23/03/2019
09:49

O prefeito de Natal Álvaro Dias (MDB) é aprovado por 57,13% dos natalenses.

A governadora Fátima Bezerra (PT) chega a 47,13% de aprovação.

O levantamento foi feito Instituto CONSULT entre os dias 7 e 11 deste mês, apenas em Natal, ouvindo 800 pessoas, com margem de erro de 3,5% e nível de confiança de 95%.

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
09:43

A edição de hoje (23) do Jornal Tribuna do Norte traz os primeiros números deste ano com avaliações dos governos de Natal, do Rio Grande do Norte e do Brasil.

O levantamento foi feito Instituto CONSULT entre os dias 7 e 11 deste mês, apenas em Natal, ouvindo 800 pessoas, com margem de erro de 3,5% e nível de confiança de 95%.

O prefeito de Natal Álvaro Dias (MDB) é aprovado por 57,13% dos natalenses.

A governadora Fátima Bezerra (PT) chega a 47,13% de aprovação.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL), alcança 41,13% de aprovação.

DESAPROVAÇÃO:

Álvaro Dias tem desaprovação de 16,13%.

Fátima Bezerra atinge 22%.

Jair Bolsonaro tem maior índice negativo, com 37,25%.

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
09:33

Resultado de imagem para fotos de rodrigo maia com bolsonaro na campanha de 2018

Em entrevista às jornalistas Vera Rosa, Naira Trindade e Renata Agostini, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, revelou o óbvio: o governo Bolsonaro é um deserto de ideias e não tem projeto algum para o Brasil. “O Brasil precisa sair do Twitter e ir para a vida real. Ninguém consegue emprego, vaga na escola, creche, hospital por causa do Twitter. Precisamos que o País volte a ter projeto. Qual é o projeto do governo Bolsonaro, fora a Previdência? Fora o projeto do ministro (Sérgio) Moro? Não se sabe. Qual é o projeto de um partido de direita para acabar com a extrema pobreza? Criticaram tanto o Bolsa Família e não propuseram nada até agora no lugar. Criticaram tanto a evasão escolar de jovens e agora a gente não sabe o que o governo pensa para os jovens e para as crianças de zero a três anos. O governo é um deserto de ideias”, disse ele.

Na semana em que o dólar subiu e a Bovespa perdeu 5,45%, Maia falou também sobre a crise em torno da reforma da Previdência. “O governo eleito não pode terceirizar sua responsabilidade. O presidente precisa assumir a liderança, ser mais proativo. O discurso dele é: sou contra a reforma, mas fui obrigado a mandá-la ou o Brasil quebra. Ele dá sinalização de insegurança ao Parlamento. Ele tem que assumir o discurso que faz o ministro Paulo Guedes. Hoje, o governo não tem base. Não sou eu que vou organizar a base. O presidente da Câmara sozinho, em uma matéria como a reforma da Previdência, não tem capacidade de conseguir 308 votos”, afirma.

Maia também disse que Bolsonaro precisa de 307 namoradas no Congresso para aprovar a Previdência. “Se o presidente não falar comigo até o fim do mandato, não tem problema. Não preciso falar com ele.  O problema é que ele precisa conseguir várias namoradas no Congresso, são os outros 307 votos que ele precisa conseguir. Eu já sou a favor. Ele pode me deixar para o fim da fila”, afirmou.

O presidente da Câmara também criticou Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que defendeu uma guerra contra a Venezuela e os filhos de Bolsonaro, de forma geral. “Respeito o deputado Eduardo Bolsonaro, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores, mas acho que a interferência de outros países na Venezuela não é o melhor caminho e que essa não é a posição dos ministros militares do governo. Nós estamos com a estrutura das Forças Armadas desabastecida. Vamos dizer que alguns concordem com isso. O Brasil não tem nem condições de segurar 24 horas de confronto com a Venezuela”, afirmou. “Tenho dificuldade de falar como o presidente deve tratar os filhos dele. Eu sei como tratar os meus.”

Brasil 247

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
09:18

Açude de Coremas volta a pegar água

Açude de Coremas na manhã deste sábado, 23. (Foto: José Albertino)

As chuvas voltaram ao Vale do Piancó. Na madrugada deste sábado (13), segundo a Empresa de Extensão Rural e Regularização Fundiária (EMPAER) choveu 40,5 mm em Boa Ventura; 12 mm em Ibiara; 26,2 em Conceição; 39 mm em Coremas; 27,2 mm em São José de Caiana e 14,5 em Diamante.

Choveu também em outros municípios do Vale do Piancó, mas os índices ainda não foram divulgados.

Na manhã deste sábado (23) o secretário de Meio Ambiente, Pesca e Recursos Hídricos de Coremas José Albertino informou que o Açude Estevam Marinho (Açude de Coremas) voltou a pegar água. “De ontem para hoje o açude pegou 8 centímetros d’água”, comemorou o secretário.

A notícia animou os sertanejos da região, pois ultimamente últimos dias tem saído água do açude, através das comportas, e não estava entrando, em virtudes das poucas e fracas chuvas caídas na região nos últimos dias. A situação é preocupante, mas o sertanejo tem esperança de que no decorrer do inverno os mananciais da região possam pegar recargas.

Via Folha Patoense

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
09:07

Em solenidade realizada no município de Jucurutu, nesta sexta-feira (22), a governadora Fátima Bezerra (PT) destacou como compromisso do Governo os programas Água para Todos e o de perfuração de poços na região. Além disso, anunciou que as obras de reestruturação da RN 118, no trecho que liga Caicó a Jucurutu, serão entregues antes de agosto, mês previsto para conclusão…

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
08:56

 

O município de João Câmara é o pioneiro no Rio Grande do Norte em implantar o reconhecimento do piso salarial dos procuradores. A fixação do piso remuneratório dos procuradores municipais está prevista na tabela da OAB, desde 2018.

Em João Câmara, o prefeito Manoel Bernardo enviou ao legislativo, na última segunda-feira (18), o projeto de lei que estabelece piso remuneratório para os procuradores do município, e a Câmara Municipal colocou o projeto em pauta, discutindo e aprovando com 10 votos a favor e uma ausência.

“As Procuradorias por meio de seus procuradores efetivos conseguem um melhor desenvolvimento do município. O procurador pratica o controle dos atos da administração pública. Tudo que o chefe do executivo vai realizar, pede a análise jurídica do procurador. São os procuradores que protegem as gestões de improbidades administrativas”, comenta o advogado Mozart de Paula, delegado da ANPM no Estado do RN – Associação Nacional dos Procuradores Municipais.

Para Mozart, o que aconteceu em João Câmara precisa ser difundido para os demais prefeitos. “A ANPM fez um estudo ano passado e concluiu que 34,4% dos municípios brasileiros tem procuradorias constituídas com procuradores concursados. E são esses 34,4% que concentram os melhores IDH – Índice de Desenvolvimento Humano. Com uma Procuradoria atuante, as políticas públicas funcionam melhor”, destaca o delegado da associação no RN.

 

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
08:51

Resultado de imagem para fotos da barragem do oiticicas

Convidado pelo governo do RN, o Poder Legislativo do município de Jucurutu participou nesta sexta-feira (22), da programação promovida na comunidade Barra de Santana em celebração ao Dia Mundial da Água.

De acordo com a atual gestão estadual, a iniciativa de levar a programação do Dia Mundial da Água para a comunidade, junto das obras da barragem de Oiticica, um símbolo das ações de combate à estiagem no estado, é a reafirmação do compromisso sugerido pela ONU de levar água para todos.

Durante todo o dia, as discussões se voltaram ao tema recursos hídricos. A Câmara municipal esteve representada no evento pelo vereador e presidente Fagner Brito, ao lado dos vereadores Jubiratan Saldanha, Francinildo Aquino, Ioneide Queiroz e Maria Da Guia Cruz.

Via Danilo Evaristo.

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
08:16

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
08:12

Depois de ter sido chamado de “funcionário do presidente Jair Bolsonaro” pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) disse que não há motivo para conflitos.

O ex-juiz federal levantou bandeira branca após declarações irritadas de Maia à imprensa no meio da semana.

“Vamos retomar a conversa assim que for possível. Não há motivo para conflito por conta de desentendimento pontual”, afirmou Moro à Folha nesta sexta-feira (22). “Respeitamos a liderança dele na Câmara”, completou.

Na quarta-feira (20), Maia desqualificou o projetoanticrime apresentado pelo ministro, dizendo que o texto é um “copia e cola” de proposta sobre o mesmo tema que foi apresentada no passado pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal). Ele ainda disse que Moro estava “confundindo as bolas“.

No discurso ríspido, também pediu respeito e afirmou que era ele o presidente da Câmara, cargo que tem a atribuição de definir a pauta de votações da Casa.

O ex-juiz respondeu, no mesmo dia.

“Talvez alguns entendam que o combate ao crime pode ser adiado indefinidamente, mas o povo brasileiro não aguenta mais. Essas questões sempre foram tratadas com respeito e cordialidade com o presidente da Câmara, e espero que o mesmo possa ocorrer com o projeto e com quem o propôs. Não por questões pessoais, mas por respeito ao cargo e ao amplo desejo do povo brasileiro de viver em um país menos corrupto e mais seguro”, declarou na quarta, em um comunicado enviado pelo Ministério da Justiça.

Folha mostrou na quinta (21), que envio de mensagens em tom de cobrança de Moro para Maia na madrugada de quarta levou o parlamentar a disparar críticas.

Moro pediu que Maia desse celeridade no pacote anticrime, apresentado pelo ministro ao Congresso em fevereiro.

Maia tem dito ter acordado com o Palácio do Planalto que priorizaria na pauta da Câmara a aprovação da reforma da Previdência, considerada crucial para a gestão Bolsonaro e que, na sequência, colocaria o texto de Moro para tramitar em comissões e depois no plenário da Casa.

pacote de Moro foi enviado ao Congresso em meados de fevereiro. Alvo de críticas por não ter passado por uma discussão ampla na sociedade, o texto altera 14 pontos de Código Penal, Código de Processo Penal, Lei de Execução Penal, Lei de Crimes Hediondos e Código Eleitoral. Em linhas gerais, prevê endurecer as penas para crime organizado, corrupção e delitos violentos.

texto inclui o cumprimento provisório da pena após condenação em segunda instância —tema considerado prioritário por Moro —e a criminalização do caixa dois. As medidas precisam passar por comissões do Congresso e serem aprovadas pelo plenário das duas Casas, por maioria simples, antes de irem para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

FOLHAPRESS

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
08:07

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, foi desautorizado a nomear integrantes da sua própria equipe. A ordem partiu do Palácio do Planalto, depois de o professor colombiano divulgar dois nomes para a secretaria executiva da pasta, em seguida vetados pelo presidente Jair Bolsonaro.

Desgastado, Vélez tenta se manter no cargo.

Antes da viagem para os Estados Unidos, Bolsonaro teve uma conversa dura com Vélez e informou que, por enquanto, ele permaneceria à frente da pasta. Desde que as primeiras polêmicas vieram à tona e que os sinais de enfraquecimento ficaram evidentes, militares iniciaram um movimento para tentar encontrar um substituto. Em outra frente, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, também saiu em busca de um nome para ocupar o posto de Vélez.

No entanto, ao desembarcar dos EUA, na quarta-feira, Bolsonaro avisou que não tomará nenhuma medida de forma apressada. O presidente descartou uma estratégia proposta por Onyx, de pedir indicação ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O ministro da Casa Civil considerava que a estratégia seria importante para estreitar o apoio com senadores. Bolsonaro, no entanto, considera o momento ideal, para agradar, de uma vez só, às bancadas evangélica e católica, que já mostraram descontentamento com a falta de interlocução com o governo. Ele julgou ainda que a medida poderia fortalecer mais do que o necessário o presidente do Senado, o que tenta evitar.

Um dos nomes cotados para ocupar o posto de Vélez é o senador Izalci Lucas (PSDB-DF). Ele tem o apoio das bancadas católica e evangélica, o sinal verde de Davi Alcolumbre e a simpatia da deputada Bia Kicis (PSL-DF). Relator do projeto Escola sem Partido, o senador se considera um bom nome para o posto, mas nega que esteja trabalhando pela indicação.

Stavros Xanthopoylos, consultor de educação de Bolsonaro no período da campanha, também voltou a ser cotado para substituir Vélez. Ele é tolerado pelo grupo de militares, conta com o aval do ministro da Economia, Paulo Guedes, e já trabalha pela candidatura. Xanthopoyolos chegou a ter seu nome cogitado para ocupar o MEC na transição, mas foi descartado.

Na ala militar, a carta de opções é mais extensa. Entre os nomes, um dos mais cotados é Carlos Alberto Decotelli, presidente da Fundo Nacional Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Outros cotados são o ex-reitor da Universidade de Brasília (UnB) Ivan Camargo e o cientista político Antonio Flávio Testa, também da UnB e participante do grupo transição.

Estratégias. O Estado apurou que há duas estratégias em curso para tentar reduzir a crise no MEC e aplacar as disputas internas dentro da pasta. Além da possibilidade de se encontrar um sucessor para Vélez, há também a alternativa de manter o ministro no cargo e colocar um nome forte como número dois da pasta. Nesse caso, Vélez teria uma atuação mais limitada.

Militares e o grupo político não descartam a possibilidade de que o segundo modelo prevaleça. Nesse sentido, iniciaram conversas para encontrar um nome em comum. Trabalham, ainda, para a possibilidade de políticos encaminharem o nome do ministro, enquanto militares, o do secretário executivo.

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, reconheceu nesta sexta que o MEC precisa de um “freio de arrumação”. “O presidente já conversou com o ministro e vai ser organizado isso nos próximos dias”, disse.condução para o desfecho da crise do MEC.

Um exemplo da falta de respaldo de Vélez foi a tentativa frustrada de nomear a pastora Iolene Lima como secretária executiva. Ela foi desconvidada para o posto nesta sexta-feira, 22, após sua indicação ter sido vinculada à primeira-dama, Michelle Bolsonaro. As duas frequentam a mesma igreja.

ESTADÃO CONTEÚDO

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
08:04

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta sexta-feira (22) que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) precisa ter “mais tempo para cuidar da reforma da Previdência e menos tempo” para as redes sociais. A declaração foi dada em entrevista à TV Globo. 

Leia mais

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
08:02


O promotor Cássio Roberto Conserino foi condenado a pagar indenização de R$ 60 mil por danos morais ao ex-presidente Lula por divulgar em seu perfil no Facebook uma publicação ofensiva na qual o ex-presidente é apontado como “encantador de burros”. 

Leia mais

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
08:00

Via Esamel Morais.

 

A prisão imotivada de Michel Temer, decretada pelo juiz Marcelo Bretas, da lava jato do Rio, é de uma ilegalidade atroz. 

Leia mais

Publicado por: Chico Gregorio


23/03/2019
07:57

Resultado de imagem para fotos de simbolo do icms

Como o Agora RN já havia antecipado no começo desta semana, a Secretaria Estadual de Tributação (SET) anunciou nesta sexta-feira, 22, a recuperação de R$ 39 milhões dos maiores devedores do estado.

Foi o resultado de dois meses de trabalho do primeiro ciclo de cobrança de débitos fiscais, que buscaram empresas com dívidas há até cinco anos, mas ainda fora da chamada Dívida Ativa.

O valor da recuperação fiscal foi antecipada em primeira mão na última segunda-feira, 18, pelo titular da Tributação, Carlos Eduardo Xavier, ao programa Manhã Agora, da 97,9 FM, ancorado pelo jornalista Tiago Rebolo.

A maior parte dos valores recuperados saíram de acordos de pagamento à prazo fechados por 74 auditores fiscais, que foram à campo executar as cobranças em todas as regiões do RN.

Enquanto isso, o   Centro Judiciário de Solução Consensual de Conflitos (Cejusc) Fiscal Estadual atuou convidando os devedores para as audiências de conciliação.

A operação de cobrança começou no início de fevereiro, quando os contribuintes devedores foram visitados pela primeira vez e intimados a regularizar os débitos.

Segundo o coordenador de Arrecadação da SET, Raffaele Giglio Junior, só essa ação resultou na recuperação de R$ 22 milhões; 5% restantes vieram das notificações por meio eletrônico, através do Domicílio Tributário Eletrônico (DTE), já que se tratava de contribuintes com menores débitos. Outros R$ 17 milhões foram recuperados por meio de reuniões de conciliação.

Em menos de um mês, foram fechados 11 acordos no Cejusc Fiscal da SET para pagamento de débitos, referentes ao Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS).

Os auditores do Cejusc realizaram negociações com essas empresas, alguma delas em situação irregular com o fisco há três anos. Somente uma delas devia mais de R$ 5 milhões.

“Esse tem sido um valioso canal para o contribuinte esclarecer sua situação fiscal e negociar débitos antes que eles migrem para a Dívida Ativa”, lembra Derance Rolim, do Cejusc Fiscal, órgão que funciona na sede da SET, no Centro Administrativo, com a colaboração da juíza Virgínia Rego Bezerra, que intermedia as audiências de conciliação.

“Mas as empresas que estiverem inadimplentes também podem espontaneamente agendar uma reunião para negociação e fechamento de acordos por e-mail (cejuscfiscal @set.rn.gov.br) ou diretamente no horário comercial”, acrescenta Derance Rolim

Publicado por: Chico Gregorio


22/03/2019
12:04

 

Resultado de imagem para fotos do senador jean pratesO senador Jean Paul Prates (PT) foi designado relator do Projeto de Lei que proíbe a comercialização e a circulação de automóveis movidos a combustíveis fósseis.

A matéria está em análise na Comissão de Meio Ambiente do Senado.

“Vamos aprimorar o projeto de lei junto com o setor”, promete o parlamentar.

“Caso a proposta seja aprovada, ela fortalecerá a comercialização de carros elétricos no Brasil, contribuindo com a redução de emissão de poluentes por veículos automotores e redução da demanda por petróleo”, disse o parlamentar.

Pela proposta apresentada pelo senador Telmário Mota (PTB-RR), a partir de 2060 será proibida a venda de carros novos ligados à combustão no Brasil.

A proposta estabelece um escalonamento a partir de 2030.

“A troca dos veículos movidos a combustíveis fósseis por veículos elétricos será ambientalmente vantajosa”, garante o senador.

Via Thaisa Galvão

Publicado por: Chico Gregorio