda-feira (16), segundo confirmou a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto.

Antes de participar da abertura do evento, Hamilton Mourão vai à sede da Secretaria Estadual de Segurança Pública do Rio Grande do Norte, no Centro Administrativo, segundo confirmou fontes do Governo do Estado na tarde deste domingo. O presidente em exercício vai conhecer o projeto de segurança pública do Estado em café da manhã por volta das 7h30.
A pauta consta na agenda divulgada na conta pessoal de Hamilton Mourão divulgada na conta pessoal do Twitter, na última sexta-feira (13).

A publicação prevê ainda visitas ao Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), além do Instituto de Ensino e Pesquisa Alberto Santos Dumont, idealizado pelo neurocientista Miguel Nicolelis. Também há previsão de uma visita do presidente da República em exercício ao Monumento aos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, no município de São Gonçalo do Amarante, localizado na Região Metropolitana de Natal.

TRIBUNA DO NORTE

Publicado por: Chico Gregorio


16/09/2019
08:47

Domingo tem 5 terremotos no RN; maior no mesmo local de abalo histórico em 1989

Estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN registraram neste domingo (15) uma sequência de tremores que atingiu a região de João Câmara, incluindo também os municípios de Bento Fernandes, Poço Branco e Pureza. Foram identificados pelo menos 5 eventos entre as 10h e 13h.

O maior tremor ocorreu às 11h14 e teve magnitude preliminar estimada em 1.5. O epicentro foi localizado na área acima de Riacho Seco, no município de Pureza, onde, em março de 1989, ocorreu o segundo tremor em magnitude (5.0) da sequência de sismos entre 1986 e 1993, na região de João Câmara.

Essa atividade sísmica foi a que causou maior impacto social devido a terremotos no Brasil, provocando extensos danos em edificações e pânico e fuga da população.

De acordo com o Laboratório Sismológico da UFRN, é impossível saber como a atividade sísmica relacionada à Falha de Samambaia vai evoluir, mas a UFRN segue o monitoramento permanente dessa atividade, visando obter dados que permitam informar a sociedade sobre o que realmente está ocorrendo na região e que servem para orientar ações de Defesa Civil.

Fonte: Portal Grande Ponto

Publicado por: Chico Gregorio


14/09/2019
09:32

A provável demissão de Maurício Valeixo do comando da PF, que deve ser substituído por um delegado alinhado com o clã Bolsonaro, já provoca a paralisia da instituição, o que leva a cúpula da organização a cobrar de Sergio Moro uma postura mais corajosa diante da fritura e das humilhações que têm sido impostas a ele por Jair Bolsonar

247 – “A ameaça do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de trocar o diretor-geral da Polícia Federal desencadeou uma disputa interna por cargos-chave e o temor de paralisação de setores do órgão. Para neutralizar a ação do presidente, a cúpula da PF e superintendentes de unidades regionais cobram uma decisão do ministro da Justiça, Sergio Moro, que até agora não foi claro sobre o tema”, informa a jornalista Camila Mattoso, em reportagem publicada na Folha.

“Segundo integrantes da alta hierarquia da PF, a indefinição sobre o futuro de Maurício Valeixo, atual DG, como é conhecido o diretor-geral, impacta a rotina das superintendências. Investigadores avaliam que os trabalhos que estão em andamento continuam seguindo seu ritmo próprio, mas casos que estão para começar ficarão em compasso de espera”, informa ainda a jornalista.

Moro vem sendo fritado publicamente por Bolsonaro e já sofreu derrotas no Coaf, na Receita, na PGR e agora na PF. Questionado, ele decidiu não se manifestar sobre o caso e também deverá ser alvo de uma CPI sobre a Vaza Jato, que conta com a colaboração informal de parlamentares bolsonaristas.

Publicado por: Chico Gregorio


14/09/2019
09:25

Será realizado no próximo sábado, dia  21 de Setembro à partir do meio dia,  acontece a tradicional Feirinha de São Miguel 2019  com as seguintes atrações :
Pagode Vitor Alexandro, Oz Piraz, Bruno Martins, Adab Morais, Forró Mesquita e NV Pesadão

A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, texto

Publicado por: Chico Gregorio


14/09/2019
08:48

Reunião na ANA aconteceu nesta sexta (Foto: Divulgação)

A água da Transposição do Rio São Francisco pode não chegar ao Sertão paraibano e nem a localidade do Rio Grande do Norte. Isso porque o Governo Federal não tem recursos para construir o canal Caiçara-Engenheiro Ávidos, conforme constataram deputados que integram a Frente Parlamentar Interestadual em Defesa da Conclusão das Obras dos Eixos Leste e Norte.

A afirmação de que não existe previsão financeira foi colocada por técnicos do Ministério do Desenvolvimento Regional e referendada pelo secretário nacional de Infraestrutura e Segurança Hídrica, Marcelo Borges, durante audiência com parlamentares, nesta quinta-feira (12). “Sem esse canal como é que a água vai chegar no Rio Grande do Norte se não for pelo Rio Piranhas?”, indaga o deputado estadual, Jeová Campos, um dos presentes à audiência.

O deputado questionou ainda como que o Rio Piranhas irá se alimentar se não da barragem de Caiçara, via Engenheiro Ávidos, que é a porta de perenização do Rio Piranhas. “O Marcelo foi categórico em afirmar que não há recursos para fazer essa obra. Eu penso que a gente precisa colocar isso em debate, porque sem ela não chegará a tão esperada água da Transposição”, destaca Jeová.

Além do deputado paraibano Jeová Campos, integraram a comitiva da Frente os deputados Antônio Fernando (PSC-PE), Guilherme Landin (PDT-CE) e Francisco do PT (PT-RN). Jeová que voltou nesta sexta-feira de Brasília avalia que apesar da triste notícia, o balanço da viagem foi muito positivo.

“Agora a gente sabe que tem que buscar outros meios para viabilizar essa obra, uma vez que o Governo Federal disse que não há disponibilidade de recursos para tal e que o que foi feito em Monteiro foi um procedimento técnico necessário para evitar maiores problemas”, finaliza o deputado que durante sua estada em Brasília ainda participou de reuniões na Agência Nacional de Águas (ANA) e de uma atividade na Câmara, sobre Ciência e Tecnologia, que debateu a convocação do ministro Paulo Guedes para explicar os cortes nas bolsas dos pesquisadores do CNPQ.

Via ClickPB

Publicado por: Chico Gregorio